Primeiro Contato – podcast remonta a história dos computadores e games no Brasil

Você gosta de podcasts? Gosta de jogos eletrônicos e tecnologia em geral? Pois então vai adorar o Primeiro Contato, o novo podcast da B9 em parceria com o site de jornalismo de games Overloadr. O programa estreia na próxima segunda-feira (19 de julho) e contará a história da chegada dos computadores e seu universo de jogos eletrônicos e entretenimento nos lares brasileiros.

De acordo com os criadores do Primeiro Contato, a série terá 12 episódios remontando os bastidores de um mercado que, diferentemente de hoje, era dominado por empresas brasileiras, como Brasoft, Tectoy e CD Expert. Para contar essa história, o Primeiro Contato realizou mais de 50 entrevistas e realizou uma vasta pesquisa sobre o contexto econômico, político, social e cultural do país, em que esse mercado estava inserido. É um trabalho inédito e histórico que deve servir de referência para futuras gerações.

Com uma narrativa dramática e envolvente, a temporada de 12 episódios aborda temas como os primeiros computadores nacionais, a inauguração de empresas pioneiras no setor de games por aqui, a revolução multimídia dos CD-ROMs e a popularização desta mídia nas bancas de jornal, passando pelas primeiras localizações de jogos e outros assuntos históricos.

‘Primeiro Contato’ traz mais de 50 entrevistas, captadas ao longo de um ano, e vasta pesquisa sobre o contexto histórico, político e econômico do Brasil nas décadas de 80 e 90. O podcast remonta os bastidores de um mercado que, diferente da atualidade, era dominado por empresas brasileiras, como a Brasoft, Tectoy e CD Expert.

De acordo com Henrique Sampaio, do Overloadr, Primeiro Contato dá voz aos homens e mulheres que deram início ao mercado e à indústria de games para PC no Brasil, muitos dos quais sequer são lembrados ou reconhecidos atualmente.

“São histórias humanas que captam a emoção e os perrengues dos negócios internacionais, dos conflitos corporativos, das dublagens precursoras, dos primeiros games brasileiros e dos pânicos morais em torno dos jogos violentos no final da década de 90. É um trabalho inédito e histórico que deve servir de referência para futuras gerações”, explica.

Férias de julho em família: atriz Mirela Pizani cria canal para dar dicas de jogos para pais e filhos

Férias de julho, filhos em casa, pais preocupados com os jogos de videogame… Muita coisa ao mesmo tempo, não é mesmo? Pensando nessa garotada e em uma forma de unir pais e filhos, a atriz e gamer Mirela Pizani (Haja Coração, 1 Contra Todos) resolveu criar um canal no youtube para falar sobre esse mito de que os jogos estimulam a violência, além de dar dicas de games incríveis para toda a família e relembra como começou a sua paixão pelos jogos.

“Quando tinha uns 9, 10 anos jogava muito com amigos, vizinhos, colegas de escola…”, conta Mirela que deixou de lado o videogame por conta da correria da vida adulta. “Eu saí de casa muito cedo, saí de uma cidade pequena, para uma cidade maior, tive outras demandas e o videogame ficou meio esquecido. Mas sempre foi uma paixão, tanto que eu tenho até hoje guardado o meu primeiro videogame”, afirma.

Aquele amor que estava meio que adormecido, voltou à tona quando Mirela conheceu o namorado, o gamer Bruno Correa, que é referência no Youtube, com mais de 7 milhões de inscritos em seu canal. “Quando comecei a namorar com o Bruno, que ama videogame, tecnologia, games, tudo mudou. No início a gente jogava muito e resgatou essa coisa da infância e adolescência. Foi surpreendente voltar a esse lugar…”, relembra emocionada.

Família X Videogame X Violência

Jogando literalmente nas onze, Mirela Pizani acabou atraindo um público diversificado em suas redes, falando para pais, jovens, mulheres e profissionais da área, ela tenta desmistificar o tabu de que videogame estimula violência: “Eu acredito que a internet, um comentário em rede social pode estimular muito mais violência do que um jogo”.

