Projeto de YoDa, (YoGamers do Bem – YGD) realiza o sonho de jovens gamers brasileiros

Felipe “YoDa” Noronha, empresário, atleta de eSports e uma das principais celebridades gamers do Brasil, resolveu usar seu conhecimento sobre eSports para criar um projeto social que tem potencial para transformar a vida de muitos jovens jogadores. Intitulado YoGamers do Bem (YGB), o projeto tem como objetivo levar conhecimento sobre eSports, games, diversidade e empreendedorismo para alunos de escolas públicas.

Basicamente o YGB promove a inclusão social e capacitação de jovens de escolas públicas para os mercados de games e tecnologia, sem fins lucrativos. A ideia é inaugurar diversas salas gamers por todo o país. Uma das apoiadoras do projeto é a HyperX, marca gamer da Kingston Technology, que fez a doação de kits de periféricos, com teclado, mouse, mousepad e headset para todas as máquinas.

O Yogamers do Bem oferece aulas no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, onde foi instalada a sala Gamer YGB/BHA, em parceria com a Fundação Cultural Chico Xavier e as Secretarias de Educação e Cultura de Pedro Leopoldo, Lagoa Santa e Confins, municípios atendidos pela iniciativa. Atualmente, o YGB beneficia 80 (oitenta) crianças e adolescentes na faixa etária entre 10 (dez) anos e 16 (dezesseis) anos, de ambos os sexos, em atividades e oficinas realizadas na sala Gamer do BHA, residentes nos municípios de Pedro Leopoldo, Lagoa Santa e Confins, que participarão do projeto durante o contraturno escolar.

A novidade a partir desse ano é a oferta de um curso extra opcional de 40 horas para aos alunos entre 14 e 15 anos. A nova proposta oferece aos jovens a qualificação para atendimento ao público, com conteúdos referentes à comunicação assertiva, postura, linguagem corporal, entre outros. O curso extra acontecerá somente no segundo semestre, às sextas feiras, das 13h às 17h, e deverá ser autorizado pelos pais/ responsáveis.

YoDa reforça que, de fato, o objetivo principal do projeto é a inclusão social de crianças e jovens, o envolvimento da comunidade e a descoberta de diversas áreas que envolvem o mercado gamer. “O game mudou a minha vida e pode transformar a vida de outras pessoas também. O jogo ajuda no desenvolvimento de habilidades, como estratégia, concentração e resiliência, favorece a socialização e a integração entre as pessoas, e já é realidade como profissão, carreira e fonte de renda”, destaca. “Desde 2015, os projetos sociais fazem parte das nossas atividades e, agora, o Instituto YoGamers do Bem será um marco histórico.”

Razer e Razer Gold promovem festa rave online com 24h de duração e sorteios de produtos e créditos

O isolamento social não é sinônimo de ficar trancafiado em casa entediado. Para ajudar a manter a calma e o alto astral em casa, a Razer e o Razer Gold, crédito virtual unificado que pode ser usado em todo o mundo para comprar jogos digitais e conteúdos de mais de 33 mil títulos, promovem nesta sexta-feira, 27, o Cloud Clubbing, uma rave online com 24 horas de duração. A intenção é animar a vida de quem vai aproveitar o tempo em casa para uma bela jogatina.

Durante o evento, serão sorteados um headset Razer Kraken e, de hora em hora, créditos virtuais Razer Gold. A ação acontece em parceria com a Bigo, aplicativo gratuito para transmissão de vídeos ao vivo, e a Zouk, rede de boates em Singapura, e espera alcançar as pessoas do mundo todo por meio da música, tecnologia e interação virtual.

O Cloud Clubbing começa nesta sexta-feira às 9h (hora de Brasília) e vai até a manhã de sábado. Para participar, basta baixar o aplicativo Bigo Live e acompanhar a transmissão pelo canal da Razer (Bigo ID: Razer). Durante a live streaming o público ainda poderá interagir via chat com os DJs da Zouk que fazem a transmissão usando várias funções do Bigo Live, como o envio de presentes virtuais transacionados com créditos Razer Gold.

Galápagos disponibiliza jogos de tabuleiro e cartas gratuitos para baixar e jogar em casa

Entediado e sem saber o que fazer durante a quarentena do Covid-19? Que tal reunir a família e jogar games de tabuleiro? A Galápagos está disponibilizando jogos de tabuleiro e cartas gratuitos para baixar e jogar em casa. Basta acessar o site, imprimir e jogar em casa. O melhor é que são versões de degustação de títulos de sucesso como Escape Room, SET e Timeline. A ação é parte do movimento #fiqueemcasa, que visa o distanciamento social para barrar a epidemia do novo Coronavírus.

