Segunda edição da Game Jam Fábrica de Jogos tem data marcada para novembro

O mês de novembro ainda não acabou para quem acompanha o mercado de jogos independentes: o site Fábrica de Jogos irá organizar a segunda edição de sua Game Jam, um evento que desafia desenvolvedores a fazer um jogo em um curto espaço de tempo. O evento é famoso por promover um espaço de rede de contatos, aprendizagem e união entre desenvolvedores de jogos iniciantes a mais avançados. O evento também conta com o apoio do Marcos Game Dev e comunidade Discord Game Dev.

A Game Jam começa no dia 08 de novembro (sexta) às 21:00 e vai até até às 21:00 do dia 10 de novembro (domingo). O desafio consistirá em desenvolver um jogo em 48 horas baseado em um tema que será apresentado na live no Youtube do site Fábrica de Jogos. A live explicará as regras terá 30 min, começando às 20h30, pouco antes do evento.

Todas as atividades e compartilhamento de ideias entre equipes ocorrerá no servidor Discord do Fábrica. De acordo com o site, será nesse espaço que os jogadores terão contato com os mentores, ou seja, pessoas que já participaram do Fábrica e que tem experiência em games nas áreas de game design, arte e programação. Eles ajudarão os participantes nos projetos a serem criados e orientarão nas dúvidas durante o evento. O julgamentos dos jogos será público e todos podem votar após o período das 48 horas. Os juízes darão pareceres aos projetos submetidos também.

Para participar, você deve ser estudante brasileiro que estuda independente (sem vínculos institucionais) ou que pertence a uma instituição de ensino pública ou privada nacional, todos os desenvolvedores que não são profissionais. Outras pessoas fora desse escopo podem participar, porém não há obrigatoriedade dos juízes darem pareceres do projeto feito. De acordo com o Fábrica de Jogos, será considerado profissional quem já trabalha em estúdios de jogos ou que já tenha um portfólio de jogos com vendas significativo. Deste modo, a game jam busca incentivar iniciantes na área.

Os jogos, para participar de menções honrosas e premiações, precisam ser nas plataformas web, PC e jogos analógicos. Outras plataformas não serão aceitas. Pode-se usar qualquer software de desenvolvimento de jogos no evento. É possível também os participantes fazerem lives na comunidade Twitch do Fábrica com a hashtag #gamejamfabrica2019 compartilhando o seu desenvolvimento durante o evento. Também podem acompanhar outras que serão feitas pelo site ao longo do evento no Youtube do Fábrica.

Serviço – Game Jam Fábrica de Jogos 2019

Onde: Lives no Youtube do Fábrica e Participação via Discord

Quando: 21:00 de 08/11/2019 até 21:00 de 10/11/2019 (48 horas)

Quanto: Gratuito

Quem pode participar: Estudantes brasileiros de instituições de ensino público e privadas ou autônomos nos estudos. Outros fora desse público podem participar, porém não há obrigação dos juízes emitirem pareceres ao seus projetos submetidos.

START – plataforma de games do UOL, lança campanha “Somos Todos Gamers”

O UOL decidiu entrar no mercado de plataforma de jogos digitais. Para isso, o grupo de mídia acaba de lançar o START, que chega para conquistar o público que busca falar sobre games e e-Sports. Para comemorar o lançamento, o grupo lançou a campanha “Somos Todos Gamers”, cujo objetivo é mostrar que todos temos um lado gamer. Em parceria com a Artplan, foram produzidos dois filmes para a campanha.

A plataforma START foi criada e, junho após por extensa pesquisa, adequando conteúdo à nova realidade do mercado, além de buscar equilíbrio entre as recentes modalidades de eSports e jogos tradicionais para PS4, PC, Nintendo, Xbox, Mobile, entre outros.

“‘Somos Todos Gamers’ nasceu para quebrar o estereótipo do gamer tradicional, mostrando um panorama muito diverso: tem aumentado o percentual de players utilizando plataformas mobile, e o público feminino está muito mais presente nas estatísticas de consumo de games, conteúdo, periféricos, entre outros. A campanha é um novo olhar sobre este mercado, falando sobre games e gamers em conteúdos inovadores, que dão voz a esse público”, comenta Mariana Perri, Coordenadora de Marketing do UOL.