A youtuber diz que os pais precisam estar mais pertos dos filhos, tentar conhecer melhor os jovens, escutar mais e buscar um relacionamento embasado na confiança. Para ajudar esses pais e pensando nas férias escolares que estão logo aí, Mirela dá algumas dicas de jogos para a família toda. “São jogos que sempre que eu mostro em lives, eu recebo muitos comentários dos pais dizendo que compraram para os filhos e jogam até mais que eles. E a verdade é que é uma delícia jogar junto”, se diverte.

Abaixo você confere um dos vídeos da Mirela Pizani:

JAM Virtual desafia estudantes a criarem jogos e máquinas investigativas

Já imaginou construir uma máquina com o intuito investigativo? Pois essa é justamente a proposta principal da JAM Virtual, uma ação promovida pelo Núcleo Técnico de Currículo – Tecnologias para Aprendizagem (NTC-TPA), da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo. Conectados ou desplugados todos os estudantes das escolas municipais da capital paulista estão convidados a participar do desafio.

De acordo com a organização, a JAM Virtual tem como objetivos promover o engajamento dos estudantes nas ações de aprendizagem mesmo que de forma remota, fomentar a inventividade, criatividade e a criticidade em relação à produção e a aprendizagem pelo fazer e fomentar o registro de processos de aprendizagem.

A atividade poderá ser enviada em formato de vídeo ou relatório escrito até 24 de junho. Além do tema para construção de máquinas investigativas, a JAM Virtual também contará com a proposta de construção de jogos digitais e jogos de tabuleiro.

 

Confira os desafios da Jam Virtual:

Opção 1 – Construção de “Máquinas Investigativas”.

Na construção de uma Máquina Investigativa, você poderá criar um tipo de máquina que ache interessante e que te auxilie na investigação de algo de seu interesse, ou que tenha alguma utilidade para você ou para alguém que você conheça ou apenas crie por curiosidade. Você poderá utilizar materiais diversos e seu protótipo poderá ou não ser automatizado.

Opção 2 – Criação de jogos digitais ou de tabuleiro.

Nos jogos de digitais ou de tabuleiro, você poderá criar jogos utilizando os recursos digitais que você tenha ou até criar jogos com materiais diversos, como tampinhas de garrafa, caixas de papelão e qualquer outro tipo de material reciclável. Você pode criar as regras do seu jogo.

 

Como entregar seu desafio

A entrega será em formato de vídeo ou um relatório escrito de preferência com imagens. É preciso contar tudo sobre sua criação, desde como foi este processo, para que ela serve e como utilizá-la. O prazo para entrega será dia 24/06/2021.

Quando tiver terminado seu invento e registrado o processo de criação, preencha o formulário de inscrição com seus dados e coloque  o link do seu vídeo ou do relatório, clicando aqui.

Atenção: O vídeo produzido deverá ser disponibilizado no Drive do Google ou publicado no Youtube, no canal pessoal, e o link de acesso deverá ser compartilhado no formulário de inscrição, onde também será possível autorizar sua divulgação. Se optar por publicar o Vídeo, use a #JAMVIRTUAL2021.

 

Sobre a Jam Virtual

A JAM Virtual reunirá estudantes e professores para trabalhar juntos e produzir um protótipo robótico. A ideia é que essas pessoas, utilizem suas habilidades, e conhecimentos para a solução do desafio proposto. Às vezes, essas pessoas nem se conhecem, mas participam juntas para resolver a atividade proposta com criatividade, inventividade e colaboração. Todos acabam ganhando a Jam, uma vez que se exercita o trabalho em equipe, colaboração, raciocínio lógico e faz-se novas amizades.

Assim como em 2020, por causa da pandemia de Covid-19, a JAM Virtual 2021 continuará à distância, para respeitar os protocolos estabelecidos pelos Órgãos de Saúde, porém, com novos desafios para todos!