Em um cenário caótico em que as crianças e adolescentes permanecem em casa e pais trabalhando em home office, não há muitas alternativas para manter o entretenimento familiar. A Galápagos Jogos acredita que os jogos de tabuleiro apresentam-se como uma opção ao mesmo tempo divertida, estimulante e interativa, além de uma alternativa para não deixar as crianças o dia todo de frente para a TV ou o tablet. Os jogos disponibilizados pe Galápagos são:

Timeline

Uma ótima opção para levar conhecimento às crianças mesmo estando fora da escola. Neste jogo que promove o conhecimento dos grandes fatos da história, o primeiro a posicionar corretamente todas as suas cartas numa linha do tempo será o vencedor. Será que a lâmpada foi inventada antes do primeiro voo de balão? A escova de dentes era usada nessa época? O avião já existia? Um jogo simples, rápido e inteligente que estimula adultos e crianças.

Black Stories

Uma consagrada série de enigmas em cartas para 2 a infinitos participantes. Uma pessoa lê uma história misteriosa que deve ser desvendada pelos demais com perguntas que só podem ser respondidas com “sim”, “não” ou “irrelevante”. Um convite para explorar o potencial investigativo!

SET

Foco, visão aguçada e reflexos rápidos: é isto que uma partida de SET propõe a seus participantes. Considerado o jogo de percepção visual mais famoso do mundo, foi ganhador do Mensa Select, um prêmio da reconhecida organização global que estuda o desenvolvimento da inteligência. SET é rápido, desafiador e estimula os jogadores a identificarem padrões, cores e formas para completarem um conjunto com as imagens das cartas. Um verdadeiro exercício para o cérebro!

Escape Room (novidade!)

O jogo original ainda nem foi lançado nas lojas, mas a Galápagos disponibilizou uma degustação desse produto que traz toda a emoção dos jogos de escape room para dentro de casa. Na história que pode ser baixada, o jogador terá apenas 15 minutos para resolver enigmas e puzzles e conseguir escapar de uma prisão, livrando-se da ameaça de uma gangue de malfeitores. A versão completa do jogo vem com 4 aventuras de 60 minutos e um decodificador digital físico.

Para baixar a degustação dos jogos, basta ir à página da campanha Imprima e Jogue aqui. A Galápagos promete trazer ainda outras novidades ao longo da semana, então os interessados devem ficar de olho.

Plague Inc. – Conheça o game que desafia o jogador a espalhar vírus por todo o mundo

Um vírus surge em uma pequena cidade do interior da China, as pessoas seguem suas rotinas sem que suspeitem que algo esteja ocorrendo. Rapidamente a virose infecta centenas de pessoas e, ainda sem notificação pública, aviões exportam a doença para outras regiões do mundo. Logo em seguida, o vírus evolui, torna-se mais facilmente transmissível e mortal. As autoridades se dão conta do que está ocorrendo, mas qualquer ação parece tardia. O vírus infectou e matou milhões de pessoas em todas as partes do mundo. Parece o roteiro tirado da vida real, mas trata-se do pano de fundo de Plague Inc. o jogo lançado em 2012 pela Ndemic para dispositivos mobile e que voltou a lista dos mais baixados da App Store graças ao surto da Covid-19.

Plague Inc. trata-se de um RTS que desafia o jogador a plantar uma endemia em qualquer lugar do mundo, transmiti-la por todos os continentes e evoluí-la até que se torne a maior doença que o mundo já viu. O objetivo é aniquilar toda a vida humana antes que cientistas desenvolvam a cura. Sua endemia pode ser uma bactéria, um fungo, um vírus ou até um parasita. O macete é usar os pontos de DNA para tornar sua praga mais adaptada a diferentes ambientes e tornar-se mais mortal.

O título já foi baixado mais de 85 milhões de vezes desde seu lançamento e conseguiu um novo boost com a recente pandemia, assim como ocorreu durante o surto do Ebola em 2014. O interessante mesmo é que a jogabilidade é simples, e bastante viciante, mas com um tom de dificuldade acentuada. Você pode passar horas tentando fazer uma nova doença destruir os governos de todos os países.

