Top 5 – Jogos da geração atual que valem a pena serem jogados

Não é novidade para ninguém que a próxima geração de videogames está por vir. Mesmo que a Sony e a Microsoft tentem esconder os detalhes, é fato consumado que na E3 2020 iremos presenciar o nascimento da nona geração de videogames com o Projeto Scarlett e o vindouro Playstation 5. Dito isto, fica o questionamento: será que ainda vale à pena investir no Playstation 4 e no Xbox? A resposta é um simples sim. Seria fácil dizer que esperar um novo videogame seria o melhor investimento, mas temos de levar em consideração a biblioteca de jogos incríveis que esses videogames trouxeram ao longo desses anos.

Partindo desse pressuposto, pergunta-se: que jogos seriam esses? Opções não faltam, mas decidimos eleger apenas 5 jogos que merecem ser jogados por qualquer gamer. São aquelas obras de arte que transcendem a experiência de sentar e manipular objetos/personagens em uma tela. Estamos falando daqueles jogos da geração atual que valem a pena serem jogados ainda hoje. Se você já jogou, vale relembrar, se não, corra atrás desses títulos antes que desaparecem das lojas! Inclusive, o site da Promobit conta com alguns deles em promoção, assim você não precisar esperar pela Black Friday.

Confira o Top 5 jogos da geração atual que valem a pena serem jogados:

 

God of War

Barlog

Um dos motivos mais elementares do sucesso estrondoso que foi o PS4 é essa reinvenção de God of War. No momento que todos acreditavam que a saga de Kratos havia acabado e não havia como reformular a franquia, a Santa Monica mostrou que era possível inserir sim profundidade em um jogo de hack ‘n slash. Sim, você provavelmente vai se comover durante os inúmeros diálogos entre o Fantasma de Sparta e seu filho, Atreus. Os combates permaneceram viscerais e os quebra-cabeças estão mais inteligentes e desafiadores. Some-se a isso o fato que de a direção de arte estava bastante inspirada e você tem um dos melhores jogos do PS4.

 

Resident Evil 2 Remake

Já que começamos falando sobre reinvenções de franquias antigas, vale também dar destaque ao retorno de Resident Evil. A Capcom foi capaz não apenas de repetir os triunfos do remake do primeiro game, mas também de tornar o ambiente de terror e mistério ainda mais envolvente. Aqui você encarna os personagens Leon e Claire enquanto tentam sobreviver aos inúmeros desafios da cidade Raccon City que se vê em um apocalipse zumbi.

Muita coisa do original permaneceu quase intocada, mas os produtores não se fizeram de rogados e melhoraram muitos dos jump scares e clima de tensão. O resultado é um game capaz de enregelar a espinha do mais corajoso dos jogadores, pois não se tem a impressão de estar jogando algo antigo, mas de descobrir algo completamente novo.

 

Fortnite

Vai demorar muitos anos até que alguém possa explicar o fenômeno que Fortnite é, mesmo com seus gráficos e jogabilidade simplistas e, até, caricata. Talvez seja justamente isso que torna o game da Epic Games tão sucedido. Esqueça jogabilidade complexa e mecânicas rebuscadas! Aqui o negócio gira em torno da diversão pura e descompromissada. Junte seus amigos para sessões ensandecidas de tiroteios em times por ambientes que mudam e evoluem para se adaptar às necessidades dos jogadores. Outro aspecto que torna Fortnite relevante para seus milhares de jogadores é o fato de que a comunidade está toda engajada em novas fórmulas para tornar as jogatinas únicas. Praticamente um expoente da nossa cultura moderna!

 

Red Dead Redemption 2

Um dos títulos mais esperados desde sua revelação em 2016 não se mostrou um desapontamento, mas sim um produto que deve envelhecer muito bem, obrigado. O jogador toma controle do personagem Arthur Morgan, um fora-da-lei membro da gangue de Van der Linde, e deve cumprir variadas missões para o bando.

