Plague Inc. – Conheça o game que desafia o jogador a espalhar vírus por todo o mundo

Um vírus surge em uma pequena cidade do interior da China, as pessoas seguem suas rotinas sem que suspeitem que algo esteja ocorrendo. Rapidamente a virose infecta centenas de pessoas e, ainda sem notificação pública, aviões exportam a doença para outras regiões do mundo. Logo em seguida, o vírus evolui, torna-se mais facilmente transmissível e mortal. As autoridades se dão conta do que está ocorrendo, mas qualquer ação parece tardia. O vírus infectou e matou milhões de pessoas em todas as partes do mundo. Parece o roteiro tirado da vida real, mas trata-se do pano de fundo de Plague Inc. o jogo lançado em 2012 pela Ndemic para dispositivos mobile e que voltou a lista dos mais baixados da App Store graças ao surto da Covid-19.

Plague Inc. trata-se de um RTS que desafia o jogador a plantar uma endemia em qualquer lugar do mundo, transmiti-la por todos os continentes e evoluí-la até que se torne a maior doença que o mundo já viu. O objetivo é aniquilar toda a vida humana antes que cientistas desenvolvam a cura. Sua endemia pode ser uma bactéria, um fungo, um vírus ou até um parasita. O macete é usar os pontos de DNA para tornar sua praga mais adaptada a diferentes ambientes e tornar-se mais mortal.

O título já foi baixado mais de 85 milhões de vezes desde seu lançamento e conseguiu um novo boost com a recente pandemia, assim como ocorreu durante o surto do Ebola em 2014. O interessante mesmo é que a jogabilidade é simples, e bastante viciante, mas com um tom de dificuldade acentuada. Você pode passar horas tentando fazer uma nova doença destruir os governos de todos os países.

Em tempos de Covid-19, há quem imagine que Plague Inc. pode parecer de extremo mau gosto, entretanto, o game pode até se mostrar educativo ao passo que conta com dinâmicas realistas para mostrar como um vírus se espalha. Basta observar que em países com população maior e com aeroportos movimentados as doenças tendem a se espalhar mais facilmente. Além disso, o game conta com notificações das medidas que os países estão tomando para combater a infecção. Algumas se mostram extremamente eficientes, tais como fechar aeroportos e impor medidas que restringam a livre circulação entre as pessoas.

Plague Inc. é uma ótima pedida para tempos de quarentena e que você quer mais informações sobre como doenças se proliferam. Uma forma de aprender brincando. Ao menos aqui você pode espalhar um vírus de maneira rápida e segura. Infelizmente nem todos pensam assim, tanto que o game foi banido na China. O título está disponível para iOS e Android. Há ainda uma versão melhorada para Steam.

Abaixo você vê um trailer de Plague Inc.:

 

SuperSUS – game da Fiocruz mostra os direitos do cidadão ao utilizar o SUS

A história já é conhecida: você fica doente, tem de ir até um hospital ou unidade de pronto atendimento e fica horas esperando para ser recebido pelo médico, que lhe dispensará poucos minutos de sua atenção, dirá que está com virose e receitará um medicamento qualquer. Se há um consenso entre os brasileiros é que o SUS é pouco eficiente e que precisa de muitas melhorias. Entretanto, poucas pessoas conhecem de fato seus direitos na área da saúde. Foi pensando nos direitos dos paciente que o time de pesquisadores da Fiocruz Pernambuco lança o game SuperSUS, cujo objetivo é contribuir para que o cidadão conheça seus direitos no campo da Saúde Pública.

De acordo com os produtores, SuperSUS permite que os jogadores descubram os serviços oferecidos pelo SUS que são poucos conhecidos pela maioria da população. A ideia é que os cidadãos conheçam seus direitos e lutem por eles a partir do conhecimento pleno do que pode e do que não pode. Para isso, a Fiocruz Pernambuco disponibiliza o título gratuitamente através da Play Store e na App Store.

O jogo é inspirado na conquista do direito a saúde com o Sistema Único de Saúde (SUS), assim o jogador assume o papel do SUS e percorre trajetórias de lutas e conquistas. Em um passeio pela rede de saúde, cada fase do jogo envolve atividades que são ofertadas como serviços e/ou programas do SUS, cada desafio cumprido o jogador vai acumulando conquistas e alcançando objetivos do desenvolvimento sustentável – ODS (com dimensões ambientais, sociais e econômicas).

São 12 minis jogos, nos quais o desafio é conquistar os princípios e diretrizes do SUS, atingindo assim os objetivos de desenvolvimento sustentável preconizados pela Organização Mundial da Saúde. Quem perde, descobre a falta que o SUS faz no dia a dia e os problemas que isso acarreta.

Você pode ver mais detalhes do SuperSUS aqui.

Conheça Timo: The Game, o novo lançamento da Webcore Games para mobile

Hoje você vai conhecer Timo: The Game, um Point & Click extremamente premiado e que tem conquistado milhares de fãs em pouco tempo. Basicamente você vai viajar com o personagem que dá nome ao jogo em uma série de mundos fantásticos inspirados em livros de fantasia e usará esses livros para resolver puzzles de diversas maneiras. O título é vencedor do Edital da Spcine K.O. HQ de 2017 e conta com cenários em pixel art estilizados.

No jogo, o personagem Timo mergulha num livro e se vê perdido entre cinco mundos literários. Para que possa voltar ao mundo real, Timo precisa reunir os pedaços de um medalhão mágico que foi quebrado. Assim, ele parte numa aventura para encontrar a saída, desbravando diferentes universos por cada livro que visita. Nesse caminho, Timo encontrará muitos desafios e inimigos, mas também grandes companheiros e aliados.

00O primeiro dos mundos é uma realidade distópica, onde a leitura é coisa do passado e viagens para universos literários são incomuns, nosso protagonista, na companhia de seu pai, tenta sobreviver entre o real e o extraordinário. Os dois primeiros livros compõem a parte gratuita do jogo. Para jogar os outros três livros, o jogador precisa comprar a versão completa do jogo. De acordo com a desenvolvedora Webcore Games, os mundos que compõe Timo: The Game são das temáticas Medieval, Jurássico, Detetive, Fantasia e Pirata.

Com visão por cima, e os gráficos em pixel art, o game lembra bastante clássicos dos 16 bits, tais como a franquia Zelda, sendo que a diferença está na mecânica de jogo, focada no point & click. A aventura de Timo é bastante cativante e os cenários são belíssimos. O game já está disponível para iOS e Android.

Abaixo você confere o trailer de Timo: The Game: