Top 6 – Jogos da Activision Blizzard que a Microsoft pode trazer de volta

Yeah baby! Com ou sem choro, a Microsoft comprou mais uma gigante do mundo dos games e agora tem uma infinidade de franquias para explorar o máximo possível. Muito além de qualquer Call of Duty, resolvemos fugir das obviedades e pensar em franquias que há muito estão lançadas no ostracismo, mas que a Microsoft pode reviver em uma canetada.

Confira abaixo seis games que a Microsoft pode trazer de volta com a compra da Activision Blizzard:

 

Rock n’ Roll Racing

Jogadores das antigas certamente se lembrarão do clássico instantâneo Rock n’ Roll Racing e sua trilha sonora que era uma verdadeira ode a quem já gostava de rock nos anos 90. Aqui a premissa era uma verdadeira corrida destrutiva, em que os carros eram equipados com armas lasers, bombas e metralhadoras para destruir os rivais. Vencia quem chegasse primeiro. Caso a Microsoft decida ressuscitar a franquia, a comunidade de aficionada por retro games agradeceria muito. A melhor parte é que nem precisaria ser um remake dispendioso, tal qual o trabalho feito recentemente com Battletoads.

 

 

Blackthorne

Outro jogo que o pessoal mais antigo deve se lembrar com muita felicidade é Blackthorne, um dos precursores do TPS. As mecânicas, ainda que em 2D, podem ser descritas como inspiradoras para o Gears of War, uma vez que o jogador deveria se esconder para evitar as balas inimigas e atirar nos momentos certos para eliminá-los. Ainda que muito querido, a Activision nunca pensou em uma sequência para o game.

 

 

StarCraft

StarCraft já deu as caras em um período relativamente recente, com StarCraft Remastered em 2017. Contudo, sentimos que a audiência apenas pode ser satisfeita com o prometido 3º capítulo. Agora que a Microsoft é dona da franquia e certamente tem planos de melhorar sua base no Xbox Series, StarCraft parece uma escolha muito óbvia.

 

 

True Crime

Muitos jogos já tentaram solapar a coroa de GTA como o maior game mundo aberto, contudo nenhum obteve êxito. Um dos candidatos mais fortes na era 128 bits certamente foi a série True Crime, que tentava reproduzir as cidades de Los Angeles e Nova York em detalhes. A crítica foi bastante favorável, bem como as vendagens. Assim, seria muito interessante ver o revival dessa amada franquia, ainda que não se possa mais roubar a coroa de GTA.

 

 

Guitar Hero

Vocês devem se lembrar do tempo em que tocar guitarras plásticas era a grande onda do momento, certo? Pois bem, agora que a Microsoft é oficialmente a dona da franquia, quais empecilhos haveriam de retomar a onda de jogos musicais? Ainda que o interesse do público tenha mudado de duas gerações pra cá, é certo que ainda há muita gente disposta a comprar uma guitarra nova para reviver clássicos de bandas mundialmente conhecidas. Alguém aí pediu Guitar Hero Nirvana?

 

 

Spyro

Ainda que Crash deva se tornar a mascote mais amado dessa nova leva de franquias da Activision Blizzard que agora pertencem a Microsoft, não podemos esquecer-nos de um dos precursores dos mascotes em videogames. Spyro tinha carisma, fases divertidas e uma franquia de jogos de respeito. Imagine se a Rare puder colocar as mãos nessa joia a maravilha que pode surgir em alta definição.

Indústria de games prevê aumento de 15% este ano e abre espaço para novos projetos

A indústria de games não pára de crescer, e o novo levantamento da Global Frontier Report by Google for Games indica justamente essa expressividade. De acordo com os dados levantados, o segmento gerou U﹩175.8 bilhões em receitas este ano e com a adoção do Home Office, houve um aumento de 45% no consumo de novos jogos.

Atualmente, o mobile game representa 52% de todo o setor, maior que os jogos para PC e console. É por ver um mercado cada vez mais aquecido, que a GameJamPlus tem criado projetos correlacionados com o tema central: desenvolvimento de games. Após uma ousada participação de Ian Rochlin, CEO da GameJamPlus, no programa Shark Tank Brasil, a startup carioca aumentou sua visibilidade para além do universo gamer.

“Essa oportunidade nos abriu muitas portas e com isso, tiramos muitos planos do papel”, comenta Rochlin.

Além da tradicional maratona competitiva de desenvolvimento de jogos anual que já conquistou mais de 30 países, a startup em 2021 lançou mais dois grandes projetos que prometem dar uma guinada nesse segmento. A primeira grande novidade, anunciada no mês de agosto, é a Indie Hero, que nasceu com a missão de ajudar desenvolvedores de jogos independentes a conquistarem seu lugar nesse mercado tão disputado.

Dentre os serviços oferecidos estão assessoria jurídica, desenvolvimento de produto, estruturação financeira, produção de GDD, produção de pitch, estruturação da monetização, network com a indústria internacional, contato com investidores, entre outras atividades. Na primeira rodada de investimento realizada pela Indie Hero em outubro, 35 estúdios brasileiros defenderam seus planos de negócios em apresentações para investidores internacionais.

O segundo projeto foi intitulado de Xphere Club, e é voltado para talentos que sonham em trabalhar na área de games. A nova RH dos games acabou de ser lançada e já possui mais de 10 vagas abertas para captação de currículos. Hoje, a startup possui 5 empresas parceiras e mais de 3.000 candidatos cadastrados.

Neste ano, a 5ª edição da maratona, iniciada em outubro, contou com a participação de grandes empresas como a Gazeus Games, em busca de novos jogos para seu portfólio, e a Anjo Tintas, que estreou neste mercado desafiando os participantes da competição a criarem um jogo para a marca.

Para 2022, a GameJamPlus mira cada vez mais alto. “Acreditamos que o próximo ano será de crescimento para os jogos independentes no Brasil e no mundo. Esperamos estar cada vez mais lado a lado destes estúdios, ajudando a quebrar barreiras, para que mais pessoas possam trabalhar com o que amam”, finaliza Ian Rochlin.

Tibia – MMORPG lendário acaba de completar 25 anos de sucesso

Um dos jogos mais icônicos quando se fala em MMORPG é Tibia. O título foi uma das maiores sensações das lanhouses e mesmo com a queda de frequentadores nesses ambientes, Tibia ainda conseguiu se manter ativo e forte no coração dos jogadores graças a atualizações regulares e um belo fluxo de novos conteúdos.

De acordo com a CipSoft, essa longevidade faz de Tibia um dos jogos online mais antigos do mundo. Nos últimos anos, o jogo quebrou vários recordes de vendas e gerou uma receita total de mais de 1,2 bilhões de reais até o momento. Só em 2021, o Tibia foi jogado por 185.000 jogadores brasileiros, nesse mesmo ano foram adicionados quatro novos servidores, dois deles na América Latina: um na configuração “Optional PvP” Reinobra (SA); e outro “Retro Open PvP” Mudabra (SA).

“Uma história como a de Tibia é rara em nossa indústria”, diz Stephan Vogler, um dos CEOs e fundadores da CipSoft. “Nosso projeto de hobby se tornou um sucesso duradouro com muitos jogadores dedicados. Estou extremamente grato por fazer parte desta história.” Ulrich Schlott, assim como Vogler, CEO e fundador da empresa, acrescenta: “Tibia segue ativo com mais sucesso do que nunca, em parte devido à nossa estreita cooperação com nossa comunidade. Após 25 anos, ainda temos muitas ideias para trazer novos conteúdos para o mundo do Tibia.”

Para a CipSoft, há outro motivo para comemorar: a empresa por trás do Tibia foi premiada pelo “Great Place to Work” como uma das melhores empregadoras da Baviera, Alemanha. No futuro, a CipSoft continuará a se concentrar em mundos de jogos online animados e se vê bem posicionada para isso com seu novo processo de incubação.

“Todos os funcionários agora têm a oportunidade de gastar 20 por cento do seu tempo de trabalho na implementação de suas próprias ideias de jogos. Nós também estamos seguindo nossa sugestão da história de sucesso de Tibia: pequenos times que compartilham uma visão comum e têm a maior liberdade possível para implementá-la”, disse Stephan Vogler.

Abaixo você confere o trailer de agradecimentos de 25 anos de Tibia: