Todos os posts de Luiz Silva

Luiz Silva, jornalista de games formado pela Universidade Paulista. Já escreveu para as revistas da Tambor Digital (EGW, Gameworld), para o site Player 2 entre outras coisas. "Sou um entusiasta por videogames, apesar de jovem já tive até um Atari, minha série favorita é Silent Hill".

Etermax lança ADIVINHADOS, game mobile para mentes curiosas

A sugestão do dia é para quem curte desafios que envolvam o pensamento rápido e lógico. Desenvolvido pela Etermax (PERGUNTADOS), o jogo ADIVINHADOS coloca o gamer em um parque de enigmas onde conhecimento, vocabulário e agilidade levam à vitória. O título é facilmente reconhecível por fãs do jogo de tabuleiro indiano Moksha Patam.

O objetivo de ADIVINHADOS é estimular o pensamento, a criatividade e a perspicácia por meio da resolução de enigmas. Aqui você acompanha Gallerino, personagem que precisa da ajuda dos mais sábios e capazes para descobrir as palavras escondidas nos degraus que levam ao topo de um tabuleiro crescente com cem cadeados. Entretanto, chegar ao topo na é tarefa fácil, já que você deve desafiar amigos, familiares ou adversários aleatórios, além de solucionar quebra-cabeças que aparecem no meio da aventura.

Durante as partidas os jogadores ganham moedas, que também podem ser compradas na loja de ADIVINHADOS, e conquistam prêmios em missões que garantem novas oportunidades no jogo. Ao vencer, recebem medalhas que liberam atrações colecionáveis de diferentes ilhas e desbloqueiam outras novas.

“Lançamos globalmente um novo desafio para mentes curiosas. Um jogo que diverte, destaca o valor e a importância das palavras como ferramenta para otimizar o pensamento e, ao mesmo tempo, nos permite compartilhar o conhecimento com os amigos, a família e outros usuários”, afirma Frederico Segovia, diretor de Produtos de ADIVINHADOS na Etermax. “É possível jogar ADIVINHADOS em qualquer hora e lugar, afinando sua memória, melhorando seu vocabulário e testando sua cultura geral, tanto em português, como em outros idiomas que deseje treinar”.

Como jogar ADVINHADOS

A partida começa quando o jogador gira a roda que define quantas casas ele deve avançar e mostra a pergunta. Depois, em 30 segundos, é preciso preencher os espaços em branco com as letras disponíveis e que respondam corretamente à pergunta proposta.

Todas as etapas contam: se o jogador encontrar uma escada no meio do caminho, poderá utilizá-la como atalho para cumprir o objetivo. Já se achar um escorregador, voltará algumas casas. Durante a trajetória também são oferecidas inúmeras oportunidades e novos desafios. Enquanto sobe as escadas e avança no game, o jogador pode coletar moedas ou ter que responder enigmas consecutivos para seguir em frente.

Aquele que subir mais rápido e alcançar a linha de chegada se torna o vencedor e recebe medalhas, que podem ser usadas para adicionar itens às atrações das ilhas colecionáveis. A cada nova ilha que ficar completa, uma nova é desbloqueada. ADIVINHADOS está disponível para Android e iOS.

 

SAGA lança série de aulas online, gratuitas e abertas para interessados em arte digital

 

 

 

 

Open Class SAGA será transmitida ao vivo semanalmente no canal do YouTube da escola.

Sempre quis aprender arte digital, mas não teve tempo, nem dinheiro? Pois bem, suas desculpas acabaram! Em época de quarentena a SAGA, School of Art, Game and Animation, acaba de estrear nesta quinta-feira, 2 de abril) uma série de aulas gratuitas para quem estiver interessado. Para acompanhar, basta acessar o canal da SAGA no YouTube. A iniciativa é muito bem vinda e pode trazer um alívio a quem está sem ideias do que fazer neste período tão crítico.

De acordo com a SAGA, as aulas serão transmitidas ao vivo semanalmente e o conteúdo foi planejado para atender tanto a alunos da maior rede de escolas de desenvolvimento de games, arte digital, design e efeitos visuais do Brasil, como curiosos pelo assunto, de todas as idades. Ou seja, mesmo que você não esteja familiarizado com arte digital, dá paea acompanhar tranquilo.

