OCDE divulga resultados do PISA 2022: Brasil fica em 44º em Criatividade

Na última terça-feira, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) publicou os resultados do PISA 2022, Programa Internacional de Avaliação de Alunos. A avaliação, realizada em 2022, incluiu uma novidade: a mensuração da criatividade dos estudantes, além das tradicionais provas de Português e Matemática.

Entre os 56 países participantes, o Brasil ocupou a 44ª posição. De acordo com os dados, 54,3% dos alunos brasileiros de 15 anos apresentaram baixo nível de criatividade na resolução de problemas sociais e científicos. Este resultado contrasta com a percepção popular sobre a criatividade do brasileiro.

Segundo dados do QEDU, apenas 36% dos estudantes do ensino fundamental no Brasil demonstram proficiência adequada em leitura e interpretação de textos. Esse cenário pode explicar os resultados do PISA, sugerindo que a falta de repertório impede o desenvolvimento da criatividade em outros contextos além do humor e entretenimento.

Os resultados do PISA também revelaram que alunos com maior status socioeconômico obtiveram melhores desempenhos em pensamento criativo, com uma diferença média de 9,5 pontos em relação aos menos favorecidos. Além disso, as meninas superaram os meninos em criatividade, com 31% delas atingindo o nível 5 de proficiência, considerado alto, em comparação com 23% dos meninos.

A participação em atividades extracurriculares, como artes, teatro, escrita criativa e programação, foi associada a um melhor desempenho em criatividade. O incentivo dos professores e a valorização da criatividade pelas escolas também foram identificados como fatores importantes para o desenvolvimento dessa habilidade.

O cenário atual indica a necessidade de uma abordagem nacional para melhorar a leitura e a escrita no Brasil, envolvendo governo, empresas e a sociedade civil. Iniciativas como a da FazGame, que utiliza uma metodologia baseada na autoria de games narrativos pelos próprios alunos, demonstram o potencial de unir criatividade com desenvolvimento de habilidades de leitura e escrita, utilizando tecnologia e inteligência artificial.

Fonte: FazGame

Setor de Games estreia na 5ª Conferência de Ciência, Tecnologia e Inovação

A indústria de games marcou presença pela primeira vez na 5ª Conferência de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), realizada pelo Governo da Bahia, Universidade Federal da Bahia (UFBA) e comunidades virtuais. O objetivo da participação foi debater políticas públicas e as necessidades de legislação para o setor em franca expansão no país.

Uma das mesas redondas da conferência, realizada na última terça-feira (13), abordou o tema “Marco Legal para indústria de games do Brasil: limites e possibilidades”. O debate contou com a participação do presidente da Associação de Desenvolvedores de Jogos Digitais do Estado do Rio de Janeiro (RING), Márcio Filho; da professora de Educação da UFBA, Lynn Alves; e do Diretor da Savegame.dev, Pedro Zambon.

O foco principal da mesa redonda foi o PL 2796/2021, conhecido como Marco Legal dos Jogos Eletrônicos, que visa regulamentar a indústria de games no Brasil. O Marco Legal é considerado um marco histórico para o setor, pois define diretrizes para o desenvolvimento da atividade e impulsiona a economia criativa nacional.

Para Márcio Filho, presidente da RING, a participação na Conferência de CT&I é um passo importante para o reconhecimento da indústria de games como um setor estratégico para o país.

“O Marco Legal dará fundamentação jurídica para que o Brasil avance no mercado global de games, que movimenta bilhões de dólares anualmente”, destaca.

A professora Lynn Alves, da UFBA, reforça a importância da participação do setor de games em debates sobre ciência, tecnologia e inovação. “A realização da mesa redonda na conferência é fundamental para ampliar o debate sobre o Marco Legal e fortalecer o universo dos jogos no Brasil”, afirma.

 

O Marco Legal dos Jogos Eletrônicos:

O PL 2796/2021, em tramitação no Congresso Nacional, visa criar um marco legal para a indústria de games brasileira. Entre os principais pontos do projeto estão:

Definição de jogos eletrônicos: O projeto define o que são jogos eletrônicos e estabelece critérios para sua classificação;

Incentivos fiscais: O projeto prevê a criação de incentivos fiscais para empresas que desenvolvem e publicam jogos no Brasil;

Proteção da propriedade intelectual: O projeto garante a proteção da propriedade intelectual dos jogos eletrônicos;

Educação e pesquisa: O projeto incentiva a pesquisa e o desenvolvimento de jogos educativos e a inclusão de jogos eletrônicos na grade curricular das escolas.

 

A indústria de games no Brasil:

O mercado de games no Brasil é um dos que mais cresce no país. Em 2023, a indústria movimentou R$ 16,8 bilhões, um aumento de 11,7% em relação a 2022. O Brasil é o 11º maior mercado de games do mundo e o 1º da América Latina.

A indústria de games gera milhares de empregos no Brasil e contribui para o desenvolvimento da economia criativa. O Marco Legal dos Jogos Eletrônicos é um passo importante para o crescimento sustentável da indústria e para a consolidação do Brasil como um dos principais players do mercado global de games.

O Burguês entra no mundo dos e-sports com patrocínio à Imperial

A Imperial eSports, organização brasileira de Counter Strike e Cross Fire, anuncia a hamburgueria O Burguês como seu mais novo patrocinador oficial. A parceria marca a estreia da maior hamburgueria delivery do Brasil no universo dos e-sports, firmando a primeira parceria da Imperial no ramo alimentício.

A marca O Burguês estará estampada na manga da camisa do time IMP, e a parceria promete uma série de ações exclusivas, como:

        • Lançamento de novos burgers com assinatura da equipe;
        • Promoções nacionais;
        • Itens e cupons exclusivos para a torcida;
        • Ações de licenciamento e co-brand com a IMP.

“O desejo de entrar no mercado de e-sports sempre foi muito forte dentro da companhia e a parceria com a Imperial chega num momento incrível e de bastante crescimento para o Burguês”, afirma Flávio Rodrigues, diretor de marketing do Burguês. “Viemos para fortalecer ainda mais a trajetória do time na busca pelos principais campeonatos do mundo e para matar a fome dos torcedores da equipe durante as partidas”.

Com o patrocínio, O Burguês busca ampliar ainda mais o universo dos seus 400 mil clientes mensais. O Counter Strike brasileiro movimenta mais de 760 mil jogadores e alcançou, em 2022, a marca de 532 milhões de espectadores em seus campeonatos no mundo inteiro. A expectativa é que até 2025 esse número chegue a 640 milhões.

“A Imperial tem o objetivo de transformar o mercado gamer, através da comunidade, ouvindo e trazendo seus insights”, comenta Felippe Martins, fundador e CEO da Imperial. “É sobre pertencer e ser um agente ativo, é nisso que acreditamos. Estamos muito felizes por tudo que está sendo construído”.

Sobre O Burguês

O Burguês é a maior hamburgueria delivery do Brasil, com mais de 400 mil clientes mensais. A empresa oferece uma variedade de burgers, sanduíches, acompanhamentos e sobremesas, com foco em ingredientes frescos e de alta qualidade.

Sobre a Imperial eSports

A Imperial eSports é uma organização brasileira de esportes eletrônicos fundada em 2019. A equipe compete em Counter Strike: Global Offensive e Cross Fire, e conta com jogadores profissionais de alto nível. A Imperial é uma das principais equipes de e-sports do Brasil, com diversos títulos nacionais e internacionais em seu currículo.