O lado gamer dos personagens

Com a exibição de dois filmes de 30 segundos, a campanha “Somos Todos Gamers” comunica que a plataforma START é pensada e produzida para todos os tipos de jogadores, destacando o “lado gamer” de cada pessoa através de sua transformação gradual em personagens lúdicos.

Em um dos vídeos, a bailarina Catarina se transforma gradativamente em BlackCat, guerreira ninja cujo visual foi baseado num dos jogos preferidos dos usuários. Já no segundo filme, um boxeador que treina socos em um saco de areia se transforma em um personagem do mundo gamer, com um aumento exponencial de sua força nos treinos.

Os dois filmes da campanha serão veiculados em cinemas, TV aberta e por assinatura, OOH, redes sociais e nos canais digitais do UOL, além do desdobramento em dois anúncios impressos para revistas especializadas. Para saber mais sobre a plataforma, confira aqui.

Abaixo tem o trailer da bailarina, um dos trailers da campanha do START:

 

Natal Game Jam – inscrições estão abertas para desafio de produção de games

Pensa que só a cidade de São Paulo que organiza Game Jams? Pensou errado, universitário! A cidade de Natal, RN, abriu um edital público para organizar um concurso chamado Natal Game Jam. O evento prevê premiação de R$ 10 mil para a criação de um projeto inédito. As inscrições estão abertas desde o dia 10 de outubro e vão até o dia 1º de novembro. Os vencedores serão conhecidos no dia 8 de dezembro durante o Natal Game Jam. De acordo com o edital, será realizada uma maratona de 48 horas entre os dias 6 a 8 de dezembro, cujo tema ainda não foi divulgado.

Podem participar do edital artistas, desenvolvedores e produtores criativos independentes para participação, que resultará a premiação de três projetos. A iniciativa partiu da FUNCARTE (Fundação Cultural Capitania das Artes), cujo objetivo é estimular a criatividade, promover o intercâmbio de artistas, fomentar o desenvolvimento de pesquisas da linguagem dessa cultura; abrir espaço para novos talentos e fomentar o desenvolvimento de jogos local.

O evento acontece entre os dias 6 a 8 de dezembro de 2019. Nesse período, as equipes devem desenvolver um projeto em comum. Sabe-se ainda que a Natal Game Jam será realizada no SEBRAE, das 18h da sexta-feira até as 19h do domingo. Após a conclusão do game, as equipes terão de elaborar um plano de negócios e de marketing e farão uma defesa oral do produto, mostrando o jogo funcional. As inscrições serão gratuitas, porém devem ser realizadas apenas presencialmente na FUNCARTE até o dia 01 de novembro.

Serão nove equipes – todas com o máximo de cinco integrantes – a participar do Natal Game Jam. As seis primeiras equipes garantem vaga para participar, desde que a documentação entregue esteja completa (confira no edital). Outras duas vagas estão reservadas para equipes completamente femininas e a remanescente é exclusiva para alunos egressos do ensino público.

A distribuição do Natal Game Jam será a seguinte:

1º colocado: R$ 5 mil;

2º colocado: R$ 3 mil;

3º colocado: R$ 2 mil.

São Paulo Tech Week – Maior semana de inovação e tecnologia da América Latina terá atrações envolvendo games

Anualmente a cidade de São Paulo recebe um grande evento que reúne lideranças do setor de tecnologia, a São Paulo Tech Week (SPTW), o maior festival de tecnologia e inovação do país, para iniciar os preparativos da edição de 2019. O evento costuma atrair cerca de 50 mil pessoas de diferentes países como Canadá, França, Reino Unido, Noruega, EUA e Israel, gerando negócios e patrocínios na casa dos 10 milhões. Para este ano a novidade será a São Paulo Game Jam – Hackathon Online oficial do evento.

 

São Paulo Game Jam

Basicamente os produtores terão 10 dias para criar um jogo digital ou analógico que atenda ao desafio proposto pela organização. O tema central somente será divulgado durante a abertura da SPTW, em 22/11/2019. A ideia é atrair investidores para o mercado de games nacional e usar os games para fomento da ciência.

De acordo com os organizadores da Game Jam, a novidade é fruto de uma parceria com o Museu Catavento. A premiação ao melhor colocado ainda não foi anunciada, de modo que ela será revelada também durante a abertura do evento. Sabe-se que as inscrições já estão abertas e podem ser realizadas aqui. A iniciativa é independente, ou seja, da comunidade para a comunidade, então todo apoio é bem-vindo.

 

Serviço – São Paulo Game Jam – Tech Week 2019

Quando: 22/11 a 01/12

Onde: evento online

Inscrições: São Paulo Game Jam

 

Stella Game Experience

Ainda sobre a São Paulo Tech Week, vale destacar outra atividade paralela ligada ao evento: a Stella Game. Com data marcada para o dia 23 de novembro, o evento busca fortalecer a utilização dos jogos como ferramenta de aprendizagem através de debates, reflexões e interação social. Os visitantes poderão interagir entre si enquanto jogam games de carta, tabuleiro, e-Sports e free-play.

O evento é dividido em dois grupos: um para alunos do 6º a 8º ano do ensino fundamental – em que as crianças mediarão os jogos voltados para questões sociais; enquanto que o outro espaço é voltado para alunos do 9º ano do ensino fundamental e alunos do ensino médio – que serão responsáveis por mediar jogos voltados a diversão.

De acordo com a organização do evento, o Stella Game Experience ainda contará com campeonato de Just Dance, com direito a premiação. A ideia é juntar os amigos e se divertir sem compromisso. A entrada para o Stella é R$ 10,00. O valor arrecadado será utilizado em obras sociais e para custear a formatura dos alunos do 9º ano.

Serviço – Stella Game Experience – Tech Week 2019

Quando: 23 de novembro, das 10h às 15h

Onde: Colégio Stella Maris – Rua Cardeal Arcoverde, 1097 – Pinheiros, SP

Quanto: R$ 10,00

Inscrições: Stella Game Experience

Representatividade Feminina nos Games é o tema da próxima palestra do Conselho da Diversidade da Abragames

A representatividade é uma pauta bastante atual e necessária nos dias de hoje. Não é por acaso que a Abragames promoveu no último mês de agosto o 1º Ciclo de Debate sobre representatividades de minorias no Conselho da Diversidade da Abragames, onde se discutiu a Representatividade Negra nos Games e criou-se o Selo de Apoio e Incentivo à Diversidade na Indústria de Games. No próximo dia 22 de outubro, será realizado o 2º encontro, na Unibes Cultural, cujo tema será a Representatividade Feminina nos Games.

De acordo com a Abragames, a discussão abordará a participação das mulheres na indústria de games e a construção de personagens femininos nos títulos AAA e nas produções independentes. O tema vai trazer números e fatos de uma indústria que sempre foi dominada pela figura masculina e relegou às mulheres o papel de coadjuvante.

Segundo o relatório da Indústria Brasileira de Jogos Digitais, realizado pelo Ministério da Cultura, em 2018, apenas 20,7% da indústria brasileira de games é ocupada por profissionais mulheres, apesar de representarem 58,9% dos fãs de jogos casuais, segundo a Pesquisa Game Brasil 2019. O evento reunirá mulheres que trabalham com jogos para debater o papel das mulheres na indústria de games brasileira e para discutir ações que possam diminuir o gap entre trabalhadores da indústria x jogadoras.

“Queremos mostrar que apesar do gap ser grande, o que acaba por influenciar a construção de personagens femininos, existe um contra-movimento preocupado em mudar esse cenário. Se pegarmos o jogo Tomb Raider de 1996, a protagonista Lara Croft era a típica mulher gostosa, porém a partir de 2013 a franquia repaginou a personagem e hoje temos uma Lara muito mais real, em que as mulheres se sentem representadas e que não está no jogo para satisfazer os homens. Esse é um dos exemplos, mas tem muitos outros. Porém, ainda um grande caminho a ser percorrido”, afirma Camila Malaman, do Conselho da Diversidade da Abragames e coordenadora do Ciclo de Debates.

O debate “Representatividade Feminina nos Games” acontece no dia 22 de outubro, às 19h, na Biblioteca da Unibes Cultural (Rua Oscar Freire, 2.500), entrada franca.  Entre os debatedores, estão: Rany Ferraz – Garotas Geeks, Aiami Garcia – PushStart, Nayara Brito – More Than Real, Renata Rapyo – Tapps Games e Amanda Rolim – pesquisadora. Mais informações aqui.

 

Serviço – 2º Conselho da Diversidade da Abragames – Representatividade Feminina nos Games

Quando: 22 de outubro de 2019

Onde: Biblioteca da Unibes Cultural – Rua Oscar Freire, 2.500

Quanto: gratuito

Poker e videogame: algumas das atividades preferidas pelos esportistas no tempo livre

Seja como forma de aprimorar habilidades mentais, opção de relaxamento ou por diversos outros motivos, o número de atletas e ex-atletas que procuram incluir hobbys como videogames em suas rotinas não é pequeno.

Independente do gênero de game escolhido, uma coisa que todos eles têm em comum e que acabam levando paras os seus passatempos é o famoso lado competitivo dos atletas de elite.

Por esse motivo, abaixo vamos falar um pouco sobre alguns dos maiores esportistas nacionais e internacionais e os jogos e outros hobbies escolhidos por eles, que vão de transmissões e poker até o gerenciamento de equipes de e-Sports, para manter a chama da competição acessa.

Andrea Pirlo, ex-jogador de futebol

Campeão do mundo com a Itália em 2016 e com passagens por clubes de expressão no futebol mundial, como os gigantes italianos Juventus e Milan, Andrea Pirlo é autor da célebre frase: “Depois da roda, o Playstation é a melhor invenção do homem.”

Photo by Jan S0L0
Pirlo em ação pelo Milan

Quando jogava no Milan, ele e o zagueiro Alessandro Nesta jogavam juntos sempre que podiam em Milanello, centro de treinamento do clube milanês.

“Pirlo vs Nesta foi um duelo clássico nos dias de Milanello. Nós chegávamos cedo, tomamos café da manhã às 9h e depois nos fechávamos em nosso quarto e jogávamos PlayStation até as 11 horas. Íamos ao treinamento e depois voltávamos aos jogos de computador até as quatro da tarde. Verdadeiramente uma vida de sacrifício”, confessou o ex-jogador em declarações ao blog da ESPN norte-americana.

Anthony Davis, jogador de basquete

Uma das principais estrelas do basquete mundial e capa do jogo NBA 2K20, Antony Davis atualmente defende as cores do Los Angeles Lakers. Durante toda sua carreira o craque do time californiano nunca escondeu a sua admiração por videogames e já falou diversas vezes sobre seus títulos favoritos.

“Eu não jogo muito jogos de corrida, eu jogo principalmente Madden e Call of Duty (CoD). Eu jogo contra meus colegas de equipe e fico online algumas vezes, mas as pessoas não são muito boas online ou não são boas o suficiente para mim. Então, geralmente jogo contra quem quiser jogar no local”, contou Davis ao site norte-americano GameCrate.

Apesar do alto nível em Madden e CoD, quando está com os colegas time em viagens ou em concentração, Davis não joga tanto esses games. Nessas ocasiões ele costuma trocá-los por NBA 2K, FIFA ou outros clássicos dos jogos esportivos que são escolhidos pelos seus companheiros de equipe.

Christian Eriksen, jogador de futebol

Principal responsável por armar as jogadas do Tottenham, da Inglaterra, o craque Christian Eriksen gosta de aproveitar o seu tempo livre jogando Football Manager, título que simula o dia a dia de um treinador e gestor de futebol.

Na última janela de transferências, o jogador pediu para ser negociado, mas o Tottenham não liberou a sua saída. Triste por não ter sua vontade atendida, ele chegou a fazer um paralelo de sua condição na equipe com o que faria se estivesse no Football Manager.

“Gostaria de poder decidir (meu futuro) como no Football Manager, mas infelizmente não posso”, afirmou à publicação dinamarquesa Ekstra Bladet.

Jeremy Lin, jogador de basquete

Jeremy Lin é um jogador de basquete norte-americano com passagens por grandes franquias da NBA. Lin começou a se interessar pelos esportes eletrônicos em 2004 por influência dos seus irmãos.

“Quando eu estava no ensino médio em 2004, meus irmãos começaram a jogar um jogo chamado Dota. No começo, eu zombei deles, mas depois de algumas semanas ouvindo-os elogiarem o jogo eu tentei”, conta ele em um artigo de autoria própria publicado no site Quartz.

“Ainda jogo pelo menos duas vezes por semana — em casa, na estrada, em um quarto de hotel – especialmente depois de um jogo difícil na quadra”, completou Lin.

Em 2016, o jogador se envolveu com a Vici Gaming, uma das principais organizações de esportes eletrônicos da China, para compreender o funcionamento de uma equipe de e-Sports.