A primeira aula foi ministrada pelo professor Daniboy e mostrou como criar personagens digitais em 3D com o programa ZBrush, da Pixologic. Com o tema Do Concept ao 3D, a aula abordou desde a ideia inicial do concept 2D até a finalização do processo em 3D. Além disso, o professor da SAGA também bateu um papo online com os participantes sobre o mercado, mostrou projetos de sua autoria e deu dicas para quem pretende trabalhar nessa área. As próximas aulas serão divulgadas em breve no Facebook e Instagram da SAGA. Então é importante ficar de olho.

Mais informações sobre a SAGA e seus cursos estão disponíveis no site da instituição de ensino.

Nimo TV incentiva mulheres gamers com seus canais de streaming

Após a Pesquisa Game Brasil de 2019, realizada pela Sioux Group, Blend New Research e Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), o mercado pôde constatar um fato interessante: as mulheres estão dominando o mundo dos games (cerca de 53% das pessoas que jogam são do sexo feminino). Ciente dessa hegemonia, a Nimo TV, plataforma de streaming com foco na transmissão de jogos eletrônicos, tem apostado alto no público feminino em seus programas.

A Nimo TV conta em seu hall de talentos nomes como LOUD Babi, LOUD Mii e LOUD Voltan, do time LOUD; Mari, do Los Grandes; Korah do Black Dragons; e Lucroft do grupo Buique. No estilo “lifestyle” são 21 streamers, com destaque para Karen Camila, DEUSA_FF e Lyah Mendes, que atingem números expressivos de engajamento. O objetivo é conquistar tanto as mulheres que jogam casualmente no smartphone, como as que jogam online e participam de competições mundo afora.

“A história de que os games eram vistos como algo quase que exclusivo do público masculino é velha e já caiu por terra há muito tempo. Cada vez mais as mulheres conquistam seu espaço dentro da indústria e em todas as áreas, seja em desenvolvimento, streaming ou como atleta profissional de esport. A plataforma quer reconhecer isso cada vez mais”, comenta Rodrigo Russano Dias – gerente de Marcas e PR na Nimo TV.

Mari é a recém chegada na Nimo TV. Streamando há pouco mais de três meses, tem 20 anos, conta com quase 30 mil seguidores e é a única mulher da equipe Los Grandes, que conta com 10 membros. Assim como vê seu público crescer a cada dia – suas lives chegaram a ter mais de 15 mil usuários simultâneos assistindo -, ela aprende a lidar com as dificuldades, como os comentários machistas e fora de contexto. Outra promessa da Nimo TV é Lucroft, que streama há três anos, mas sempre foi apaixonada pelos games. Ela faz parte do grupo de streamers Buique, que tem sua base fincada na diversidade de gênero e luta contra o preconceito. Por ser uma mulher trans, sua busca por um lugar de destaque no mundo dos games é grande.

“Escutei que isso nunca daria em nada ou que nunca sairia do lugar. E aqui estou eu! Tendo pessoas que me apoiam, tendo uma plataforma que está presente no que eu precisar! Isso é gratificante, me faz ver o quanto sonhos podem se tornar realidade. Como mulher trans fico ainda mais emocionada por poder mostrar a outras que elas não estão só e que cada uma pode chegar onde quiser, basta acreditar em si mesma”, relata.

Entre os jogos preferidos do público feminino estão Free Fire, GTA V e Dead by Daylight, que também são streamados por Korah, Lucroft e Mari, na Nimo TV.

Jaguareté: O Encontro – RPG brasileiro foca nos primeiros contatos entre europeus e indígenas

Um dos períodos históricos mais importantes da história foi o descobrimento do Brasil pelos europeus, não por acaso é um dos temas mais estudados por historiadores e pesquisadores de centenas de universidades país afora. É justamente esse contato entre os nativos e os colonizadores que deram o pano de fundo para Jaguaretá: O Encontro, livro de RPG criado por estudantes da UFPR (Universidade Federal do Paraná), que acaba de ser lançado.

