PUC-SP abre curso de extensão de Escape Rooms na Educação

Quer abrir seu próprio negócio e gosta de escape rooms? Pois bem, a PUC de São Paulo acaba de abrir um curso de extensão totalmente remoto chamado “Escape Rooms: Criando Experiências Educacionais Imersivas”, ministrado pelos professores Profa. Me. Fabiana Raulino e Prof. Gabriel da Silva Bruno, que visa apresentar formas de criar experiências imersivas e pervasivas através de escape rooms digitais e físicos, explorando diversas técnicas, modelos, ferramentas, narrativas, tecnologias e estratégias criativas para serem aplicadas em qualquer contexto voltado à formação de pessoas na educação formal e não-formal.

De acordo com a PUC-SP, o curso apresenta objetivos pedagógicos claros para aplicação da gamificação como estratégia educacional. Assim, os alunos matriculados contam com um pacote de arquivos para download com imagens, efeitos sonoros, ambientes 360º, entre outros arquivos e materiais de apoio como frameworks e canvas para planejamento de Escapes.

Objetivos do curso

      • Compreender os elementos e dimensões da gamificação e como utilizar a gamificação como estratégia educacional;
      • Vivenciar a construção de um escape room, do planejamento à avaliação, explorando diferentes elementos com a intencionalidade voltada ao desenvolvimento de competências;
      • Experimentação de diferentes estratégias e ferramentas para criação de narrativas, ambientes e desafios;
      • Utilizar diferentes frameworks que proporcionem experiências educacionais que possam ser replicadas em comunidades de aprendizagem

 

Entre os principais diferenciais do curso é sua abordagem na gamificação; um mural colaborativo de ferramentas digitais que podem ser (re)utilizadas em diversos contextos; Curadoria e compartilhamento de artigos, referências e outros materiais de estudo; utilização de exemplos de escapes físicos e digitais para troca de experiências e impressões em diferentes contextos de educação.

O curso tem início em 30 de setembro de 2021 e termina em 19 de outubro. Quem fizer matrícula até o dia 31/07 consegue desconto de 20% na matrícula e na mensalidade. As aulas serão ministradas nas terças e quintas das 19h às 22h com carga horária total de 15 horas. A expectativa é que o curso atraia estudantes e profissionais da educação básica, técnica, superior, cultural ou corporativa em diferentes contextos, além de interessados em gamificação, aprendizagem ativa, desenvolvimento de competências e jogos de fuga, com ou sem experiência no Design de Escape Rooms. Para fazer a inscrição, basta acessar aqui.

PUC-SP promove curso de gamificação para profissionais e estudantes do setor de games

As estratégias de gamificação são a grande tendência do mercado mundial de jogos a nível global. Pois bem, para quem busca se aperfeiçoar nesse assunto, o Curso de Extensão Gamification Open Mind, promovido pela PUC-SP,  tem como propósito contribuir para a formação de profissionais que desejam atuar com estratégias baseadas nesse conhecimento.

De acordo com a instituição, nas aulas, serão abordados aspectos teóricos e práticos de gamificação, bem como estratégias contemporâneas para concepção, desenvolvimento e avaliação de projetos que envolvam o processo de gamificação em diferentes contextos.

As referências do curso são embasadas em pesquisas, documentos e casos recentes da área de Gamificação, bem como em estudos propostos no Programa de Estudos Pós-Graduados em Tecnologia da Inteligência e Design Digital (TIDD/PUC-SP), de natureza interdisciplinar e composto por pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento.

Espera-se, ao final do período da extensão, que o aluno matriculado apresente para sala e professor um projeto de gamificação completo, aplicando o que viu em aula. Desta forma, será possível evoluir o conceito através dos feedbacks compartilhados e levar este trabalho para sua área de atuação.

 

Objetivos do curso

Capacitar profissionais para desenvolvimento, implementação, gerenciamento e avaliação de propostas que envolvam gamificação, com possibilidades de atuação em projetos de pequeno, médio e grande porte, nas esferas pública e privada.

Quem ministra o curso é o Prof. Rafael Diogo Rossetti, Mestrando em Negócios Internacionais, Especialista em Gamification, Digital Environment, Promo Activation e Branded Content. Rossetti também é sócio e CEO da Messier Data & Creative, empresa pioneira em Entretenimento Espacial, participou do desenvolvimento de grandes projetos como o Ovo de Páscoa Gigante do Ibirapuera, Olimpíadas do RJ e Aquário do RJ.

