Arquivo da tag: Xbox One

Conheça Dog Duty, novo game indie de estratégia para todas as plataformas

Hoje o destaque vai para mais um jogo indie da SOEDESCO, que chega no segundo trimestre desse ano. Trata-se de Dog Duty, um RTS em tempo real para PS4, Xbox One e Switch, que desafia os jogadores a derrotar o exército do terrível comandante Octopus em uma série de ilhas. O grande diferencial é que o título conta com bastante humor e batalhas difíceis contra os chefões.

Desenvolvido pelo estúdio Zanardi & Liza, Dog Duty oferece aos jogadores tiroteios épicos e uma boa dose de batalhas épicas contra chefões. O macete é que cada missão demanda de táticas elaboradas. Ou seja, não adianta repetir velhas fórmulas, pois cada fase requer sua própria estratégia.

“É ótimo trabalhar com a SOEDESCO Studios no desenvolvimento de Dog Duty ver o trabalho para outras plataformas. Sinto firmeza com eles, por conta do progresso do port. A versão console tá bonita, tem boa jogabilidade e mal posso esperar pelo lançamento.”, disse Leonardo Zimbres, fundador do estúdio de desenvolvimento Zanardi & Liza.

Durante seu período no Early Access da Steam, Dog Duty recebeu muitos grandes updates. Com o feedback da comunidade, Zanardi & Liza trabalhou duro nas melhorias de Dog Duty, adicionando mais personagens jogáveis e inimigos. Jogadores podem montar esquadrões de 3 membros, a partir de 8 personagens possíveis.

O estúdio Zanardi & Liza também mudou a UI completamente, adicionando mais diálogos e encontros com NPCs amigáveis e duvidosos. Com um novo sistema de abordagem, jogadores podem adentrar postos inimigos e-ou conquistados. Por exemplo, jogadores podem agora receber mensagens hostis dos postos inimigos não-conquistados. A versão para Nintendo Switch, PS4 e Xbox One também sairá com estes updates.

Abaixo você confere o trailer de Dog Duty:

7 coisas que você precisa saber sobre o Xbox One Series X

Durante a The Game Awards a Microsoft deu o pontapé inicial da nova geração de videogames ao anunciar o Xbox Series X, sucessor do One. Poucos detalhes foram revelados, porém algumas coisas já foram ventiladas no evento e em conversas de corredores. Hoje vamos dissecar sete coisas que você precisa saber sobre o novo videogame da Microsoft.

 

Tudo em família

A primeira coisa que você deve ter em mente é que a máquina apresentada na TGA não é a única plataforma que os engenheiros da Microsoft estão trabalhando. Na verdade ele é apenas um dos membros da família denominada “Xbox”. Em outras palavras, a próxima geração da Microsoft não se resumirá em apenas um único console, mas sim em diferentes versões capazes de rodar os mesmos jogos ou com funções diferenciadas, tal como vimos ocorrer recentemente com a versão All Digital do Xbox One. Essa pista deixa a impressão de que a Microsoft deve seguir um caminho semelhante ao que a Apple já faz ao lançar diferentes versões do iPhone.

 

Preço

Ainda é cedo para falar de preço e entendemos o porquê a Microsoft não ter dado nenhum indicativo de quanto teremos de economizar até o lançamento, afinal a concorrência se ajustaria rapidamente ao que a empresa de Redmond faria. Entretanto, se serve de alento, a Microsoft já disse que não cometerá os mesmos erros de preço do Xbox One na ocasião de seu lançamento. O que isso significa? Bem, o atual console da empresa norte-americana chegou custando US$ 499,00, cerca de US$ 100,00 acima de seu concorrente direto, o Playstation 4. Com isso, analistas apostam que o preço do console no lançamento deva ser de US$ 399,00.

Data de lançamento

O que se sabe é que tanto o Xbox Series X quanto o PS5 chegam ao mercado durante o ano de 2020. Um tanto vago, hein? Mas se quiser uma data mais precisa, a própria Microsoft deu uma dica – “Holiday 2020”, ou seja, o lançamento se dará entre os meses de outubro e dezembro de 2020. Com certeza a fabricante não irá querer deixar escapar a chance de lançar seu console a tempo do feriado de ação de graças + Black Friday + Natal.

Configurações

Neste quesito ainda faltam muitas informações, mas alguns detalhes já são públicos: a Microsoft afirmou que o Xbox Series X será quatro vezes mais poderoso que o Xbox One X e oito vezes mais poderoso que o Xbox One original; apresenta a arquitetura de CPU Zen 2 da AMD e a arquitetura gráfica RDNA, uma unidade de estado sólido projetada sob medida, GDDR6 SDRAM e suporte para Ray Tracing em tempo real e VRS. Além disso, a máquina terá poderio de renderização de até 120 quadros por segundo e resolução de até 8K. A Microsoft também promoveu o “modo automático de baixa latência” e a “entrada dinâmica de latência” para melhorar a capacidade de resposta.

Para eliminar telas de loading, a empresa optou pelo armazenamento do tipo NVMe SSD. Imagine um novo Forza rodando a 8K nativo sem telas de loading rodando em até 120 quadros por segundo. Parece surreal, mas é o futuro!

É retrocompatível?

Sim! Seguindo a cartilha adotada no Xbox One, a Microsoft garantiu que o Series X terá suporte aos títulos existentes do Xbox One, bem como aos títulos do Xbox e Xbox 360 compatíveis com o Xbox One. De acordo com a empresa, para garantir a função foi necessário interromper o programa de retrocompatibilidade no Xbox One para focar os esforços no Series X. Se a promessa for cumprida, e parece que vai, a nova plataforma já ganha uma biblioteca gigantesca antes mesmo de chegar ao mercado. Será que a Sony consegue revidar o golpe?

Terá jogos exclusivos?

Uma das fraquezas mais lembradas por fãs de videogames em relação à Microsoft quando comparada com suas rivais era a evidente falta de estúdios de desenvolvimento first parties capazes de criações únicas e desejáveis. Entre 2018 e 2019 a Microsoft saiu desembestada comprando todo estúdio que parecesse promissor e o resultado dessas aquisições é que atualmente a Microsoft Studios conta hoje com 15 subsidiárias, todas trabalhando em novos jogos para o Series X – atualmente a Sony conta com 14 subsidiárias.

Entre os jogos já anunciados, apenas Halo Infinite e Senua’s Saga: Hellblade II por enquanto, mas ao longo do próximo ano novos anúncios serão feitos. Vale ainda lembrar que algumas third parties já trabalham em outros projetos como a Ubisoft com Watch Dogs: Legion, Gods and Monsters e Rainbow Six Quarantine. Outros jogos também no forno são Battlefield 6 e Elder Scrolls VI. A próxima E3 será imperdível!