Em tempos de Covid-19, há quem imagine que Plague Inc. pode parecer de extremo mau gosto, entretanto, o game pode até se mostrar educativo ao passo que conta com dinâmicas realistas para mostrar como um vírus se espalha. Basta observar que em países com população maior e com aeroportos movimentados as doenças tendem a se espalhar mais facilmente. Além disso, o game conta com notificações das medidas que os países estão tomando para combater a infecção. Algumas se mostram extremamente eficientes, tais como fechar aeroportos e impor medidas que restringam a livre circulação entre as pessoas.

Plague Inc. é uma ótima pedida para tempos de quarentena e que você quer mais informações sobre como doenças se proliferam. Uma forma de aprender brincando. Ao menos aqui você pode espalhar um vírus de maneira rápida e segura. Infelizmente nem todos pensam assim, tanto que o game foi banido na China. O título está disponível para iOS e Android. Há ainda uma versão melhorada para Steam.

Abaixo você vê um trailer de Plague Inc.:

 

Illis – Estudantes da Fatec Carapicuíba criam game contra feminicídio

O Brasil é um dos campeões em feminicídio em todo o mundo, portanto cada iniciativa para combater a violência contra mulheres é bem vinda. Uma das iniciativas veio de dois estudantes do curso superior tecnológico de Jogos Digitais da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) Carapicuíba na forma de um jogo eletrônico. Illis coloca personagens de um livro de ficção para atuar na vida real, ou melhor, na vida “virtual”, a fim de combater a violência contra as mulheres. Basicamente trata-se de um game em realidade aumentada para despertar nos jovens a consciência sobre a necessidade de enfrentar o triste desafio social.

Illis vem do latim e significa “por elas”. Idealizado pelos estudantes Tayla Caroline Dantas e Mario Henrique Silva, o título foi apresentado no final de 2019 como trabalho de conclusão de semestre na faculdade. A trama envolve a história de duas personagens, Marie e John, protagonistas do livro Queimem as Bruxas, um livro lançado também pelos alunos. A dupla sai do livro e percebe que após séculos de caça às bruxas, as mulheres ainda continuam sendo perseguidas sem nenhum motivo. A partir daí, o casal passa a fazer parte do jogo e precisa avançar pelos cenários salvando as vítimas de ataques dos inimigos.

Cada página do livro corresponde a uma aventura diferente. A pessoa joga com a câmera do celular apontada para o livro. Ao virar a folha, o cenário muda junto. Tayla conta que a proposta surgiu como uma forma de expressar o descontentamento dos alunos diante da escalada da violência.

“Presenciamos casos de agressões envolvendo mulheres conhecidas. Essas situações nos incomodavam, então resolvemos agir utilizando a ferramenta que trabalhamos no nosso dia a dia: a tecnologia”. De acordo com Tayla, o objetivo do game é chamar as atenções para crimes e abusos contra mulheres. “Utilizamos a linguagem figurada para chamar a atenção das pessoas para que possam intervir e denunciar os crimes”, diz Tayla.

De acordo com os autores, Illis deverá estar disponível para Android ainda neste ano e o livro também poderá ser baixado gratuitamente na internet.

Startup cria game inédito e gratuito sobre o novo Corona Vírus

A essa altura você já sabe que o Covid-19 não é brincadeira, entretanto é possível aprender mais sobre ele jogando! Pelo menos é isso que o pessoal do estúdio Play2Sell, empresa de storytelling e gamificação voltada para vendas, pensou ao desenvolver o game mobile Corona Vírus, teste seus conhecimentos. Basicamente ele se apresenta na forma de um quiz para que o jogador aprenda mais sobre como se prevenir e evitar contaminação pelo vírus.

“Nossa intenção é, de uma forma leve e agradável, organizar o conhecimento que precisa ser veiculado neste momento”, conta Felipe dos Santos, CEO da Play2Sell. O jogo para celular é gratuito, se chama Corona Vírus, teste seus conhecimentos e pode ser acessado nas lojas Apple Store e Google Play. Outro aspecto interessante é que o jogo é uma opção de lazer educativo individual, em um momento de preocupação com encontros presenciais e aglomerações.

O título é bem simples: basicamente são lançadas perguntas de verdadeiro ou falso e o jogador deve responder as perguntas sobre a pandemia que assola o mundo. “Corona Vírus, teste seus conhecimentos” trata da definição, prevenção, sintomas, atitudes práticas e como distinguir notícias falsas – as famosas fake news – de verdadeiras. Quem conduz a narrativa é um médico, Caio, que convida o jogador a fazer uma viagem pelo mundo do Corona Vírus.

