Perfect World: saiba as novidades disponíveis na recente expansão Yggdrasil

A aguardada expansão do Perfect World chegou neste mês de janeiro com um mundo de possibilidades e desafios para os jogadores do RPG. Em “Yggdrasil”, as terras de Quedanunca se expandem, revelando novas regiões e um Céu Soberano cheio de desafios, além de novas missões, equipamentos e atualização da Saga do Herói. As principais adições incluem:

        • Novas regiões de Quedanunca: a expansão adiciona duas novas regiões ao continente de Quedanunca: o Vale Celestial e a Floresta do Despertar. Essas regiões oferecem novos desafios e recompensas para os jogadores.
        • Nova instância Palácio dos Sonhos: a nova instância é um desafio de cinco chefes que conta a história da princesa Xue Ji e seu amante, Shao Qing. As recompensas incluem equipamentos poderosos e títulos exclusivos.
        • Novo sistema de Viagem Mundial: o novo sistema oferece missões diárias e recompensas exclusivas para os jogadores que exploram Quedanunca.
        • Novo equipamento Palácio dos Sonhos: o novo equipamento oferece estatísticas aprimoradas e características únicas.
        • Atualização da Saga do Herói: a atualização adiciona uma nova missão de história sobre o Arqueiro Yi Yunyan.

 

Além dessas novidades, a expansão também incluiu uma série de melhorias e ajustes, como:

      • Aumento do nível máximo para 102: os jogadores agora podem alcançar o nível 102, desbloqueando novos desafios e recompensas.
      • Novos slots de habilidades de runas: os jogadores agora têm acesso a mais slots de habilidades de runas, permitindo que eles personalizem suas builds de forma mais flexível.
      • Aumento da vitalidade obtida ao enfrentar Espíritos do Céu: os jogadores agora recebem mais vitalidade ao enfrentar Espíritos do Céu, tornando mais fácil subir de nível.
      • Introdução dos Espíritos do Céu: Soberano: os novos Espíritos do Céu estão localizados perto do Jardim de Flores Murchas e oferecem desafios mais difíceis para os jogadores mais experientes.

A expansão Yggdrasil é uma adição significativa ao MMORPG Perfect World. Ela oferece uma série de novas atividades e desafios para os jogadores, tornando o jogo ainda mais envolvente e divertido. Para mais informações sobre Perfect World, visite a página oficial do jogo, assim como os perfis oficiais no InstagramFacebookYouTube e Discord.

Top 6 – Jogos que falam sobre relações de trabalho

O mundo do trabalho é um lugar cheio de desafios e oportunidades. Mas também é um lugar onde as relações humanas podem ser complicadas. Por isso, é sempre bom refletir sobre o assunto de forma leve e divertida. Nas relações de trabalho atuais passamos poucas e boas para conquistar o pão de cada dia. Algumas situações são até engraçadas nas relações de trabalho, ainda que sejam tensas também.

No mundo dos games, por outro lado, a diversão impera. Já pensou unir o mundo do trabalho e o mundo dos games? Pois é pensando nisso que elaboramos essa lista de jogos que retratam as relações de trabalho contemporâneas.

Esses jogos podem ajudar os jogadores a aprender sobre os diferentes tipos de relações de trabalho que existem. Por exemplo, um jogo sobre um funcionário pode ensinar aos jogadores sobre o relacionamento entre funcionário e chefe.

Eles podem ajudar os jogadores a refletir sobre o seu próprio papel no mundo do trabalho. Por exemplo, um jogo sobre um funcionário que é demitido pode fazer os jogadores pensar sobre a importância de estar preparado para o inesperado, enquanto um jogo sobre um empresário que fracassa pode fazer os jogadores pensar sobre a importância de assumir riscos.

Confira a nossa lista com os 5 melhores jogos sobre relações de trabalho.

 

1.  Não seja demitido

Esse jogo brasileiro é um clássico do gênero, inclusive já falamos dele aqui. O objetivo é simples: sobreviver ao ambiente de trabalho sem ser demitido. Para isso, você precisa cumprir as tarefas do seu chefe, lidar com os colegas de trabalho e evitar os perigos do escritório.