Design

O design do Xbox Series X foi motivo de memes – e não é por menos – ele possui um formato semelhante a uma “torre” ou a um “gabinete”, de modo que ele é projetado para ficar na posição vertical. A princípio causa estranheza, mas seus traços minimalistas podem ser o ar futurista que sua sala de estar está esperando.

De cordo com Phil Spencer, chefe da divisão Xbox, a ideia por trás do design do Series X é que ele “desapareça” da sala, o que permitiria uma experiência mais imersiva. Dito isto, espera-se que a máquina seja bastante silenciosa.

Controle

“Em time que está ganhando não se mexe”. Foi seguindo esse mantra que a Microsoft manteve o mesmo design do Xbox Wireless Controller, do Xbox One. A única novidade é o botão Share, que permite tirar capturas de tela e compartilhar vídeos rapidamente nas redes sociais, função que o Dual Shock 4 já executa com esmero. Mas espere, de acordo com a Microsoft, o controle tem curvas mais confortáveis e seu tamanho mais adequado para se encaixar na mão da maioria das pessoas. O objetivo é unir conforto e praticidade em um produto já testado e aprovado.

Quando devo comprar um novo videogame?

Desde o início do ano os rumores sobre o sucessor do Xbox One e do PS4 já eram pautas recorrentes na editoria de games. Com essas notícias uma onda de aficionados por jogos eletrônicos que ainda não possuem qualquer desses aparelhos passou a conjecturar se ainda vale a pena comprar um videogame da geração atual ou esperar o lançamento das novas máquinas. Pensando nisso e na iminência de novos consoles invadindo o mercado, elaboramos este guia para responder qual o melhor momento para comprar um novo videogame?

Há um consenso entre os consumidores: comprar um videogame no início da geração é um péssimo negócio! Isto porque o início da vida útil de uma plataforma tende a ser sofrível. Em geral um console de lançamento tem uma biblioteca reduzida de jogos, o preço das plataformas tendem a ser maiores e podem ter uma leva mal funcional. Em contrapartida, uma plataforma já antiga já conta com uma biblioteca gigantesca de jogos (incluindo jogos de alta qualidade), tem um hardware já testado e comprovado e preços inferiores às novatas.

Falando assim, parece óbvia qual a melhor escolha, certo? Não é tão simples assim! Uma plataforma em final de ciclo realmente terá um preço menor, porém isto porque ela desvalorizou com o tempo. Isto acontece porque a tecnologia já está defasada e há a certeza de que a máquina deixará de receber novos jogos em pouco tempo. Se você é um gamer hardcore e extremamente antenado às novidades, será péssimo acompanhar a geração surgindo estando de fora.

Além disso, um novo videogame é um investimento para o futuro da tecnologia, ou seja, ao comprar um novo videogame, você está apostando que ela trará os melhores e mais desejados jogos dos próximos anos. Ainda que ter a experiência de jogar o clássico instantâneo God of War do PS4 seja uma ideia atrativa, é possível que essa plataforma tenha retrocompatibilidade. Imagine o que mais o PS5 pode te oferecer…

A questão preço

A menos que você seja um masoquista financeiro, com certeza vai preferir gastar menos dinheiro. Ainda que você decida comprar o PS5 ao invés do PS4, é certo que seu preço cairá em alguns meses. Lembre-se que o PS4 chegou ao Brasil por R$ 4.000,00 e atualmente pode ser encontrado por aproximadamente R$ 1.700,00. A queda de preço foi gradativa, porém real. Uma pessoa que comprou o PS4 no lançamento brasileiro fatalmente tem a sensação de que fez mau negócio (em termos financeiros), afinal uma vez que saiu da loja, o produto só desvaloriza. Assim, esperar a queda de preço é o mais adequado.

A questão da biblioteca de jogos

Um videogame antigo, conforme dito anteriormente, tem uma biblioteca rica e estabelecida. Quem não gostaria de comprar um Game Cube para jogar o clássico The Legend of Zelda: The Wind Waker? Mesmo sendo um game datado, a qualidade do título vale o investimento tardio. Muitos retrogamers entendem que o ideal é comprar um console e seus jogos em um prazo aproximado de seis anos após o lançamento. Pois é neste período que os preços dos jogos estarão mais baixos e estabilizados nas lojas. Entretanto há um perigo ao adotar essa estratégia: um jogo antigo pode ganhar status de item de colecionador, o que irá multiplicar seu preço original.

Um ano a dois de seu lançamento garantirá que você salve alguns reais no preço dos jogos e possa selecionar os melhores jogos produzidos neste período. Já um videogame de lançamento contará com uma biblioteca de jogos (novos) pequena e para piorar, nem todos serão bons. Se a plataforma contar com retrocompatibilidade, você ficará restrito a jogar jogos já antigos, tendo pago o preço de um console muito mais caro.

A espera por quedas de preço

A história mostra a tendência: após um ano de seu lançamento, um videogame tem corte de preços. Tanto a Sony, quanto a Microsoft reduzem os preços de suas plataformas com certa periodicidade, cerca de um ano, até que a base de jogadores seja alta o bastante para garantir um preço menor.

Outra dica é evitar comprar um videogame no final do ano, pois é durante o natal que os preços tendem a ser mais altos, se o produto for um lançamento. Já os meses de janeiro e fevereiro contam com ações de queima de estoque das lojas. Ou seja, o ideal é comprar um sistema novo no início do ano. Há um porém: a Black Friday de novembro tende a contar com preços realmente atraentes.

Espere por novos modelos

Outro detalhe importante na hora de comprar um videogame: espere um novo modelo chegar ao mercado. Primeiro porque terá um hardware otimizado; segundo porque o preço será menor. Sim, esperar até a versão slim do PS5 pode ser torturante, porém você poderá ter uma máquina com mais funções e com um hardware mais confiável. Basta analisar a primeira versão do Xbox 360 original com a versão S surgida anos depois.

Lojas físicas ou sites de e-comerce

Há uma percepção de que lojas físicas cobram preços mais elevados e isto não está errado. Apesar de lojas de esquina não precisarem pagar empresas de entregas, as lojas físicas pagam aluguéis altíssimos e manutenção predial. Assim, as lojas têm repassado esses preços aos consumidores. Já as lojas digitais conseguem oferecer o mesmo produto a preços menores. O ideal é comprar um videogame através de sites, sendo ele um novo lançamento ou um console mais retro.

Uma solução bastante útil é o site Promobit, (que possui app também) a comunidade de curadoria que filtra promoções de lojas digitais. Se você vai comprar um novo aparelho, tenha certeza de localizar o preço mais baixo entre o ambiente que oferece preços menores. A Black Friday, aliás, oferece uma oportunidade única de comprar seu aparelho a um preço atrativo. Então, comprar o aparelho durante essa época do ano é realmente recompensador.