Jaguareté: O Encontro” é ambientado no período do primeiro contato entre os europeus e os povos nativos ocupantes do território que viria a ser chamado de Brasil. Diferente de outros RPGs que já abordaram o assunto, o material produzido pelo Museu inova por focar a visão de mundo das etnias indígenas que aqui viviam e pelo rigor acadêmico do conteúdo. A ideia é que os leitores possam entender mais sobre a cultura indígena.

O projeto recebeu bastante atenção dos membros envolvidos no desenvolvimento, a fim de trazer fidelidade histórica. Tanto é que para a construção do cenário e dos personagens os alunos realizaram um amplo trabalho de pesquisa com fontes etno-históricas e etnográficas. O objetivo foi recriar tão aproximada quanto possível, das cosmologias e práticas sociais dos diversos grupos étnicos presentes no Brasil Colonial. Assim, animais, seres míticos, corporalidades, faces, vestimentas, armas, habitações, enfeites, práticas curativas, encantamentos, remédios e venenos foram cuidadosamente pensados, desenhados e narrados em suas relações cotidianas neste livro.

Segundo Fábio Marcolino, idealizador e produtor cultural de Jaguareté, o RPG é uma ferramenta pedagógica para a imersão em uma cultura diferente da nossa, pois possibilita enxergar o mundo com outros olhos. O jogo foi desenvolvido por alunos bolsistas de graduação das áreas de ciências sociais, história, design e artes visuais participantes de projetos de extensão universitária do MAE, orientados pela então chefe da Unidade de Etnologia do MAE-UFPR e professora do Departamento de Antropologia da UFPR (DEAN-UFPR) Laura Pérez Gil (atual diretora do MAE) e pela historiadora do MAE-UFPR Bruna Marina Portela.

“Apesar de esse encontro [entre europeus e indígenas no século XVI, onde está ambientado o jogo] ser um encontro interétnico, nós tentamos dar uma ênfase à perspectiva indígena. Como estes indígenas estão no mundo? Como se relacionam com os outros? Como é o ambiente no qual eles vivem? Nós tentamos trazer um pouco desta perspectiva que geralmente não está presente na escola.” disse a professora Laura Pérez Gil, durante o lançamento do Jaguareté em 2014.

Além da versão física, é possível baixar e ler online gratuitamente o Jaguareté: O Encontro pelo Issuu e também baixar gratuitamente na página da Editora o PDF.

 

Serviço: “Jaguareté: O Encontro” disponível para venda

Valor: R$ 100,00

Como Adquirir: http://www.editora.ufpr.br/portal/livros/jaguarete_o_encontro/

Projeto de YoDa, (YoGamers do Bem – YGD) realiza o sonho de jovens gamers brasileiros

Felipe “YoDa” Noronha, empresário, atleta de eSports e uma das principais celebridades gamers do Brasil, resolveu usar seu conhecimento sobre eSports para criar um projeto social que tem potencial para transformar a vida de muitos jovens jogadores. Intitulado YoGamers do Bem (YGB), o projeto tem como objetivo levar conhecimento sobre eSports, games, diversidade e empreendedorismo para alunos de escolas públicas.

Basicamente o YGB promove a inclusão social e capacitação de jovens de escolas públicas para os mercados de games e tecnologia, sem fins lucrativos. A ideia é inaugurar diversas salas gamers por todo o país. Uma das apoiadoras do projeto é a HyperX, marca gamer da Kingston Technology, que fez a doação de kits de periféricos, com teclado, mouse, mousepad e headset para todas as máquinas.

O Yogamers do Bem oferece aulas no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, onde foi instalada a sala Gamer YGB/BHA, em parceria com a Fundação Cultural Chico Xavier e as Secretarias de Educação e Cultura de Pedro Leopoldo, Lagoa Santa e Confins, municípios atendidos pela iniciativa. Atualmente, o YGB beneficia 80 (oitenta) crianças e adolescentes na faixa etária entre 10 (dez) anos e 16 (dezesseis) anos, de ambos os sexos, em atividades e oficinas realizadas na sala Gamer do BHA, residentes nos municípios de Pedro Leopoldo, Lagoa Santa e Confins, que participarão do projeto durante o contraturno escolar.