Dia da Matemática: Projetos e jogos ensinam e divertem

Adorada por alguns, temida por outros, a Matemática é uma das matérias mais importantes do período escolar. No Brasil, o dia 6 de maio foi escolhido como Dia da Matemática, em homenagem ao escritor e educador brasileiro Júlio César de Mello e Souza, mais conhecido como Malba Tahan. Cercada de números e operações, a matemática está presente no dia a dia de todas as pessoas. No período de isolamento social, com atividades remotas e híbridas, muitos projetos, jogos e atividades contribuíram com o ensino e colocaram a família toda para aprender. Hoje vamos falar de alguns!

Tornar a Matemática cada vez mais próximo da realidade dos alunos é uma das tarefas mais importantes nesse período. “Quando realizamos uma atividade contextualizada aproximamos a situação para realidades que estão presentes na rotina dos alunos. E quando falamos de crianças e adolescentes, é claro que o brincar, os jogos e games fazem parte da desse dia a dia”, explica o professor Luiz Filipe Trovão, do Marista Escola Social Ir Rui.

Matemática no dia a dia

Para o professor, as atividades e os projetos proporcionam momentos de experiências entre as disciplinas. “O conhecimento é amplo, e quando integramos a realidade, os estudantes podem compreender mais do que os números”, reforça Luiz Filipe. Um dos projetos do Marista Escola Social Ir Rui, que atende crianças e adolescentes gratuitamente em Ribeirão Preto (SP) é o Juntos Somos Mais. O objetivo da ação é aprender matemática por meio dos gastos diários de consumo, de energia, água, o tempo do banho ou de escovar os dentes. “Com base nessas anotações criamos cálculos e fórmulas para aliar os números e o consumo consciente”, relata.

Outro projeto da professora Adriana Ezequiel é o Redescoberta, os alunos do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental receberam em casa, kits com diversos jogos de tabuleiros, criados por ela, que ensinam as principais operações matemáticas. “A ideia é entender que as operações que aprendemos no início da nossa caminhada na escola, nos acompanham a vida toda e podem ser aprendidas de uma forma divertida, principalmente nesse período em que vivemos”, revela Adriana.

Aprendizado para toda família

Para a mãe de Sabrina, Vitória Souza de Freitas, aluna do 5º ano, essas ações contribuem para momentos de aprendizado e diversão de toda família. “Muitas coisas mudaram na forma de ensinar, eu não tive a oportunidade de terminar meus estudos, então junto com ela, aprendemos muito também”, reforça Maira Sousa Mendes.

A estudante de apenas 8 anos confessa as dificuldades na disciplina. “Não é minha matéria favorita, eu demoro mais para entender, mas com esse jogos, a gente nem sente, fica muito mais divertido de aprender”, revela.

Para celebrar o Dia da Matemática, os professores da disciplina revelam dicas de atividades que podem ser feitas em casa. O lema é aprender brincando:

Crie jogos de tabuleiro

No lugar de comprar aquele jogo pronto, que tal criar o próprio jogo de tabuleiro? Uma atividade com as famílias que envolve a imaginação e a criatividade. As crianças podem criar regras e os pais auxiliam na confecção de dados, trilhas, números para as peças e etc. O momento além de ensinar, vai garantir muita diversão.

Utilize materiais recicláveis

Garrafas, papelão, folhas utilizadas, embalagens de leite e outros produtos. Utilizar materiais recicláveis para criar o próprio jogo é uma das formas de aprender a sustentabilidade e a matemática.

Use ações da rotina

Muitas das atividades do dia a dia incluem a matemática, cozinhar, por exemplo, inclui somar, dividir ingredientes, contar o tempo de preparo. Assim como andar de bicicleta, patins, ou de carro. “Em casa, os pais e responsáveis podem criar tabelinhas na geladeira, contabilizando o tempo do banho, da água na hora de escovar os dentes, da luz acesa no quarto. Algumas famílias criam até uma competição saudável, que pode conscientizar e ensinar muito, brincando”, reforça Luiz Filipe.