O jogo é cheio de humor e ironia, e retrata de forma bem realista os desafios do mundo corporativo. Por exemplo, você pode ser demitido por não cumprir as metas, por causar um acidente no escritório ou até mesmo por ser vítima de uma sabotagem dos seus colegas de trabalho.

Como o jogo retrata os desafios do mundo corporativo:

        • Você pode ser demitido se não conseguir cumprir as metas da empresa. Por exemplo, se você é um vendedor, pode ser demitido se não conseguir vender uma certa quantidade de produtos no mês.
        • Você pode ser demitido se causar um acidente no escritório. Por exemplo, se você derrubar um café quente em um computador, pode ser demitido por negligência.
        • Você pode ser demitido se for vítima de uma sabotagem dos seus colegas de trabalho. Por exemplo, se você estiver trabalhando em um projeto importante, seus colegas podem sabotá-lo para que você seja demitido.
        • O jogo é uma ótima maneira de aprender sobre os perigos do mundo corporativo e de como se proteger deles.

 

2. Overcooked!

Overcooked

Esse jogo é sobre culinária cooperativa em que você e seus amigos precisam trabalhar juntos para preparar e servir pedidos de clientes em um restaurante. O jogo é conhecido por seu ritmo acelerado e sua dificuldade, que podem levar a situações de estresse e conflito entre os jogadores.

O jogo é uma boa representação das relações de trabalho em um ambiente de ritmo acelerado e estressante. Por exemplo, você pode ter que lidar com clientes impacientes, com colegas de equipe que não estão cooperando ou com erros que podem levar a desastres.

O jogo é uma experiência divertida e desafiadora que pode ensinar aos jogadores a importância da comunicação e da cooperação no ambiente de trabalho.

Como o jogo retrata as relações de trabalho em um ambiente estressante:

        • Você pode ter que lidar com clientes impacientes que reclamam se o seu pedido não estiver pronto a tempo.
        • Você pode ter que lidar com colegas de equipe que não estão cooperando e que estão deixando você na mão.
        • Você pode cometer erros que podem levar a desastres, como servir um prato contaminado ou deixar um cliente esperando por muito tempo.

3. The Guild 3

Esse jogo de estratégia medieval permite que você crie e administre a sua própria guilda. Você precisa contratar funcionários, gerenciar recursos e competir com outras guildas.

O jogo é uma boa representação das relações de trabalho em um ambiente competitivo. Por exemplo, você pode ter que lidar com funcionários que são desleais, com clientes que são exigentes ou com concorrentes que são mal-intencionados.

Como o jogo retrata as relações de trabalho em um ambiente competitivo:

        • Você pode ter que lidar com funcionários que são desleais. Por exemplo, um funcionário pode tentar roubar seus segredos comerciais.
        • Você pode ter que lidar com clientes que são exigentes. Por exemplo, um cliente pode reclamar de um produto ou serviço que você oferece.
        • Você pode ter que lidar com concorrentes que são mal-intencionados. Por exemplo, um concorrente pode tentar sabotar sua guilda.
        • O jogo é uma ótima maneira de aprender sobre as complexidades das relações de trabalho em um ambiente competitivo.

 

4. Papers, Please

Esse jogo de simulação coloca você no papel de um oficial de imigração em uma nação totalitária. Você precisa analisar os documentos de entrada dos visitantes e decidir quem pode entrar no país.

O jogo é uma crítica ao autoritarismo e à burocracia. Por exemplo, você pode ter que decidir se deixa entrar um refugiado, se deporta um cidadão ou se confisca os bens de um viajante. Aqui você pode refletir se tudo o que lhe mandam fazer no trabalho é ético e moral.

Como o jogo critica o autoritarismo e a burocracia:

        • Você pode ter que decidir se deixa entrar um refugiado. Por exemplo, você pode Você pode ter que decidir se deixa entrar um refugiado que está fugindo de um regime cruel. Você pode ver o desespero em seus olhos, mas as regras do seu governo ditam que ele não pode entrar.
        • Você pode ter que deportar um cidadão simplesmente porque seu visto expirou por alguns minutos. Você sente pena da família dele que o espera do outro lado, mas não tem escolha.
        • Você pode ter que confiscar os bens de um viajante se encontrar alguma discrepância em seus documentos, mesmo que pareça um simples equívoco. O sistema não tolera erros.
        • O jogo é uma experiência profundamente moral que o fará questionar o papel das regras e a consequência de nossas decisões.