Top 5 – Jogos da geração atual que valem a pena serem jogados

Não é novidade para ninguém que a próxima geração de videogames está por vir. Mesmo que a Sony e a Microsoft tentem esconder os detalhes, é fato consumado que na E3 2020 iremos presenciar o nascimento da nona geração de videogames com o Projeto Scarlett e o vindouro Playstation 5. Dito isto, fica o questionamento: será que ainda vale à pena investir no Playstation 4 e no Xbox? A resposta é um simples sim. Seria fácil dizer que esperar um novo videogame seria o melhor investimento, mas temos de levar em consideração a biblioteca de jogos incríveis que esses videogames trouxeram ao longo desses anos.

Partindo desse pressuposto, pergunta-se: que jogos seriam esses? Opções não faltam, mas decidimos eleger apenas 5 jogos que merecem ser jogados por qualquer gamer. São aquelas obras de arte que transcendem a experiência de sentar e manipular objetos/personagens em uma tela. Estamos falando daqueles jogos da geração atual que valem a pena serem jogados ainda hoje. Se você já jogou, vale relembrar, se não, corra atrás desses títulos antes que desaparecem das lojas! Inclusive, o site da Promobit conta com alguns deles em promoção, assim você não precisar esperar pela Black Friday.

Confira o Top 5 jogos da geração atual que valem a pena serem jogados:

 

God of War

Barlog

Um dos motivos mais elementares do sucesso estrondoso que foi o PS4 é essa reinvenção de God of War. No momento que todos acreditavam que a saga de Kratos havia acabado e não havia como reformular a franquia, a Santa Monica mostrou que era possível inserir sim profundidade em um jogo de hack ‘n slash. Sim, você provavelmente vai se comover durante os inúmeros diálogos entre o Fantasma de Sparta e seu filho, Atreus. Os combates permaneceram viscerais e os quebra-cabeças estão mais inteligentes e desafiadores. Some-se a isso o fato que de a direção de arte estava bastante inspirada e você tem um dos melhores jogos do PS4.

 

Resident Evil 2 Remake

Já que começamos falando sobre reinvenções de franquias antigas, vale também dar destaque ao retorno de Resident Evil. A Capcom foi capaz não apenas de repetir os triunfos do remake do primeiro game, mas também de tornar o ambiente de terror e mistério ainda mais envolvente. Aqui você encarna os personagens Leon e Claire enquanto tentam sobreviver aos inúmeros desafios da cidade Raccon City que se vê em um apocalipse zumbi.

Muita coisa do original permaneceu quase intocada, mas os produtores não se fizeram de rogados e melhoraram muitos dos jump scares e clima de tensão. O resultado é um game capaz de enregelar a espinha do mais corajoso dos jogadores, pois não se tem a impressão de estar jogando algo antigo, mas de descobrir algo completamente novo.

 

Fortnite

Vai demorar muitos anos até que alguém possa explicar o fenômeno que Fortnite é, mesmo com seus gráficos e jogabilidade simplistas e, até, caricata. Talvez seja justamente isso que torna o game da Epic Games tão sucedido. Esqueça jogabilidade complexa e mecânicas rebuscadas! Aqui o negócio gira em torno da diversão pura e descompromissada. Junte seus amigos para sessões ensandecidas de tiroteios em times por ambientes que mudam e evoluem para se adaptar às necessidades dos jogadores. Outro aspecto que torna Fortnite relevante para seus milhares de jogadores é o fato de que a comunidade está toda engajada em novas fórmulas para tornar as jogatinas únicas. Praticamente um expoente da nossa cultura moderna!

 

Red Dead Redemption 2

Um dos títulos mais esperados desde sua revelação em 2016 não se mostrou um desapontamento, mas sim um produto que deve envelhecer muito bem, obrigado. O jogador toma controle do personagem Arthur Morgan, um fora-da-lei membro da gangue de Van der Linde, e deve cumprir variadas missões para o bando.

Praticamente um GTA no velho oeste. A variedade de missões e situações impressiona: são cerca de 60 horas de jogatina até terminar o título. Se GTA V desapontou algumas fileiras de fãs da Rockstar, o mesmo não pode ser dito de RDR2, que consegue contar uma história bem humorada e instigante ao mesmo tempo em que apresenta as belas paisagens ensolaradas do Velho Oeste Americano. Certamente um dos melhores jogos do Xbox One e do PS4.

 

The Witcher 3

The Witcher

Por fim, vale destacar um dos jogos mais premiados de todos os tempos: The Witcher 3. Quem tinha jogado o segundo capítulo já sabia que a adição de um mundo aberto seria um grande acerto, mas não havia como prever a grandiosidade que o título teria. É muito fácil começar uma missão, sair a cavalo, matar uns monstros enquanto cruza o continente, receber grana, novas missões e se esquecer de qual era mesmo o motivo que impulsionou a viagem a cavalo em primeiro lugar.

The Witcher 3 é uma ode a tudo o que funciona em um RPG de mundo aberto. Praticamente sem defeitos e com fator replay infinito, é possível que quem tenha comprado o título em 2015 ainda não tenha chegado nem perto de descobrir tudo que este game tem a oferecer. Se os combates no segundo game eram difíceis demais, aqui as coisas são mais niveladas e as lutas até parecem danças, de tão ritualísticas que podem se tornar. Não é à toa que muita gente considera este um dos melhores games de todos os tempos! Vale a pena monitorá-lo através do App de desconto da Promobit.

Top 10: Jogos mais aguardados para 2019

O ano 2018 acabou e deixou uma saudade boa, já que muitos games de alta qualidade saíram neste ano, tais como Godo f War, Red Dead Redemption e Forza Horizon 4. Mas não pense o ano de 2019 será menos especial para quem curte videogames! Não senhor! Este novo ano promete alguns dos jogos mais aguardados de todos os tempos e boas surpresas para todos os gêneros. Pensando nisso, elaboramos uma pequena lista de 10 jogos que devem chegar em 2019 e parecem imperdíveis demais para qualquer aficionado por videogames. Confira!

Resident Evil 2

Um dos capítulos mais amados de toda a franquia Resident Evil é sem dúvidas o segundo game, graças ao seu clima de tensão sempre crescente, monstros arrepiantes e o carisma dos dois personagens centrais. Quando a Capcom relançou o remake de R.E 1, a comunidade logo ficou na expectativa de um trabalho semelhante para Resident Evil 2.

Após anos de rumores, a Capcom acabou por confirmar os trabalhos no remake de Resident Evil 2. Na última edição da E3, aliás, a produtora chegou a levar uma demo que foi considerada espetacular pela maior parte da comunidade. Pelo que deu para ver, o game promete muitos sustos e um ambiente de puro terror.

Kingdom Hearts 3

Tetsuya Nomura é atualmente o principal nome da Square-Enix. Seu nome tornou-se reconhecido do público justamente pelo sucesso do primeiro Kingdom Hearts do Playstation 2 lá em 2002. De lá pra cá a série recebeu 13 títulos (contando os remasters e spin offs), sendo que o segundo jogo da série principal chegou ao mercado no distante ano de 2005.

Após 14 anos, finalmente Nomura está pronto para a terceira parte da saga de Sora e seus amigos Donald e Pateta. A franquia amadureceu feito vinho, de modo que o salto de duas gerações garantiram gráficos melhores e uma jogabilidade mais afiada. Não bastasse isso, as últimas compras da Marvel garantiram que os jogadores poderão explorar os mundos da Pixar e outras criações como Frozen e Monstros S.A. Kingdom Hearts 3 promete ser um prato cheio para fãs de RPGs de ação e histórias repletas de reviravoltas.

Devil May Cry 5

Dante e sua turma pareciam largados pela Capcom, mas eis que na E3 2018 um bombástico trailer foi revelado, mostrando que a franquia não apenas estaria de volta, como estaria mais brutal e fotorrealista. O grande macete é que a jogabilidade deve respeitar o legado da franquia, sendo um dos mais difíceis que os jogadores encontrarão.

Um detalhe importante é que Devil May Cry 5 terá outro protagonista chamado Nero, ao invés do lendário Dante. A mudança é para mostrar um ponto de vista novo, ao mesmo tempo que expande os horizontes da franquia. Mas não pense que Dante ficará de fora, a Capcom não confirma, mas rumores sugerem que Dante será um personagem jogável e será um dos pilares na resistência contra o ataque dos demônios.

Mortal Kombat 11

 

Durante o evento The Games Awards a NetherRealm aproveitou seu espaço para anunciar Mortal Kombat 11, o terceiro game principal desde que a produtora colocou as mãos na franquia – o primeiro foi o ótimo Mortal Kombat 9. O trailer não revelou muito, apenas uma luta entre Raiden e Scorpion, com direito a mostrar que o Deus do Trovão pode estar em sua versão corrompida.

Uma teoria que ganhou bastante espaço na internet foi a de que a trama envolverá viagens do tempo, já que Scorpion acaba aparecendo com seu uniforme clássico. Essas dúvidas não ficaram muito tempo no ar, pois o título tem previsão de lançamento em 23 de abril de 2019. Pelo que os produtores já fizeram no passado, podemos esperar mais um jogão de luta a caminho.

Shenmue III

A primeira vez que ouvimos falar de Shenmue III foi durante a E3 2015, quando Yu Suzuki subiu ao palco durante a conferência da Sony para apresentar um trailer garantindo que os trabalhos seriam feitos, porém para que o game visse a luz do dia seria necessário que a comunidade apoiasse a camapanha via Kickstarter. Não demorou muito para que os resultados fossem alcançados e o título ganhasse uma data de lançamento: 27 de agosto.

Não há muitos detalhes sobre a trama ou sobre a jogabilidade, mas Suzuki é reconhecido por ter revolucionado a indústria dos jogos eletrônicos com o primeiro Shenmue para Dreamcast. As expectativas são altas para este jogo, ainda que os dois primeiros não tenham envelhecido tão bem. De qualquer forma, fica o amor no coração que toda uma comunidade tem pela franquia, o que por si só já justifica todo o apoio que Shenmue III recebeu em poucos meses.

Gears 5

Gears 5 é a próxima e maior investida da Microsoft para tentar mudar o cenário do Xbox One. A franquia de TPS já se mostrou uma das mais bem produzidas do Xbox e um dos campeões de vendas da geração. Nesta nova entrada a Microsoft aposta em um ambiente mais caótico e na entrada de uma nova personagem chamada Kait Diaz, que deve descobrir mais sobre as origens da raça Locust.

Ao contrário dos games anteriores, aqui a Microsoft optou por chama-lo singelamente de Gears 5. A atitude ousada é uma tentativa renovar a franquia para o público mais jovem. Pelo que se pode ver nos trailer, o título promete bastante ação e uma trama mais emocional.

Luigi’s Mansion 3

O Nintendo Switch é um fenômeno de vendas e para não deixar a peteca cair a Nintendo continua apostando alto em suas franquias mais queridas. Este é o caso de Luigi’s Mansion 3, jogo que coloca o irmão do Mario em missões de caça-fantasma. O terceiro game foi anunciado meio que de surpresa em um Direct em setembro, com quase nenhum detalhe.

Sabe-se por hora que o game é exclusivo de Switch e chegará ao mercado em meados deste ano. A Nintendo guarda bastante segredo sobre este jogo, de modo que a comunidade espera novos detalhes durante a E3 2019. Este será o retorno de Luigi’s Mansion para uma plataforma de mesa da Nintendo desde o 1º capítulo.

Final Fantasy VII

Outro título que deu as caras na E3 2015 e depois saiu do radar foi Final Fantasy VII Remake. A Square-Enix promete o game ainda neste ano, mas a falta de informações sobre o desenvolvimento leva a crer que este aqui está no limbo criativo e somente deve surgir novidades a partir da E3. De acordo com Tetsuya Nomura, diretor do projeto, Final Fantasy VII somente receberá total atenção dos produtores após o lançamento de Kingdom Hearts III.

Sabe-se que o game não será um remake todo fiel, pois a equipe já informou que algumas mudanças foram feitas, tal como a missão em que Cloud se veste de mulher para se infiltrar. O remake não terá isso, além disso, a equipe criativa pretende deixar os combates mais fluídos, deixando um pouco de lado a estética dos RPGs por turno. Provavelmente a square-Enix não conseguirá lançar FFVII ainda em 2019, mas vamos manter as esperanças.

Anthem

A Bioware sabe que pisou feio na bola em Mass Effect Andromeda em 2017. A intenção é não repetir os mesmos erros. Anthem sai um pouco do senso comum, ao dar ao jogador a oportunidade de sair viajando por um mundo fantástico e habitado por muitas criaturas estranhas. Já que o foco é no multiplayer online, Anthem tem todos os ingredientes para criar uma comunidade forte e dedicada, se a EA fizer as coisas corretamente.

Talvez a melhor coisa de Anthem seja seus ambientes exploráveis. Sério, após ver a demo, você fica com aquele gosto de quero mais, como se o trabalho realizado pelos produtores superassem o limite do que os videogames são capazes de fazer. Mas é claro, por vezes a EA conseguiu nos enganar com jogos mal acabados. Felizmente, Anthem parece não seguir essa diretriz.