“Nossa vantagem é usar uma linguagem ágil e intuitiva, que facilita a fixação de conteúdos. A Play2Sell quer mostrar que é possível utilizar essa linguagem em um momento tão sensível da sociedade”. Felipe lembra que o conteúdo foi pensado para adolescentes a partir de 12 anos e que ele complementa o conteúdo escolar. “Em meio a tanto conteúdo disponível na TV e Internet, nós optamos pelo formato interativo. Como o jogador se envolve, ele fixa as informações e pode jogar em grupo, o que aumenta ainda mais a troca de informações.”

O título é bastante indicado para quem quer aprender a se prevenir e instruir as crianças a como evitar o contágio. A iniciativa é muito bem vinda e pontual para esses dias em que a desinformação e o pânico se espalham tanto quanto o próprio Corona Vírus.

Anunnaki – game indie faz crítica social e política do Brasil 2020

O destaque do dia vai para um jogo de RPG por turno com uma pegada retrô, uma trama envolvente e muitas referências ao Brasil de 2020. Trata-se de Anunnaki, um game indie em fase de desenvolvimento pelo desenvolvedor Luiz Rasielson e que está em campanha de crowdfunding pelo site Vakinha.

Basicamente você conhece uma realidade alternativa em que uma religião surge com base nos deuses sumérios e esse culto envolve-se com a política, ditando as regras de toda uma sociedade. De acordo com o desenvolvedor, há uma clara crítica social à mentalidade e ideologia retrógrada das pessoas que governam o nosso país. Anunnaki conta com aproximadamente 25 à 30 horas de “gameplay” e 4 finais diferentes. 

O game está em fase de polimento, e estima-se que em menos de 2 meses esteja concluído. O trailer disponível mostra que a inspiração veio de clássicos da geração 16 bits, considerada por muitos como a era de ouro dos RPGs de turno. Os gráficos são bastante oitentistas, porém a trilha sonora não segue o estilo chiptune, o que pode destoar do resto do projeto.

A campanha de Anunnaki pretende arrecadar R$ 4 mil, valor para cobrir custos do desenvolvimento e de publicação na Steam. Uma boa notícia: toda contribuição a partir de R$ 5,00 dará direito a uma cópia do jogo quando ele for publicado. Por fim, vale dizer que o projeto busca conscientizar as pessoas ao passo que as diverte!

Abaixo você confere o trailer de Anunnaki:

https://youtu.be/qNiQWPuG8ms

A primeira Gamers Club Masters Feminina está chegando!

Gamers Girls, uni-vos! A Dell, empresa dedicada ao mercado de PCs, acaba de anunciar a Gamers Club Masters feminina, o pretenso maior campeonato de games exclusivo para mulheres do país . O evento será realizado em junho e tem como principais objetivos fomentar e suportar a jornada profissional das jogadoras dentro do cenário de Counter-Strike (CS:GO).

Fundado em 2017, o Gamers Club Masters é um dos maiores e mais importantes campeonatos nacionais do cenário de CS:GO. Mais conhecido como Major Brasileiro, os melhores times, qualificados pelo Brasileirão – CLUTCH Circuit – e pelos campeonatos qualificatórios do Circuito Dell, se enfrentam para descobrir qual o melhor time do país. Além do prêmio em dinheiro, os participantes também passam por uma grande experiência de conteúdo e engajamento do cenário gamer brasileiro. A partir de 2020, os times femininos também contarão com essa mesma infraestrutura em um campeonato exclusivo.

“Sempre foi uma preocupação da Gamers Club incentivar a comunidade de Counter-Strike feminina, fomos pioneiros na criação de uma Liga com premiação, que proporciona um ambiente competitivo e seguro para que as mulheres possam jogar. A Gamers Club Masters Feminina é um projeto que pensávamos há muito e ter a Dell como parceira foi essencial para que pudéssemos tornar realidade. Esse é um grande passo para que possamos realizar muito mais e dar visibilidade para um cenário carente de campeonatos e divulgação”, comenta o CEO da Gamers Club, Yuri “Fly” Uchiyama.

As vagas que comporão a Gamers Club Master Feminina seguirão um processo parecido ao campeonato já existente. As campeãs de cada etapa da Liga Feminina e das qualificatórias, que totalizarão 8 times, disputarão as 4 vagas existentes na Master. Assim, os maiores nomes femininos do cenário gamer disputarão o primeiro lugar no ranking latino-americano. Este marco vai trazer uma grande oportunidade para as mulheres competirem em alto nível, em um evento presencial e com uma premiação de R$ 60.000,00 para a equipe campeã – um valor equivalente ao tradicional Gamers Club Master.

 

Classificação

A classificação se dará por três etapas, sendo:

Liga Feminina de Março e Abril: as campeãs de cada etapa garantem vaga direta a Masters e as vices garantem para o Closed Qualify

Open Qualify: Todas as inscritas se enfrentam por seis vagas para o Closed Qualify

Closed Qualify: Serão oito times (dois vindos da Liga Feminina (vice-campeãs) e seis vindos do Open Qualify) brigando por quatro vagas na Gamers Club Masters Feminina

 

Datas Importantes

Liga Feminina de Março: 11 a 22/03

Liga Feminina de Abril: 15 a 26/04

Open Qualify: 9 e 10/05

Closed Qualify: 30 e 31/05

Quem pode jogar

Todas as equipes cujas integrantes são do gênero feminino e possuam a medalha da Liga Feminina. Para obter, só solicitar no formulário aqui.

Para se inscrever nos Campeonatos, as equipes devem ficar atentas ao site da Gamers Club.

Estamos felizes e realizados por dar mais este passo em prol da comunidade de Counter-Strike e para o cenário feminino, sentimos que vamos possibilitar que mais meninas possam sonhar com a vida competitiva profissional e sempre jogando em um local seguro, que se preocupa com elas e com seus desenvolvimentos.

Como jogar PS4 com uma VPN

Um dos grandes problemas enfrentados por quem gosta de jogar em consoles como a Xbox e a PlayStation é o bloqueio geográfico de conteúdo. Muitas vezes, o jogador quer experimentar o mais novo lançamento da marca, ou até se divertir com o amigo que joga fora, e isso não é possível devido a geolocalização do seu IP.

Mas, como tudo nessa vida tem solução surgiu então a VPN – Rede Privada Virtual – que além de desbloquear o conteúdo de outros países ainda melhora as conexões online, dá acesso a jogos recém lançados e muito mais.

Por que usar uma VPN na PS4

A VPN para PS4 é bastante útil para quem adora os jogos online, mas antes de entrarmos nas formas de configurar o sistema para a sua console, vamos entender um pouco melhor sobre os seus benefícios. Eles são vários, e dentre todos podemos destacar os seguintes:

  • Serviço completo no Console

Não tem porque você comprar uma Xbox ou uma PlayStation e não poder desfrutar do serviço completo. Com a VPN no seu console você poderá assistir a streaming de vídeos, acessar a Netflix, conseguir acesso a filmes e programas de TV nacionais ou internacionais com segurança, que é o mais importante. Como há o acesso a internet você precisa assegurar que tenha uma conexão segura para não ter problemas futuros.

  • Acesso a conteúdos restritos

Normalmente os jogos de PS4 não são restritos geograficamente. Porém, o conteúdo para download deve coincidir com a região do mesmo, e muitos fabricantes bloqueiam os seus jogos de forma geográfica. Com isso, alguns países nunca conseguem ter acesso ao download dos melhores e mais recentes games lançados em outras regiões.

Com a Rede Privada Virtual esse problema é facilmente contornado e você pode alterar o IP do seu console, conseguindo assim acessar a todos os conteúdos de fora.

  • Segurança

Quem gosta de jogar online com certeza deve se preocupar com esse fator. Como há um grande tráfego de dados no seu dispositivo é possível o ataque de hackers de forma bastante fácil. Para que os seus dados permaneçam em segurança é essencial que você use um bom sistema de criptografia para se proteger contra o ataque de hackers.

VPN no PS4 a partir do seu Roteador

 

VPN através Roteador

Vamos então aprender a configurar esse sistema através do seu roteador. Essa é a maneira mais fácil e simples e pode ser feita de 2 formas. São elas:

1- Roteador Wi-Fi

Existe hoje no mercado novos roteadores que já possuem acesso à Rede Privada Virtual internamente. Ao adquirir um deles todos os dispositivos que forem conectados ao mesmo já estarão protegidos e podendo desfrutar de todas as vantagens da VPN. Pode parecer um pouco caro à primeira vista, porém o investimento vale a pena devido à facilidade de instalação e de uso.