 

5. The Stanley Parable

Esse jogo de aventura é um pouco diferente dos outros da lista. O objetivo é seguir as instruções do narrador, mas você pode escolher fazer o que quiser.

O jogo é uma reflexão sobre a liberdade e a escolha no ambiente de trabalho. Por exemplo, você pode decidir seguir as regras do seu chefe ou fazer as suas próprias escolhas.

Como o jogo reflete sobre a liberdade e a escolha no ambiente de trabalho:

        • O narrador pode lhe dar instruções, mas você não é obrigado a segui-las. Você pode optar por ignorá-lo e fazer o que quiser.
        • Você pode encontrar diferentes finais dependendo das escolhas que você fizer. Algumas escolhas levam a um final feliz, enquanto outras levam a um final ruim.
        • O jogo questiona a ideia de que a liberdade de escolha existe no ambiente de trabalho. Muitas vezes, as nossas escolhas são limitadas pelas regras e expectativas da empresa.
        • O jogo é uma experiência filosófica que o fará pensar sobre o seu papel no mundo do trabalho e sobre as escolhas que você faz.

6. eatventure

EatVenture é um jogo de gerenciamento de restaurantes para dispositivos móveis. No jogo, você começa com uma barraquinha de limonada e, com o tempo, pode expandir seu negócio para um restaurante completo.

O jogo é uma boa representação das relações de trabalho em um ambiente de negócios competitivo. Por exemplo, você pode ter que lidar com clientes exigentes, com concorrentes que estão tentando roubar seus clientes ou com funcionários que estão tentando sabotar seu negócio.

O jogo é uma experiência divertida e desafiadora que pode ensinar aos jogadores a importância da estratégia, da inovação e da competitividade no ambiente de trabalho.

Como o jogo retrata as relações de trabalho em um ambiente competitivo:

        • Você pode ter que lidar com clientes exigentes que reclamam se a comida não estiver do jeito que eles querem.
        • Você pode ter que lidar com concorrentes que estão tentando roubar seus clientes oferecendo preços mais baixos ou produtos mais exclusivos.
        • Você pode ter que lidar com funcionários que estão tentando sabotar seu negócio, como roubando alimentos ou dando informações confidenciais aos concorrentes.
        • EatVenture é um jogo divertido e desafiador que pode ensinar aos jogadores a importância da estratégia, da inovação e da competitividade no ambiente de trabalho.

 

Esses são apenas alguns dos muitos jogos que abordam o tema das relações de trabalho. Se você está procurando uma maneira divertida e reflexiva de pensar sobre o assunto, vale a pena dar uma olhada nesses títulos. E você consegue imaginar mais algum jogo que fale sobre o trabalho formal? Poste nos comentários!

ANÁLISE – Starfield é um bom RPG, nada mais, nada menos

Não é muito difícil definir o que é realmente Starfield. Para muitos com expectativas bastante altas, talvez tenha havido uma neblina que fez com que enxergassem o jogo como uma grande aventura de exploração no espaço, nos moldes de jogos que fazem isso muito bem, como Outer Wilds e No Man’s Sky (este último, após muitas atualizações). Mas a verdadeira definição de Starfield é que se trata de um RPG ambientado no espaço que utiliza elementos de exploração a seu favor. Isso não é, no entanto, o foco principal do jogo, e essa parte é tratada de forma decente, mas não primorosa.

Minha experiência com Starfield:

Em Starfield, você assume o papel de um “zé ninguém” que estava trabalhando quando ocorreu um incidente. A partir desse ponto, você define suas características, seu passado e alguns aspectos de seus atributos. Em seguida, você é lançado em um vasto universo e pode (na verdade, deve) seguir a campanha principal, que envolve a busca por misteriosos artefatos e a descoberta do que está por trás de tudo isso.

Para mim, a campanha levou cerca de 30 horas, mas confesso que realizei algumas tarefas extras, então esse tempo pode ser reduzido. A duração é boa o suficiente para que você se sinta envolvido pelo jogo e decida se deseja ou não explorar mais além da trama principal.

Essa campanha presente em Starfield é facilmente uma das melhores da Bethesda. Não que isso seja difícil; conheço poucas pessoas que afirmam amar a história principal dos maiores clássicos da produtora, como Skyrim, e o mesmo se aplica a Fallout e outros. Mas aqui deu certo, a história é divertida, tem seus momentos de excelência e, sem dar muitos detalhes, é bastante intrigante e fundamental para que você compreenda o jogo.

A história flui muito bem e você não se sente sobrecarregado, embora haja uma certa repetição, como coletar artefatos e poderes que você desbloqueia. Tudo é bastante orgânico e repleto de personagens interessantes e úteis ao jogador. Mesmo que eu não tenha explorado profundamente o sistema de tripulação do jogo, ficou claro para mim que os personagens secundários são relevantes e um grande acerto no jogo.

Após concluir a campanha, o jogador se depara com a possibilidade de “new game plus”, o que com certeza torna as coisas ainda mais intrigantes. Não vou contar o que acontece, mas você pode refazer eventos e ter outras possibilidades narrativas, agora sabendo exatamente como jogar, e com certeza vai querer ir além do que já havia feito.

As atividades presentes no jogo incluem missões secundárias, trabalhos para facções, exploração de planetas em busca de recursos, entre outras. Todas elas oferecem recompensas justas ao jogador; algumas são trabalhos árduos, como a coleta de minérios e plantas, enquanto outras são mais rápidas. No entanto, todas estão disponíveis e oferecem uma variedade de experiências. Você pode trabalhar para a polícia espacial e realizar várias missões lucrativas ou entrar no mundo do crime, até mesmo se infiltrar em uma facção criminosa. O jogo não economiza em missões paralelas divertidas.

É um RPG, portanto, há um sistema de evolução:

Em Starfield, tudo o que você faz gera experiência e faz seu personagem subir de nível. Confesso que terminei a campanha no nível 30 e ainda não havia desbloqueado todas as habilidades. Portanto, provavelmente é no final do jogo que você aproveitará ao máximo o potencial do seu personagem.

Existem seis categorias de árvores de habilidade, abrangendo aspectos que vão desde habilidades técnicas até sociais. Cada uma delas é fundamental em diferentes situações. Você não precisa comprar todas as habilidades de uma vez; pode adquirir aquelas que considerar úteis e evoluí-las ao longo do jogo. No entanto, algumas habilidades são essenciais, como persuasão, hacking, mira da nave e capacidade de carga. Esta última é especialmente importante, pois acumular muitos itens pode sobrecarregar rapidamente o personagem, e o peso excessivo é punido em Starfield.

Ao longo do jogo, você compra e melhora suas habilidades, realizando desafios associados, como matar inimigos com uma pistola para desbloquear níveis mais altos de habilidade com essa arma. Para ganhar pontos de melhoria, você sobe de nível, com cada nível concedendo um ponto adicional, além de aumentar ligeiramente seus pontos de vida.

Em resumo, achei o sistema de níveis simples e eficaz.

Sistema de armas e trajes:

As armas em Starfield são um dos pontos fortes do jogo. Seu belo design é admirável, e as animações e a sensação de usá-las são únicas. Combater inimigos neste jogo é muito mais satisfatório do que em outros jogos da produtora, e você se sente incentivado a experimentar os diversos tipos de armas disponíveis.

Além do combate, o jogo permite que você modifique as armas e adicione acessórios que melhoram seu desempenho ou alteram seu comportamento. Esse sistema é detalhado e exige que você encontre bancadas específicas e colete os recursos necessários para fazer as modificações. A coleta de recursos nos planetas do jogo é, portanto, de grande importância.

Os trajes presentes no jogo variam em termos de atributos e podem proteger o jogador contra elementos nocivos, como toxicidade e radiação, além de fornecer defesa contra ataques físicos e energéticos. Também é possível modificar e melhorar os trajes de forma semelhante ao sistema de armas.

Stealth e persuasão: precisam de melhorias.

Em Starfield, o jogador pode adotar abordagens diferenciadas em combates, optando por ser furtivo ou agressivo. Além disso, existem momentos em que é possível resolver conflitos através de persuasão ou intimidação. No entanto, a mecânica de persuasão e outras habilidades sociais funcionam de maneira instável. Por exemplo, ao escolher linhas de diálogo, você pode não ter certeza se terá sucesso ou não. Em alguns casos, é possível acalmar um personagem extremamente nervoso com frases simples, o que pode parecer abrupto.

Falta um pouco de profundidade nesse aspecto, como a necessidade de conhecer melhor os personagens para desbloquear diálogos secretos que proporcionem mais influência sobre eles.

O stealth também é inconsistente, muitas vezes não oferecendo penalizações significativas ou alterações na narrativa, o que torna a abordagem mais agressiva a melhor opção na maioria das vezes.

Navegação no espaço:

“Starfield não é um GTA no espaço, você não pode viajar de planeta em planeta sem passar por menus e telas de carregamento.”

Essa afirmação é a realidade do jogo. Todo o sistema de visitar planetas funciona por meio de menus e telas de carregamento. Antes de pousar em um planeta, você pode encontrar alguém para conversar ou entrar em batalhas espaciais, mas todo o resto envolve essas telas de carregamento.

No entanto, o combate entre naves é divertido. Pode demorar um pouco para você aprender, mas com o tempo você pega o jeito. Seu objetivo é destruir a nave inimiga, mas também é possível danificar seu motor e deixá-la parada no espaço, o que permite que você a aborde e roube itens, incluindo a própria nave.

Cada nave possui duas barras de vitalidade, escudo e fuselagem, que requerem armas específicas para serem danificadas. Isso se relaciona com o sistema de melhoria e modificação de armas.

Sistema de naves: complexo e desnecessário

O sistema de personalização de naves em Starfield é complexo e opcional. Você pode “projetar” sua própria nave, mas não há uma motivação clara para fazer isso, já que a atividade não é muito convidativa e pode afetar negativamente o desempenho da nave. É possível salvar o progresso e carregar o jogo para tentar novamente, mas a complexidade desse sistema pode desencorajar muitos jogadores.

No entanto, alguns entusiastas conseguiram criar naves impressionantes, como a Falcon de Star Wars e a Normandy de Mass Effect, o que mostra as possibilidades desse sistema.

Sistema de naves parte 2: a parte fácil

O jogo oferece um sistema de melhoria da nave mais simples, onde você pode comprar peças na loja para melhorar o desempenho dela. Essas peças afetam o combate, como aumentar o dano ao escudo ou à fuselagem, ou mudam a forma como a nave se move e lida com os tiros inimigos.

Enfrentando obstáculos no espaço:

Além das batalhas espaciais, você pode encontrar eventos ao entrar em órbita ou pousar em planetas. Esses eventos podem envolver ajudar alguém, conversar com personagens ou até mesmo enfrentar as autoridades espaciais. Embora o roubo não seja uma atividade impeditiva, você pode ser punido, pagando multas ou até mesmo ficando preso, o que resulta na perda de itens.

O jogo não é completamente equilibrado em relação ao combate, às vezes colocando inimigos de níveis muito diferentes, o que pode tornar as batalhas desafiadoras. No entanto, algumas mudanças na estratégia de movimento podem virar o jogo a seu favor.

Starfield: o melhor jogo da Bethesda?

É difícil afirmar categoricamente, uma vez que o jogo certamente receberá melhorias ao longo de seu ciclo de vida. A versão atual, no entanto, é definitivamente um bom jogo, mas longe de ser inesquecível. Isso se deve em parte ao fato de que Starfield segue a fórmula da Bethesda vista em Fallout, compartilhando alguns dos mesmos problemas, como animações de diálogo sem muita expressão e um combate, embora satisfatório, bastante simplista. A sensação de jogar algo familiar persiste, e a falta de um veículo terrestre para navegar nos planetas pode ser incômoda, especialmente quando os objetivos estão distantes e as condições climáticas ou a toxicidade podem penalizar o jogador.

No entanto, mesmo com altos e baixos, Starfield merece sua atenção, especialmente em relação à campanha principal. Ela o convida a explorar o universo por cerca de 30 horas, se divertir e conhecer esse mundo antes de tomar sua decisão de querer se envolver ainda mais com o jogo (a conclusão da história está relacionada a isso).

Texto por: Victor Cândido