Ori and the Will of the Wisps

O segundo capítulo da saga de Ori surge aqui na lista meio que de penetra, pois é o game de menor escala de todos, se assemelhando muito a um jogo indie. O que o coloca nesta lista é o legado que ele traz consigo: o primeiro Ori foi fenomenal e um dos melhores games que já jogamos. A qualidade foi tal que sem dúvidas é um daqueles que podemos chamar de obra de arte interativa.

A Moon Studios promete elevar a franquia para um novo patamar combinando gráficos lindos de morrer e um gameplay metroidvania repleto de desafios. O trabalho de iluminação é um dos pontos altos pelo que a demo demonstrou. Não obstante, vale destacar que Ori é um dos games mais importantes do Xbox One nesta temporada, já que é justamente ele a quebrar um pouco o ritmo dos jogos da plataforma, que em geral são voltados aos tiroteios e pancadaria. É bom ver um game feito para emocionar os jogadores ganhando espaço entre os peso-pesados.

Thronebreaker: The Witcher Tales já está disponível na Steam 

Se você é fã da franquia The Witcher da CD PROJEKT RED, a grande pedida da vez é o lançamento de Thronebreaker: The Witcher Tales, um novo RPG single-player baseado no universo fantástico habitado por Geralt de Rivia. O game acabou de ser lançado pela Steam e é mais uma forma de expandir a franquia mais premiada da atualidade.

Em Thronebreaker os jogadores acompanham a história de Meve, uma rainha veterana de guerra de dois Reinos do Norte – Lyria e Rivia. Diante de uma iminente invasão nilfgaardiana, Meve é forçada a entrar novamente na guerra e partir para uma jornada sombria de destruição e vingança. O game tem perspectiva isométrica que dá todo um charme especial ao sombrio mundo do jogo.

 

Ao longo da aventura, os jogadores explorarão partes novas e inéditas do mundo The Witcher, embarcando em missões instigantes com personagens ricos e multidimensionais. Tudo isso enquanto reúne recursos para expandir seu exército e participar de batalhas épicas baseadas em habilidades conhecidas em GWENT: The Witcher Card Game.

O pacote do jogo inclui uma versão digital do livro GWENT: Art of The Witcher Card Game, da Dark Horse. A arte em geral é um prato cheio para quem gosta de jogos de RPG clássico e da franquia The Witcher. De acordo com a a CD PROJEKT RED, o título inclui artes conceituais, incluindo o mapa da região de Lyria; O romance gráfico The Witcher: Fox Children, da Dark Horse; e uma cópia de The Witcher: Enhanced Edition Director’s Cut para Steam. O título será lançado em 4 de dezembro para Playstation 4 e Xbox One. Para saber mais sobre o jogo, visite o site oficial.

Abaixo você confere o trailer do jogo:

Conheça 8-Bit Hordes, novo jogo de estratégia da SOEDESCO

Nosso destaque do dia é o jogo 8-Bit Hordes, criado pela equipe da SOEDESCO, um game indie do estilo RTS ambientado em um mundo de fantasia medieval. O título é meio que a sequência espiritual do hit 8-Bit Armies, que saiu em setembro deste ano, e se destaca por seu ambiente multicolorido e a curva de aprendizado facilitado.

Aqui os jogadores devem escolher entre as facções Deathsworn ou Lightbringers, em batalhas grandiosas e repletas de estratégia. O time dos Deathsworn são representantes do mal e contam em suas fileiras com tropas de ciclopes, dragões etc. Já os Lightbringers são o oposto e tem magos, fênix e bravos guerreiros. O objetivo é subjugar o exército inimigo.

8-Bit Hordes conta com personagens e mapas em pixel art, o que lhe confere visuais únicos. O estilo de jogo em si é bem arcade, de modo que novos jogadores não sofrerão tanto quanto se caíssem de paraquedas em jogos RTS mais tradicional. Ou seja, ele é bem fácil de aprender e tem tudo para agradar mesmo os jogadores mais jovens.

Além de 24 missões de campanha off-line, 12 missões cooperativas e 10 mapas de batalha/online multiplayer para até 8 jogadores, 8-Bit Hordes também se destaca com seu modo “cross-title”. Isso quer dizer que jogadores que têm 8-Bit Armies podem jogar contra aqueles que têm o novo jogo, combinando assim mapas e personagens diferentes. Esse é a primeira vez que algo do tipo é possível em consoles.

Os visuais e a trilha sonora são os pontos altos. Ainda que tenha um estilo mais simples, o game agrada e até lembra algo de Minecraft (pelo visual) e Senhor dos Anéis (pela caracterização de personagens. Se você gosta de jogos do estilo RTS, fique de olho.

O game acaba de receber a data de lançamento oficial para Xbox One e Playstation 4: o jogo será lançado em fevereiro de 2019. O game continua a franquia “8-Bit”, sendo o segundo volume da série iniciada pela Petroglyph. A expectativa da SOEDESCO é que o jogo seja bem sucedido no Brasil ao ponto de tornar a publisher reconhecida em nosso pais.

Abaixo você confere o trailer de 8-Bit Hordes:

 

E3 2018 – Uma análise do novo posicionamento da Microsoft e porque essa conferência muda o jogo

Em 2013 a Microsoft levou o Xbox One pela primeira vez à E3. As expectativas eram altas, afinal a apresentação simbolizava o início de uma nova geração de videogames. A conferência com transmissão mundial foi um acontecimento inesquecível. Um completo desastre: a plataforma era mais cara que a concorrência, tecnicamente inferior e não tinha grandes jogos que justificassem a compra. Cinco anos depois, podemos dizer que a empresa de Redmond conseguiu mudar o jogo ao realizar outra conferência inesquecível. Desta vez para melhor.

Passados cinco anos, a Microsoft sabia que sua plataforma e sua credibilidade estava por um fio no mercado de jogos digitais, visto que o Switch teve um ótimo primeiro ano e o PS4 surfa na onda de um sucesso que nem mesmo a Sony esperava. O Xbox One é e sempre foi uma plataforma bacana, mas o início de sua vida útil começou de mal a pior (culpa da própria Microsoft). Desde seu lançamento muita coisa mudou, como um viés mais voltado aos serviços como a Game Passar, a saída de Don Matrik e a sonhada retrocompatibilidade.

Ainda assim, era necessário fazer algo mais que tornasse a plataforma mais desejável pela comunidade. Um dos erros iniciais foi sanado no ano passado com o lançamento do One X, tornando o sistema mais poderoso que a concorrência. Agora faltava aquilo que todos apontavam acusadora mente (e com razão): e os jogos?

Phil Spencer foi categórico e confiante ao apresentar a lineup do Xbox One na E3 2018: “vamos realizar a melhor E3 de todos os tempos”, disse o executivo. Durante as quase duas horas de evento a empresa americana apresentou jogo após jogo em um ritmo frenético, esquecendo as apresentações monótonas de anos anteriores, sem falar de números, nem de dados técnicos ou encheção de linguiça. A ideia este ano era falar tão somente de jogos. E que jogos!