Após um breve período de experiência acompanhando a Vici, o atleta gostou tanto do que viu que pouco tempo depois resolveu montar o seu próprio time, a equipe norte-americana J.Storm.

Demetrious Johnson, lutador de artes marciais mistas

Dono da maior da maior sequência de títulos defendidos na história do UFC, Demetrious Johnson é apaixonado por videogames e costuma até mesmo a fazer transmissões regulares na Twitch.tv para os seus fãs.

Além de compartilhar com o público seu gosto por diferentes gêneros de jogos, o lutador também interage bastante com os fãs durante as sessões na plataforma de streaming, um fato que deixa as pessoas ainda mais animadas em acompanhá-lo.

“Eu sempre pensei em voltar ao trabalho em um armazém ou o que for necessário para sobreviver, mas agora o streaming e os videogames estão apenas começando. Só me preocupo com o próximo jogo que será lançado no próximo mês. Eu ainda estou lutando, estou no auge da minha carreira e treino todos os dias, mas estou começando minha segunda carreira agora. Por que não?”, disse ele em uma entrevista ao site norte-americano Kotaku.

Ainda de acordo com declarações de Johnson para o site, jogar games de luta como Tekken inclusive o ajudam a encontrar melhores ângulos para atacar os oponentes em suas lutas profissionais.

Gabriel Jesus, jogador de futebol

Um dos principais atletas do Manchester City, Gabriel Jesus é outro boleiro que gosta de jogar games de futebol no tempo livre. Inclusive, o atleta conquistou uma fama internacional como um dos melhores esportistas do elenco inglês quando o assunto é FIFA.

Outro game que costuma ocupar o tempo de Jesus é o clássico Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO). O jogador inclusive já afirmou em entrevistas que escolheu o título como principal passatempo durante a última Copa.

Além dos games, o atacante do City também é fã de poker e gosta de reunir os amigos e companheiros de time para organizar partidas recreativas do esporte das cartas. Apesar disso, o jogador ainda não está no mesmo nível da modalidade que outros membros da seleção.

Neymar, jogador de futebol

Um dos maiores artilheiros da história da seleção brasileira, Neymar atualmente defende as cores do clube francês PSG. O jogador brasileiro já postou diversos vídeos jogando CS:GO em suas redes sociais e não esconde a sua admiração pelo jogo.

Assim como Gabriel Jesus, Neymar também mantém o poker em sua rotina. Mas o fascínio do craque brasileiro com o esporte das cartas é tão grande que ele até mesmo toma aulas particulares com profissionais à distância para aprofundar seu conhecimento sobre o esporte.

Photo by Pokernews
Gerard Piqué (esq.) e Neymar (dir.) em partida de poker

Por ser muito competitivo, ele gosta de testar as suas habilidades adquiridas nas aulas teóricas de poker em torneios. “Eu vou melhorando, buscando, conhecendo e jogando cada vez mais o jogo. Sou muito competitivo”, disse o craque após um torneio na Europa em 2018.

Em junho deste ano, o craque brasileiro estava impedido de atuar por conta de uma lesão no tornozelo e faturou R$ 35 mil em um torneio de poker online durante jogo da Seleção Brasileira.

Outros esportistas conhecidos que não abrem mão de seus videogames

Um dos maiores recebedores da história do futebol americano, Chad Johnson já não atua mais como atleta profissional, mas é um grande fã da já mencionada franquia FIFA, líder de vendas no setor de futebol virtual.

Já o jogador de tênis Nick Kyrgios leva o videogame um pouco mais a sério que os demais e admitiu em recente entrevista que o jogo Call of Duty estaria arruinando a sua rotina de treinamentos. Além de Call of Duty, Kyrgios também gosta de jogar o famoso FIFA com colegas tenistas, como Gael Monfils, Benoit Paire e Diego Schwartzman.

Top 5 – Jogos da geração atual que valem a pena serem jogados

Não é novidade para ninguém que a próxima geração de videogames está por vir. Mesmo que a Sony e a Microsoft tentem esconder os detalhes, é fato consumado que na E3 2020 iremos presenciar o nascimento da nona geração de videogames com o Projeto Scarlett e o vindouro Playstation 5. Dito isto, fica o questionamento: será que ainda vale à pena investir no Playstation 4 e no Xbox? A resposta é um simples sim. Seria fácil dizer que esperar um novo videogame seria o melhor investimento, mas temos de levar em consideração a biblioteca de jogos incríveis que esses videogames trouxeram ao longo desses anos.

Partindo desse pressuposto, pergunta-se: que jogos seriam esses? Opções não faltam, mas decidimos eleger apenas 5 jogos que merecem ser jogados por qualquer gamer. São aquelas obras de arte que transcendem a experiência de sentar e manipular objetos/personagens em uma tela. Estamos falando daqueles jogos da geração atual que valem a pena serem jogados ainda hoje. Se você já jogou, vale relembrar, se não, corra atrás desses títulos antes que desaparecem das lojas! Inclusive, o site da Promobit conta com alguns deles em promoção, assim você não precisar esperar pela Black Friday.

Confira o Top 5 jogos da geração atual que valem a pena serem jogados:

 

God of War

Barlog

Um dos motivos mais elementares do sucesso estrondoso que foi o PS4 é essa reinvenção de God of War. No momento que todos acreditavam que a saga de Kratos havia acabado e não havia como reformular a franquia, a Santa Monica mostrou que era possível inserir sim profundidade em um jogo de hack ‘n slash. Sim, você provavelmente vai se comover durante os inúmeros diálogos entre o Fantasma de Sparta e seu filho, Atreus. Os combates permaneceram viscerais e os quebra-cabeças estão mais inteligentes e desafiadores. Some-se a isso o fato que de a direção de arte estava bastante inspirada e você tem um dos melhores jogos do PS4.

 

Resident Evil 2 Remake

Já que começamos falando sobre reinvenções de franquias antigas, vale também dar destaque ao retorno de Resident Evil. A Capcom foi capaz não apenas de repetir os triunfos do remake do primeiro game, mas também de tornar o ambiente de terror e mistério ainda mais envolvente. Aqui você encarna os personagens Leon e Claire enquanto tentam sobreviver aos inúmeros desafios da cidade Raccon City que se vê em um apocalipse zumbi.

Muita coisa do original permaneceu quase intocada, mas os produtores não se fizeram de rogados e melhoraram muitos dos jump scares e clima de tensão. O resultado é um game capaz de enregelar a espinha do mais corajoso dos jogadores, pois não se tem a impressão de estar jogando algo antigo, mas de descobrir algo completamente novo.

 

Fortnite

Vai demorar muitos anos até que alguém possa explicar o fenômeno que Fortnite é, mesmo com seus gráficos e jogabilidade simplistas e, até, caricata. Talvez seja justamente isso que torna o game da Epic Games tão sucedido. Esqueça jogabilidade complexa e mecânicas rebuscadas! Aqui o negócio gira em torno da diversão pura e descompromissada. Junte seus amigos para sessões ensandecidas de tiroteios em times por ambientes que mudam e evoluem para se adaptar às necessidades dos jogadores. Outro aspecto que torna Fortnite relevante para seus milhares de jogadores é o fato de que a comunidade está toda engajada em novas fórmulas para tornar as jogatinas únicas. Praticamente um expoente da nossa cultura moderna!

 

Red Dead Redemption 2

Um dos títulos mais esperados desde sua revelação em 2016 não se mostrou um desapontamento, mas sim um produto que deve envelhecer muito bem, obrigado. O jogador toma controle do personagem Arthur Morgan, um fora-da-lei membro da gangue de Van der Linde, e deve cumprir variadas missões para o bando.

Praticamente um GTA no velho oeste. A variedade de missões e situações impressiona: são cerca de 60 horas de jogatina até terminar o título. Se GTA V desapontou algumas fileiras de fãs da Rockstar, o mesmo não pode ser dito de RDR2, que consegue contar uma história bem humorada e instigante ao mesmo tempo em que apresenta as belas paisagens ensolaradas do Velho Oeste Americano. Certamente um dos melhores jogos do Xbox One e do PS4.

 

The Witcher 3

The Witcher

Por fim, vale destacar um dos jogos mais premiados de todos os tempos: The Witcher 3. Quem tinha jogado o segundo capítulo já sabia que a adição de um mundo aberto seria um grande acerto, mas não havia como prever a grandiosidade que o título teria. É muito fácil começar uma missão, sair a cavalo, matar uns monstros enquanto cruza o continente, receber grana, novas missões e se esquecer de qual era mesmo o motivo que impulsionou a viagem a cavalo em primeiro lugar.

The Witcher 3 é uma ode a tudo o que funciona em um RPG de mundo aberto. Praticamente sem defeitos e com fator replay infinito, é possível que quem tenha comprado o título em 2015 ainda não tenha chegado nem perto de descobrir tudo que este game tem a oferecer. Se os combates no segundo game eram difíceis demais, aqui as coisas são mais niveladas e as lutas até parecem danças, de tão ritualísticas que podem se tornar. Não é à toa que muita gente considera este um dos melhores games de todos os tempos! Vale a pena monitorá-lo através do App de desconto da Promobit.

Board e Card Games integram os cardápios de bares, restaurantes e cafés de BH

Já pensou ir a um bar com os amigos e entre uma rodada e outra começar uma partida de War? Pois é justamente essa a nova tendência em Belo Horizonte, MG. Diversos bares, restaurantes e cafés começaram a aderir a moda, oferecendo board games, card games e jogos digitais. A ideia é oferecer aos frequentadores um ambiente aconchegante e divertido.

Entre as casas que já aderiram aos jogos estão a Funtasy, BHescape, LudoCafé, e Joker Bar e Luderia. A ideia é importada de bares e restaurantes da Europa e Estados Unidos.  Atualmente, os jogos de maior destaque nestes lugares são os de tabuleiro, como por exemplo, o Monopoly, Banco Imobiliário, Jogo da vida, Ludo, Uno, War e dentre outros mais modernos, os intitulados boardgames.

Segundo o Renato Simões, game designer e CEO da Geeks N’ Orcs (editora especializada em jogos de tabuleiro e cartas), os jogos de tabuleiro podem não só promover a interação social e uma maior aproximação entre amigos e familiares, como também ajuda no desenvolvimento da cognição e raciocínio. Assim, faz sentido incluir estes jogos em ambientes que surgiram justamente como espaços de socialização.

Renato Simões do Geeks N’ Orcs. Foto: Arquivo pessoal.

“Os board games demandam uma troca de experiências e conhecimentos entre as pessoas, que há muito tinha se perdido com o surgimento dos smartphones. Esta variação de jogo ainda contribui para a conservação da saúde cerebral e o rejuvenescimento de suas funções”, comenta.

Outras vantagens oferecidas pelos jogos de tabuleiro são o alívio do estresse cotidiano, estímulo da criatividade e imaginação, e o incentivo da colaboração entre os participantes da brincadeira. “Ao simular cenários, se submeter a novas regras, procurar compreender a estratégia do adversário, tentar manipulá-lo e descobrir qual será o seu comportamento em rodadas futuras, o jogador ativa diversas áreas do cérebro e acaba propiciando o nascimento de novas habilidades”, destaca.

Community Inc: Jogo indie te desafia a criar a aldeia dos sonhos

Hoje vamos falar de um novo jogo indie que desafia os jogadores a criar uma comunidade feliz e realizar negociações com outras raças. Trata-se de Community Inc, produzido pelo estúdio T4 Interactive. Basicamente você é o comandante dos Lings, criaturas carismáticas que obedeceram todos os seus comandos, contudo eles tem a propensão de causar problemas, o que fará com que os objetivos do jogador não sejam tão fáceis de serem cumpridos.

O título é do gênero estratégia/simulação, de modo que erigir uma comunidade eficiente demandará esforços por parte dos jogadores, afinal, além do problema comportamental de seus Lings, há outros grupos com objetivos semelhantes, ou seja, embates podem ocorrer a todo o momento. O macete é que o game não se resume a um RTS tradicional, uma vez que é possível negociar com os grupos rivais ou até formar alianças estratégicas com eles. Há ainda outro fator que pode complicar a vida do jogador: as condições climáticas e alguns eventos surpresas.

Uma das tarefas mais recorrentes de Community Inc é a construção da aldeia dos sonhos. Neste quesito o título proporciona ao jogador uma série de opções de construções. O mais interessante é que elas trazem impacto no cotidiano dos habitantes da vila. Construa uma estrada, por exemplo, e a movimentação dos cidadãos será mais rápida. De acordo com a T4 Interactive, o game possui mais de 150 itens para construir.

Seus “minions” são os Lings, criaturas trabalhadoras e extremamente obedientes, porém – como dito acima – possuem problemas de atenção e comportamento. Se você desviar atenção eles podem começar brigas entre si ou incendiar sua aldeia. Cabe ao jogador mantê-los felizes e produtivos. Para isso, você deve providenciar salários, comida, roupas e um ambiente saudável. Você pode monitorar os status das criaturas o tempo todo. O importante é não deixá-los descontentes.

Um dos elementos mais impactantes são as condições climáticas. A chuva e a neve alteram o comportamento e a saúde dos pequenos operários. Assim, o jogador deve garantir que eles possuam as melhores armas e vestimentas. Vira e mexe surgem contratos que garantem “surplus”, a moeda corrente do game, que vão te ajudar a melhorar a vila e construir estruturas mais resistentes e grandiosas. Mas lembre-se: caso as coisas saiam do controle, basta vender a vila toda.

Community Inc já está disponível desde o início do mês para o Nintendo Switch e para a Steam. Se você curte games de estratégia em tempo real e elaborar estratégias variadas para alcançar um determinado objetivo, este game é para você!

Abaixo tem um trailer de Community Inc:

Liga Universitária de E-sports (LUE) começa dia 04, no Inatel

Já imaginou se tornar um pro-player de renome? Pois é isto o que muitos universitários sonham alcançar com a Liga Universitária de E-sports (LUE), evento que começa neste final de semana, de 04 a 06 de outubro, na cidade de Santa Rita do Sapucaí, MG. O evento deve reunir cerca de 400 participantes de 33 universidades de diversos estados. As tradicionais modalidades do campeonato estarão presentes: LOL (League of Legends), CS:GO (Counter-Strike: Global Offensive), FIFA, Clash Royale e HearthStone.

Além destes títulos, a organização do LUE também informou que este ano a competição promete envolver os participantes com atividades além dos esportes eletrônicos. O objetivo é elevar trazer mais entretenimento. O idealizador e organizador da LUE, Felipe Campos de Lima, aluno de Engenharia da Computação do Inatel, conta que tudo começou em 2016, quando teve a ideia de realizar um evento com este perfil e pediu apoio ao Inatel.

“Na primeira edição, para que conseguíssemos trazer competidores, procurei com um repórter especializado, que fez uma matéria e assim começaram a nos procurar, contamos com total apoio do Instituto e o evento tomou proporções surpreendentes e já está na quarta edição” destaca Felipe.

A abertura da Liga será na sexta, com credenciamento e uma festa no Diretório Acadêmico (D.A) para todos os participantes inscritos; os jogos, as fases em grupo e as classificatórias ficarão concentrados no sábado, e no domingo acontece a grande final. O objetivo desta edição foi manter a qualidade do evento e oferecer uma experiência diferenciada aos participantes, por isso, foi necessário realizar uma etapa classificatória devido à grande procura, assim foi possível limitar a 400 classificados.

Ainda haverá jogos de outras modalidades como entretenimento, com a novidade do Pub LUE, que funcionará na Área de Lazer do Inatel, voltada para a diversão dos participantes, com Beer Pong, truco e atividades não ligadas aos esportes eletrônicos, com telões para transmissões dos jogos, puffs para descanso. Todos os jogos serão transmitidos ao vivo nas mídias sociais da LUE. Os torcedores poderão contar também com uma área de organização de torcidas.

Os alunos do Inatel são voluntários para ajudar no LUE, ganham todo o uniforme, podem participar de todas as atividades, mas principalmente, se beneficiam com a experiência para seus currículos pela organização de um grande evento com repercussão nacional. O ginásio do Instituto e a sala de artes marciais se transformarão em alojamentos para as equipes visitantes, o salão de eventos será palco para os jogos de equipes, como FIFA e Clash Royale e, no prédio 6, acontecem as competições de LOL e CS:GO. Por fim, as finais serão no Teatro do Inatel, com uma atração que promete empolgar a todos. Você pode obter mais informações do evento aqui.

 

Premiações:

LoL | CS:GO

1º Lugar – R$1.000 | Troféu | Medalhas

2º Lugar – R$600 | Medalhas

 

FIFA | Clash Royale | Hearthstone

1º Lugar – R$500 | Troféu | Medalhas

2º Lugar – R$300 | Medalhas

Games Independentes, Jogos Nacionais, Produção de Games e muito mais.