A novidade a partir desse ano é a oferta de um curso extra opcional de 40 horas para aos alunos entre 14 e 15 anos. A nova proposta oferece aos jovens a qualificação para atendimento ao público, com conteúdos referentes à comunicação assertiva, postura, linguagem corporal, entre outros. O curso extra acontecerá somente no segundo semestre, às sextas feiras, das 13h às 17h, e deverá ser autorizado pelos pais/ responsáveis.

YoDa reforça que, de fato, o objetivo principal do projeto é a inclusão social de crianças e jovens, o envolvimento da comunidade e a descoberta de diversas áreas que envolvem o mercado gamer. “O game mudou a minha vida e pode transformar a vida de outras pessoas também. O jogo ajuda no desenvolvimento de habilidades, como estratégia, concentração e resiliência, favorece a socialização e a integração entre as pessoas, e já é realidade como profissão, carreira e fonte de renda”, destaca. “Desde 2015, os projetos sociais fazem parte das nossas atividades e, agora, o Instituto YoGamers do Bem será um marco histórico.”

Razer e Razer Gold promovem festa rave online com 24h de duração e sorteios de produtos e créditos

O isolamento social não é sinônimo de ficar trancafiado em casa entediado. Para ajudar a manter a calma e o alto astral em casa, a Razer e o Razer Gold, crédito virtual unificado que pode ser usado em todo o mundo para comprar jogos digitais e conteúdos de mais de 33 mil títulos, promovem nesta sexta-feira, 27, o Cloud Clubbing, uma rave online com 24 horas de duração. A intenção é animar a vida de quem vai aproveitar o tempo em casa para uma bela jogatina.

Durante o evento, serão sorteados um headset Razer Kraken e, de hora em hora, créditos virtuais Razer Gold. A ação acontece em parceria com a Bigo, aplicativo gratuito para transmissão de vídeos ao vivo, e a Zouk, rede de boates em Singapura, e espera alcançar as pessoas do mundo todo por meio da música, tecnologia e interação virtual.

O Cloud Clubbing começa nesta sexta-feira às 9h (hora de Brasília) e vai até a manhã de sábado. Para participar, basta baixar o aplicativo Bigo Live e acompanhar a transmissão pelo canal da Razer (Bigo ID: Razer). Durante a live streaming o público ainda poderá interagir via chat com os DJs da Zouk que fazem a transmissão usando várias funções do Bigo Live, como o envio de presentes virtuais transacionados com créditos Razer Gold.

Galápagos disponibiliza jogos de tabuleiro e cartas gratuitos para baixar e jogar em casa

Entediado e sem saber o que fazer durante a quarentena do Covid-19? Que tal reunir a família e jogar games de tabuleiro? A Galápagos está disponibilizando jogos de tabuleiro e cartas gratuitos para baixar e jogar em casa. Basta acessar o site, imprimir e jogar em casa. O melhor é que são versões de degustação de títulos de sucesso como Escape Room, SET e Timeline. A ação é parte do movimento #fiqueemcasa, que visa o distanciamento social para barrar a epidemia do novo Coronavírus.

Em um cenário caótico em que as crianças e adolescentes permanecem em casa e pais trabalhando em home office, não há muitas alternativas para manter o entretenimento familiar. A Galápagos Jogos acredita que os jogos de tabuleiro apresentam-se como uma opção ao mesmo tempo divertida, estimulante e interativa, além de uma alternativa para não deixar as crianças o dia todo de frente para a TV ou o tablet. Os jogos disponibilizados pe Galápagos são:

Timeline

Uma ótima opção para levar conhecimento às crianças mesmo estando fora da escola. Neste jogo que promove o conhecimento dos grandes fatos da história, o primeiro a posicionar corretamente todas as suas cartas numa linha do tempo será o vencedor. Será que a lâmpada foi inventada antes do primeiro voo de balão? A escova de dentes era usada nessa época? O avião já existia? Um jogo simples, rápido e inteligente que estimula adultos e crianças.

Black Stories

Uma consagrada série de enigmas em cartas para 2 a infinitos participantes. Uma pessoa lê uma história misteriosa que deve ser desvendada pelos demais com perguntas que só podem ser respondidas com “sim”, “não” ou “irrelevante”. Um convite para explorar o potencial investigativo!

SET

Foco, visão aguçada e reflexos rápidos: é isto que uma partida de SET propõe a seus participantes. Considerado o jogo de percepção visual mais famoso do mundo, foi ganhador do Mensa Select, um prêmio da reconhecida organização global que estuda o desenvolvimento da inteligência. SET é rápido, desafiador e estimula os jogadores a identificarem padrões, cores e formas para completarem um conjunto com as imagens das cartas. Um verdadeiro exercício para o cérebro!

Escape Room (novidade!)

O jogo original ainda nem foi lançado nas lojas, mas a Galápagos disponibilizou uma degustação desse produto que traz toda a emoção dos jogos de escape room para dentro de casa. Na história que pode ser baixada, o jogador terá apenas 15 minutos para resolver enigmas e puzzles e conseguir escapar de uma prisão, livrando-se da ameaça de uma gangue de malfeitores. A versão completa do jogo vem com 4 aventuras de 60 minutos e um decodificador digital físico.

Para baixar a degustação dos jogos, basta ir à página da campanha Imprima e Jogue aqui. A Galápagos promete trazer ainda outras novidades ao longo da semana, então os interessados devem ficar de olho.

Plague Inc. – Conheça o game que desafia o jogador a espalhar vírus por todo o mundo

Um vírus surge em uma pequena cidade do interior da China, as pessoas seguem suas rotinas sem que suspeitem que algo esteja ocorrendo. Rapidamente a virose infecta centenas de pessoas e, ainda sem notificação pública, aviões exportam a doença para outras regiões do mundo. Logo em seguida, o vírus evolui, torna-se mais facilmente transmissível e mortal. As autoridades se dão conta do que está ocorrendo, mas qualquer ação parece tardia. O vírus infectou e matou milhões de pessoas em todas as partes do mundo. Parece o roteiro tirado da vida real, mas trata-se do pano de fundo de Plague Inc. o jogo lançado em 2012 pela Ndemic para dispositivos mobile e que voltou a lista dos mais baixados da App Store graças ao surto da Covid-19.

Plague Inc. trata-se de um RTS que desafia o jogador a plantar uma endemia em qualquer lugar do mundo, transmiti-la por todos os continentes e evoluí-la até que se torne a maior doença que o mundo já viu. O objetivo é aniquilar toda a vida humana antes que cientistas desenvolvam a cura. Sua endemia pode ser uma bactéria, um fungo, um vírus ou até um parasita. O macete é usar os pontos de DNA para tornar sua praga mais adaptada a diferentes ambientes e tornar-se mais mortal.

O título já foi baixado mais de 85 milhões de vezes desde seu lançamento e conseguiu um novo boost com a recente pandemia, assim como ocorreu durante o surto do Ebola em 2014. O interessante mesmo é que a jogabilidade é simples, e bastante viciante, mas com um tom de dificuldade acentuada. Você pode passar horas tentando fazer uma nova doença destruir os governos de todos os países.

Em tempos de Covid-19, há quem imagine que Plague Inc. pode parecer de extremo mau gosto, entretanto, o game pode até se mostrar educativo ao passo que conta com dinâmicas realistas para mostrar como um vírus se espalha. Basta observar que em países com população maior e com aeroportos movimentados as doenças tendem a se espalhar mais facilmente. Além disso, o game conta com notificações das medidas que os países estão tomando para combater a infecção. Algumas se mostram extremamente eficientes, tais como fechar aeroportos e impor medidas que restringam a livre circulação entre as pessoas.

Plague Inc. é uma ótima pedida para tempos de quarentena e que você quer mais informações sobre como doenças se proliferam. Uma forma de aprender brincando. Ao menos aqui você pode espalhar um vírus de maneira rápida e segura. Infelizmente nem todos pensam assim, tanto que o game foi banido na China. O título está disponível para iOS e Android. Há ainda uma versão melhorada para Steam.

Abaixo você vê um trailer de Plague Inc.:

 

Illis – Estudantes da Fatec Carapicuíba criam game contra feminicídio

O Brasil é um dos campeões em feminicídio em todo o mundo, portanto cada iniciativa para combater a violência contra mulheres é bem vinda. Uma das iniciativas veio de dois estudantes do curso superior tecnológico de Jogos Digitais da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) Carapicuíba na forma de um jogo eletrônico. Illis coloca personagens de um livro de ficção para atuar na vida real, ou melhor, na vida “virtual”, a fim de combater a violência contra as mulheres. Basicamente trata-se de um game em realidade aumentada para despertar nos jovens a consciência sobre a necessidade de enfrentar o triste desafio social.

Illis vem do latim e significa “por elas”. Idealizado pelos estudantes Tayla Caroline Dantas e Mario Henrique Silva, o título foi apresentado no final de 2019 como trabalho de conclusão de semestre na faculdade. A trama envolve a história de duas personagens, Marie e John, protagonistas do livro Queimem as Bruxas, um livro lançado também pelos alunos. A dupla sai do livro e percebe que após séculos de caça às bruxas, as mulheres ainda continuam sendo perseguidas sem nenhum motivo. A partir daí, o casal passa a fazer parte do jogo e precisa avançar pelos cenários salvando as vítimas de ataques dos inimigos.

Cada página do livro corresponde a uma aventura diferente. A pessoa joga com a câmera do celular apontada para o livro. Ao virar a folha, o cenário muda junto. Tayla conta que a proposta surgiu como uma forma de expressar o descontentamento dos alunos diante da escalada da violência.

“Presenciamos casos de agressões envolvendo mulheres conhecidas. Essas situações nos incomodavam, então resolvemos agir utilizando a ferramenta que trabalhamos no nosso dia a dia: a tecnologia”. De acordo com Tayla, o objetivo do game é chamar as atenções para crimes e abusos contra mulheres. “Utilizamos a linguagem figurada para chamar a atenção das pessoas para que possam intervir e denunciar os crimes”, diz Tayla.

De acordo com os autores, Illis deverá estar disponível para Android ainda neste ano e o livro também poderá ser baixado gratuitamente na internet.

Startup cria game inédito e gratuito sobre o novo Corona Vírus

A essa altura você já sabe que o Covid-19 não é brincadeira, entretanto é possível aprender mais sobre ele jogando! Pelo menos é isso que o pessoal do estúdio Play2Sell, empresa de storytelling e gamificação voltada para vendas, pensou ao desenvolver o game mobile Corona Vírus, teste seus conhecimentos. Basicamente ele se apresenta na forma de um quiz para que o jogador aprenda mais sobre como se prevenir e evitar contaminação pelo vírus.

“Nossa intenção é, de uma forma leve e agradável, organizar o conhecimento que precisa ser veiculado neste momento”, conta Felipe dos Santos, CEO da Play2Sell. O jogo para celular é gratuito, se chama Corona Vírus, teste seus conhecimentos e pode ser acessado nas lojas Apple Store e Google Play. Outro aspecto interessante é que o jogo é uma opção de lazer educativo individual, em um momento de preocupação com encontros presenciais e aglomerações.

O título é bem simples: basicamente são lançadas perguntas de verdadeiro ou falso e o jogador deve responder as perguntas sobre a pandemia que assola o mundo. “Corona Vírus, teste seus conhecimentos” trata da definição, prevenção, sintomas, atitudes práticas e como distinguir notícias falsas – as famosas fake news – de verdadeiras. Quem conduz a narrativa é um médico, Caio, que convida o jogador a fazer uma viagem pelo mundo do Corona Vírus.

“Nossa vantagem é usar uma linguagem ágil e intuitiva, que facilita a fixação de conteúdos. A Play2Sell quer mostrar que é possível utilizar essa linguagem em um momento tão sensível da sociedade”. Felipe lembra que o conteúdo foi pensado para adolescentes a partir de 12 anos e que ele complementa o conteúdo escolar. “Em meio a tanto conteúdo disponível na TV e Internet, nós optamos pelo formato interativo. Como o jogador se envolve, ele fixa as informações e pode jogar em grupo, o que aumenta ainda mais a troca de informações.”

O título é bastante indicado para quem quer aprender a se prevenir e instruir as crianças a como evitar o contágio. A iniciativa é muito bem vinda e pontual para esses dias em que a desinformação e o pânico se espalham tanto quanto o próprio Corona Vírus.