Ao longo de 1h30 a Microsoft apresentou nada menos que 50 jogos, dentre eles 18 exclusivos e 15 lançamentos jamais vistos. Claro, mais da metade foi preenchida por jogos multiplataformas, mas a estratégia é mostrar que a força do sistema é poder jogar as melhores versões dos jogos 3rd parties ao mesmo tempo que aposta no poderio de suas próprias marcas. Vale lembrar que o trio de ferro da Microsoft Games Studios se fez presente na E3 2018.

 

O trio de ferro do Xbox

Halo Infinite foi o primeiro dentre os anúncios. Poucos detalhes foram divulgados, mas uma coisa interessante é que o game utiliza uma nova engine chamada Slipspace. Além disso, um post no Halo Waypoint confirma que Infinite será mais centrado em Master Chief, ao contrário do que houve com Guardians.  O novo estilo artístico denota que a nova engine deve trazer uma arte gráfica potente.

Quem também fez bonito foi Forza Horizon 4. A melhor série de corridas arcade retorna com força total, graças aos seus gráficos impecáveis, sensação de velocidade insana e efeitos de luz/sombra de cair o queixo. A adição da marca MacLaren garante que o game deve ter uma coleção de bólidos maior do que qualquer outro jogo da série. Provavelmente estaremos diante do melhor jogo de corrida de todos os tempos, se depender da expertise que a Playground adquiriu desde que botou a mão na franquia.

Sabemos ainda que Horizon 4 será ambientado na Inglaterra, apresentando ruas estilizadas desde Edimburgo até as vilas de Cotswood em um mundo aberto repleto de desafios emocionantes e desafiadores. Outro ponto importante é que ao longo da campanha será possível ver variações do tempo de acordo com a estação do ano. E sim, isso vai interferir no desempenho dos carros. É fácil apontar Halo Infinite ou Gears of War 5 como os melhores do One na E3, mas nós apostamos que Forza Horizon 4 será o melhor jogo da plataforma na temporada.

E por fim temos Gears of War 5. E vamos fazer uma observação aqui: Nunca antes a Microsoft teve a audácia de apresentar seus três maiores jogos de uma única vez. Só por isso, dá para notar que este ano a empresa jogou todas as suas cartas de uma só vez. Gears não recebeu um só jogo, mas três, ao mesmo tempo. A sensação é que a franquia recebeu o mesmo status de importância que Halo, para a Microsoft.

Gears Pop foi o primeiro da fila, um jogo com estética mais infantil, caricata, divertida. Um game feito para smartphones e que se inspira no design dos Funkos. O jogo chega em 2019 e deve aproximar os jogadores mais jovens da franquia de Marcus Fênix. Ainda é cedo para dizer como isso vai funcionar, mas é de fato uma aposta ousada. O segundo jogo da leva é Gears Tactics, um jogo exclusivo para PCs baseado em estratégia por turnos. A única coisa que se pode apostar é que o jogador irá controlar uma unidade para enfrentar os terríveis Locuts. Se cabe aqui uma crítica é que a Microsoft poderia fazer um crossover com Halo em um jogo ao estilo Halo Wars. Já imaginou que louco?

Por fim, tivemos o belo anúncio de Gears of War 5. Um detalhe percebido é que a empresa apenas chamou o game de Gears 5. Talvez uma tática para afastar a franquia da sigla GoW (God of War)? O lançamento é apenas para 2019 e deve ter como protagonista a Kait, uma mulher de personalidade forte e treinamento aprimorado. Os poucos minutos de gameplay deu para sacar duas coisas: o design de personagens está mais realista e que os inimigos são mais assustadores (quase como em um jogo de terror). Talvez isso seja o trabalho da The Coalition sobressaindo sobre o legado da Epic?

 

Novos estúdios

Por mais de uma década a principal provocação de sonystas e nintendistas em cima dos fãs do Xbox é de que a plataforma americana “não tem jogos”. Sim, a afirmação é absurda, mas se comparar o peso das franquias exclusivas de Sony e Nintendo estava claro que a Microsoft estava atrás na disputa. A situação parecia ainda mais crítica com o fechamento de estúdios estratégicos como a Ensemble Studios e a Lionhead. Para resolver a situação, a empresa de Bill Gates saiu às compras, revelando nada menos que a compra de cinco novos estúdios dedicados a produzir jogos novos e exclusivos para a plataforma. Estes são os principais estúdios da Microsoft agora:

  • 343 Industries;
  • The Coalition;
  • Turn 10;
  • Rare;
  • Minecraft;
  • The Initiative;
  • Undead Labs;
  • Playground Games;
  • Ninja Theory;
  • Compulsion Games (We Happy Few).

A mensagem é clara: a Microsoft está preocupada em fornecer ao Xbox os melhores jogos quanto possível. A adição desses novos estúdios deve dar resultados em três anos aproximadamente. Imagine se metade deles anunciar jogos e IPs novas em uma única E3?

 

E o Japão?

O Japão é a grande pedra no sapato da Microsoft desde a geração 128 bits. Parar de apostar no país seria justificável, visto que as vendas do sistema são baixíssimas. Felizmente para quem curte jogos orientais, a empresa de Redmond não desistiu dos jogos japoneses, mesmo que as vendas não melhorem muito. O melhor exemplo disso é que foi durante a conferência do Xbox que ficamos sabendo de Sekiro: Shadows Dies Twice, da FromSoftware, um game baseado na era Sengoku do Japão. O jogo é a fusão de Nioh e a franquia Dark Souls, porém mais bonita e sanguinolenta. Este é compra certa.

Nier Automata também deu as caras no Xbox, abandonando a exclusividade no PS4, bem como Devil May Cry 5. Claro, nenhum desses três jogos será exclusivo, mas é legal ver que a Microsoft está dando espaço para jogos orientais em uma premiere mundial. Alguns poucos minutos de transmissão na E3 custam muito dinheiro. Como se não fosse o bastante, houve a revelação de Jump Force, sucessor espiritual de Jump Ultimate Stars. O game vai trazer personagens da Shonen Jump em combates à lá Naruto Ultimate Ninja Storm, também da Bandai Namco.

 

Força também para jogos menores

Todos sabem que os jogos AAA são as pérolas de qualquer plataforma. Mas é mister para as plataformas e para os jogadores que jogos menores acabam preenchendo lacunas importantes ao longo dos anos. O Xbox One estará bem servido de jogos menores. Ori and the Will of the Whisps, Tunic, Super Meat Boy Forever e Ashen são apenas alguns dos bons exemplos de que a Microsoft está de olho em quem gosta de jogos mais simples, porém extremamente divertidos.