2 – Manualmente

Outra forma de usar esse serviço é inserindo manualmente os detalhes da Rede Privada Virtual nas configurações do seu roteador Wi-Fi. Como existem vários tipos e modelos de roteadores é impossível explicar o passo a passo de como fazer essa instalação. Mas basta procurar o assistente da sua Rede e se informar sobre essa instalação.

VPN no PS4 a partir do seu PC

VPN PC

Outra forma de conseguir o serviço na sua console, para jogar online, é através de um computador portátil. Segue abaixo o passo a passo de como proceder com a configuração:

  • Instale a Rede Privada Virtual de sua preferência no PC.
  • Conecte o cabo Ethernet no PC e na sua PS4.
  • Abra o Painel de Controle > Central de Rede e Compartilhamento e selecione “Alterar Configurações do Adaptador.
  • Clique, com o lado direto do mouse, na VPN escolhida e selecione “Propriedades”.
  • Abra a guia “Compartilhamento” e certifique-se que a opção ‘Permitir que outros usuários da rede se conectem através da conexão à Internet deste computador’ esteja selecionada.
  • Feito isso selecione então a Conexão de Rede Doméstica que você deseja compartilhar com sua console.
  • Agora em seu PS4, vá em Configurações > Configurações de Rede > Configurar conexão com a Internet > Usar Cabo LAN e selecione a conexão ‘Fácil’.
  • Ative a opção “Não usar um servidor proxy” quando for solicitado.
  • Pronto! Sua console está conectada à Internet através de uma Rede Privada Virtual e você já pode se divertir em segurança.

Agora que você já conhece os benefícios desse sistema para seu console PlayStation ou até mesmo Xbox não perca mais tempo. Jogar online nunca foi tão fácil e seguro com essa tecnologia disponível.

Change the Game – Evento da Google Play dá espaço para que mulheres ingressarem na indústria de games

O Dia Internacional das Mulheres passou, porém vale mencionar qualquer ação que vise empoderar nossas jogadoras, independente da data, certo? Pois bem, o desafio Change the Game, liderado pela Maia Mau, head de marketing do Google Play, conseguiu reunir mais de 3 mil inscrições de meninas que aspiram entrar no mercado de desenvolvimento profissional. O objetivo era guiar as garotas para a produção de jogos mobile e dar mais visibilidade às gamers brasileiras.

De acordo com a Google Play, muitas garotas tiveram voz para falar das dificuldades em ser uma gamer girl no Brasil. A partir daí, coletou-se e analisou-se os dados do mercado para entender como seria possível fugir de estereótipos nesse universo. Além disso, os organizadores trabalharam no sentido de incentivar jovens mulheres a entrar no universo dos games também como desenvolvedoras.

Um dado interessante é que quase 60% dos gamers brasileiros são mulheres, mas sua participação no mercado de trabalho é bastante ínfima. Apenas 18% dos estudantes do curso de engenharia ou ciências da computação são mulheres. O que justificaria essa disparidade?

No mundo dos jogadores, há uma divisão entre os casual gamers — o principal grupo, com um maior número de jogadores — e os hardcore gamers, uma turma menor, mas não menos importante para indústria. No Brasil, as mulheres são maioria entre os casual gamers. E elas não jogam pouco: em média, 3 vezes por semana, em sessões de até 3 horas. Outra curiosidade nesse perfil é que 4 em cada 10 admitem que games são sua forma preferida de entretenimento, ainda que prefiram baixar jogos gratuitos.

Primeiro país depois dos EUA a receber o programa, o Change the Game por aqui teve alta procura: foram mais de 3 mil inscrições de garotas de 15 a 21 anos, estudantes de escolas públicas ou privadas. As inscritas foram avaliadas por um grupo de dez mulheres, de dentro e de fora da área de desenvolvimento de games. Duas delas saíram vencedoras — uma de escola pública e outra de instituição privada — e ambas tiveram seus jogos lançados no Google Play em fevereiro.

O concurso também possibilitou que as duas ganhadoras passassem uma semana de colaboração na Tapps Games, empresa parceira do Google e uma das maiores desenvolvedoras de games do Brasil. O Change the Game forneceu ainda outras 800 bolsas de estudo online para garotas com desejo de mergulhar no mundo das desenvolvedoras — e ainda disponibiliza no site uma série de vídeos-tutoriais para quem tem o sonho de fazer um game do zero. Tudo para incentivar e apoiar a representatividade feminina no mundo dos jogos para celular.

Games Independentes, Jogos Nacionais, Produção de Games e muito mais.