Claro, muito do que foi mostrado entre os 50 jogos vai sair apenas em 2019 e uma boa parte disso é multiplataforma, mas se analisarmos as apresentações da Sony nos anos anteriores fica claro que a Microsoft se espelhou na empresa japonesa nesta E3. Mais do que vender jogos, a empresa de Redmond decidiu vender sonhos. A Microsoft está deixando a comunidade que é fã do Xbox sonhar.

E3 2018 – Microsoft realiza a melhor conferência de sua história. Variedade e games de alta qualidade anima os jogadores

Meses antes da E3 2018 a Microsoft alardeada aos quatro ventos que estava preparando a maior E3 de sua história. De acordo com a empresa de Redmond, os jogadores poderiam esperar por uma tonelada de novos jogos de alta qualidade. Promessa é dívida: a empresa americana cumpriu com louvor sua missão. Foram muitos jogos mostrados em sequência.

A impressão que tivemos é que duas horas foi pouco para a tonelada de jogos apresentados. Se havia desconfiança em relação ao Xbox para este ano e início de 2019, esqueça. O console corre a passos largos a se tornar uma plataforma essencial para apreciadores de games. E some-se a isso o fato de o Xbox One X ser a plataforma mais poderosa do mercado.

Confira abaixo o resumo da conferência da Microsoft na E3 2018:

Halo 6

A Microsoft resolveu começar sua conferência chutando a porta com o anúncio de Halo Infinite. A 343 Industries não deu muitos detalhes da trama, mas pelo curto vídeo, sabe-se que Master Chief está de volta em uma missão para salvar a humanidade. O trailer mostra os Spartans em um planeta com bastante vegetação, parecido com a Terra. O grande detalhe é que o game faz uso de uma nova engine chamada Slipspace. Ainda não há data de lançamento, nem gameplay.

Ori and the Will of the Wisps

Após Phil Spencer subir ao palco para falar do novo direcionamento da Microsoft (agora dedicada aos jogos), foi a vez mostrar a sequência do belo Ori. Ao que o trailer mostrou, haverá uma variação interessante de cenários e parece que as condições climáticas devem influenciar na jogabilidade. O estilo artístico continua sendo o ponto alto de Ori.  Este parece ser compra certa.

Sekiro: Shadows Die Twice

A FromSoftware subiu ao placo para mostrar seu mais novo projeto denominado de Sekiro: Shadows Die Twice, um jogo ao estilo Souls com uma pegada Japão feudal. O nível de dificuldade deve ser bem alto, mantendo o legado da franquia Souls. As comparações com Nioh, da Team Ninja, devem ser recorrentes. Lançamento prometido para 2019 e a publicação fica a cargo da Activision.

Fallout 4 e Fallout 76

A Bethesda aproveitou seus preciosos minutos dentro da conferência da Microsoft para falar de seus dois novos jogos: Fallout 76 e Fallout 4. O primeiro será uma prequela para todos os outros jogos da série. O vídeo não mostrou quase nada, mas serviu para colocar a comunidade de fãs em estado de hype. Já Fallout 4 chegou hoje (10) para os felizardos usuários do Xbox Game Pass.

Captain Spirit

Uma surpresa e tanto guardada durante a conferência da Microsoft foi o trailer de Captain Spirit, um jogo no mesmo universo de Life is Strange. O game acompanha as aventuras de uma criança bastante imaginativa. A boa notícia: o game chega já no dia 26 de junho gratuitamente para PC, Xbox One e PS4.

Crackdown 3

Um dos trailers com mais ação foi Crackdown 3. O trailer mostrou o gameplay do jogo com a versão digitalizada de Terry Crews. Ao que parece haverá muita ação, veículos, armas improváveis e explosões. De acordo com a Microsoft, o game chega em 2019. Esperamos que não ocorram novos adiamentos.

Vários jogos multiplataformas

Os usuários do PS4 já não podem incluir Nier Automata em suas listas de exclusivos. Sim, o game foi anunciado para o Xbox One e chega já no dia 26/06.

Outro peso pesado a entrar no catálogo da plataforma é Metro Exodus. O game não é uma novidade, mas desde seu anúncio, a comunidade aguarda ansiosamente. O vídeo mostrou cenas de gameplay, onde pode-se ver algo de stealth, zumbis e diversos inimigos.

Logo em seguida surgiu o esperado Kingdom Hearts 3, da Square-Enix. Esta é a primeira vez que um jogo da franquia chega à plataforma da Microsoft. A novidade é a adição do mundo de Frozen, Detona Ralph, Enrolados, Monstros S.A e Toy Story. Todos esses mundos são relativamente novos, mostrando que a franquia está buscando se reinventar. O lançamento foi marcado para 29 de janeiro de 2019.

Sea of Thieves recebe nova DLC

Depois de mostrar todos esses títulos multiplataformas, a Microsoft abriu espaço para a Rare revelar as duas novas expansões de Sea of Thieves: Cursed Sails e Forsaken Shores, que chegam em setembro e devem suprir as principais críticas do game, ou seja, mais missões, ambientes, inimigos etc.

Forza Horizon 4

Finalmente tivemos um trailer de Forza Horizon 4 e a data de lançamento para outubro deste ano, com lançamento simultâneo no Game Pass. O game terá ambientação na Europa, ao invés do Japão, conforme rumores sugeriam. Pelo que deu para notar, haverão diversos veículos inéditos, como motos, submarinos e a MacLaren. Este promete ser um dos maiores lançamentos do ano e contará com gráficos belíssimos.

Novos estúdios assimilados pela Microsoft Game Studios

Alguns vazamentos ja adiantavam que a Microsoft saiu às compras a fim de fortalecer sua posição como desenvolvedora de games e fazendo frente aos concorrentes Sony e Microsoft.  Foi anunciado cinco novos estúdios integrados ao Microsoft Studios, sendo eles The Initiative (baseado em Santa Monica); Playground Games (os criadores de Forza Horizon); Undead Labs (State of Decay); a Ninja Theory (Hellbade); e a Compulsion Games (criadores de We Happy Few).

The Division 2 está espetacular

Um dos grandes jogos da Ubisoft nos últimos anos foi The Division. A empresa mantém apoio à franquia com o segundo título da franquia. O jogo foi apresentado em gameplay e com uma ambientação mais colorida. The Division 2 chegará a 15 de Março de 2018 e quem quiser pode participar da fase beta ainda em 2018.

Shadow of the Tomb Raider para coroar a melhor trilogia da década

Depois foi a vez da Crystal Dynamics mostrar a nova entrada de Tomb Raider. O título deve manter a mesma pegada dos dois anteriores, mostrando a Lara em desafios em ambientes urbanos e tropicais.  Os visuais estão incríveis e Lara ainda vai sofrer bastante.

E tome mais jogos emocionantes

Primeiro foi a vez de mostrar a nova IP Session. Este game é exclusivo para o Xbox e é já visto por muitos como sucessor espiritual da franquia Skate. Você poderá fazer manobras em cidades e parques. Depois foi a vez da Microsoft mostrar um vídeo do MMORPG Black Desert. Ele está muito bonito e promete bastante ação e aventuras por um mundo vasto.

Para coroar a noite de gala, a Microsoft mostrou um teaser de Devil May Cry 5. O game era sonho antigo da comunidade e vai mostrar Dante em batalhas avassaladoras contra demônios terríveis e bosses gigantescos. O jogo ainda conta com o retorno dos personagens Nero e Dante.

Chuva de conteúdo para Xbox

Cuphead ganhará um conteúdo exclusivo através de DLC. O game é um dos mais bem sucedidos do Xbox nos últimos anos.

Logo na sequência a Microsoft mostrou o trailer de Tunic, um RPG de ação claramente inspirado na franquia Legend of Zelda. Ele será exclusivo para Xbox e PCs.

Outro game que deu o que falar foi Jump Force. O game vai unir personagens da revista Shonen Jump em lutas devastadoras. O game tem um estilo gráfico mais realista do que as entregas mais tradicionais da Bandai Namco. Pode contar com a participação de lutadores das franquias Dragon Ball, One Piece, Naruto e até Death Note.

Dying Light 2

Dying Light 2 apareceu para alegria dos fãs de jogos de zumbis. O game não recebeu muitos detalhes, mas sabe-se que as escolhas que o jogador faz na campanha terá consequências no mundo do jogo. O game recebeu até mesmo um trailer gameplay, que serviu para provar que os poucos deslizes do primeiro game foram superados.

O retorno de Battletoads

A Microsoft prometeu o retorno de Battletoads para 2019, ainda sem detalhes, nem gameplay, nem detalhes adicionais. O anúncio serviu para tirar lágrimas dos jogadores mais saudosistas.

Just Cause 4 está lindo

Na esteira de Battletoads, a Microsoft já enganchou um trailer de Just Cause 4. O mundo de game parece extremamente caótico e as missões devem envolver diferentes veículos e movimentos improváveis.

Overdose de Gears of War

A Microsoft resolveu apostar pesado na franquia Gears. O primeiro foi Gears Pop, um jogo de celular mais simples e com personagens ao estilo funko. Uma mudança drástica para quem está acostumado com os personagens abrutalhados da franquia.

Mas as coisas não pararam aí, o teaser era uma brincadeira para depois apresentar Gears Tactics, um RTS para PCs. Os esquadrões serão customizáveis, haverão diversas armas e chefões gigantescos. Mais um bait para a cereja no bolo.

O verdadeiro jogo da noite é Gears 5, que coloca o jogador no comando de Kait, uma soldado altamente treinada e destemida. Os poucos minutos do gameplay serviram para mostrar que o trabalho gráfico está primoroso e haverá diversos ambientes. Um detalhe importante: os personagens estão mais realistas, fugindo do design malhado dos personagens anteriores.

Cyberpunk 2077 será o melhor game da CD Projekt RED

Antes de encerrar os anúncios, Phil Spencer subiu ao palco para anunciar que a Microsoft vai investir no serviço de streaming. O objetivo é trazer os jogos para os consoles, PCs e mobile. Em seguida a fala do executivo foi interrompida pelo trailer de Cyberpunk 2077. O game será ambientado em um Estados Unidos futurista, numa cidade chamada Night City. O trailer finalizou os anúncios da Microsoft em grande estilo.

Boavista Shopping organiza 2º edição do Arena Games no final de Janeiro

Após o sucesso do 1º Arena Games, o Boavista Shopping, localizado em Santo Amaro, SP, decidiu oficializar a 2º edição do evento que disponibiliza diversos consoles para free play nas dependências do shopping. As atrações acontecem de 12 a 28 de janeiro de 2018, das 14h às 20h, no Piso G4 do empreendimento, em frente à loja Magic Games. A Arena é composta por 5 estações com consoles Playstation 4/XBOX One com jogos Fifa 18, Call of Duty, Minecraft, Batman Lego e Mortal Kombat X e uma  estação de dança completa com tapete, TV, som, kinnect e o jogo Just Dance.

Além de jogar, os visitantes do Arena Games também podem participar de competições e ganhar prêmios. O evento promove o torneio do jogo Just Dance no dia 27 de janeiro e a segunda edição do Campeonato Fifa 2018 no dia 28. As ações são gratuitas e promovidas pela Liga Sorocabana de futebol virtual em parceria com o shopping e tem o objetivo de estimular a prática de atividades que desenvolvem, entre outros aspectos, o raciocínio lógico, a coordenação motora, a criatividade, a socialização e o espírito de competitividade e de união entre os atletas virtuais.

As inscrições para os campeonatos do Arena Games podem ser feitas no site da Liga, em que serão aceitos até 32 jogadores para o Just Dance e 64 inscritos no Fifa 2018, utilizando o sistema de mata-mata do início ao fim da competição. Os regulamentos completos dos torneios também estão disponíveis no site da liga. Fundada em 2007, a Liga Sorocabana de Futebol Virtual tem caráter amador e não é filiada à instituições ou organizações de esportes eletrônicos profissionais.

Premiações – Os três primeiros colocados de cada competição serão premiados. O primeiro lugar ganhará um smartphone, um jogo de Playstation ou Xbox One e mais troféu. O segundo colocado ficará com dois jogos e troféu. E o terceiro lugar ganhará um jogo e medalha.

 

SERVIÇO – 2º Arena Games – jogos virtuais no Boavista Shopping

Quando: 12 a 28 de janeiro de 2018 Horário: 14h às 20h

Onde: Piso G4, em frente à Magic Games do Boavista Shopping – Rua Borba Gato nº 59 – Santo Amaro – São Paulo/ SP

Quanto: Evento gratuito

Site: www.boavistashopping.com.br

 

1º Campeonato Just Dance Boavista Shopping

Quando: 27 de janeiro de 2018 Horário: a partir das 13h

Onde: Piso G4, em frente à Magic Games – Rua Borba Gato nº 59 – Santo Amaro – São Paulo/ SP

Inscrições gratuitas em www.ligasorocabana.com.br (limite de 32 participantes

Regulamento: http://www.ligasorocabana.com.br/noticias-exibir.php?id=247

 

2º Campeonato Fifa 2018 Boavista Shopping

Quando: 28 de janeiro de 2018 Horário: a partir das 13h

Onde: Piso G4, em frente à Magic Games – Rua Borba Gato nº 59 – Santo Amaro – São Paulo/ SP

Inscrições gratuitas em www.ligasorocabana.com.br (limite de 64 participantes

Regulamento: http://www.ligasorocabana.com.br/noticias-exibir.php?id=246