Praticamente um GTA no velho oeste. A variedade de missões e situações impressiona: são cerca de 60 horas de jogatina até terminar o título. Se GTA V desapontou algumas fileiras de fãs da Rockstar, o mesmo não pode ser dito de RDR2, que consegue contar uma história bem humorada e instigante ao mesmo tempo em que apresenta as belas paisagens ensolaradas do Velho Oeste Americano. Certamente um dos melhores jogos do Xbox One e do PS4.

 

The Witcher 3

The Witcher

Por fim, vale destacar um dos jogos mais premiados de todos os tempos: The Witcher 3. Quem tinha jogado o segundo capítulo já sabia que a adição de um mundo aberto seria um grande acerto, mas não havia como prever a grandiosidade que o título teria. É muito fácil começar uma missão, sair a cavalo, matar uns monstros enquanto cruza o continente, receber grana, novas missões e se esquecer de qual era mesmo o motivo que impulsionou a viagem a cavalo em primeiro lugar.

The Witcher 3 é uma ode a tudo o que funciona em um RPG de mundo aberto. Praticamente sem defeitos e com fator replay infinito, é possível que quem tenha comprado o título em 2015 ainda não tenha chegado nem perto de descobrir tudo que este game tem a oferecer. Se os combates no segundo game eram difíceis demais, aqui as coisas são mais niveladas e as lutas até parecem danças, de tão ritualísticas que podem se tornar. Não é à toa que muita gente considera este um dos melhores games de todos os tempos! Vale a pena monitorá-lo através do App de desconto da Promobit.

Top 10: Jogos mais aguardados para 2019

O ano 2018 acabou e deixou uma saudade boa, já que muitos games de alta qualidade saíram neste ano, tais como Godo f War, Red Dead Redemption e Forza Horizon 4. Mas não pense o ano de 2019 será menos especial para quem curte videogames! Não senhor! Este novo ano promete alguns dos jogos mais aguardados de todos os tempos e boas surpresas para todos os gêneros. Pensando nisso, elaboramos uma pequena lista de 10 jogos que devem chegar em 2019 e parecem imperdíveis demais para qualquer aficionado por videogames. Confira!

Resident Evil 2

Um dos capítulos mais amados de toda a franquia Resident Evil é sem dúvidas o segundo game, graças ao seu clima de tensão sempre crescente, monstros arrepiantes e o carisma dos dois personagens centrais. Quando a Capcom relançou o remake de R.E 1, a comunidade logo ficou na expectativa de um trabalho semelhante para Resident Evil 2.

Após anos de rumores, a Capcom acabou por confirmar os trabalhos no remake de Resident Evil 2. Na última edição da E3, aliás, a produtora chegou a levar uma demo que foi considerada espetacular pela maior parte da comunidade. Pelo que deu para ver, o game promete muitos sustos e um ambiente de puro terror.

Kingdom Hearts 3

Tetsuya Nomura é atualmente o principal nome da Square-Enix. Seu nome tornou-se reconhecido do público justamente pelo sucesso do primeiro Kingdom Hearts do Playstation 2 lá em 2002. De lá pra cá a série recebeu 13 títulos (contando os remasters e spin offs), sendo que o segundo jogo da série principal chegou ao mercado no distante ano de 2005.

Após 14 anos, finalmente Nomura está pronto para a terceira parte da saga de Sora e seus amigos Donald e Pateta. A franquia amadureceu feito vinho, de modo que o salto de duas gerações garantiram gráficos melhores e uma jogabilidade mais afiada. Não bastasse isso, as últimas compras da Marvel garantiram que os jogadores poderão explorar os mundos da Pixar e outras criações como Frozen e Monstros S.A. Kingdom Hearts 3 promete ser um prato cheio para fãs de RPGs de ação e histórias repletas de reviravoltas.

Devil May Cry 5

Dante e sua turma pareciam largados pela Capcom, mas eis que na E3 2018 um bombástico trailer foi revelado, mostrando que a franquia não apenas estaria de volta, como estaria mais brutal e fotorrealista. O grande macete é que a jogabilidade deve respeitar o legado da franquia, sendo um dos mais difíceis que os jogadores encontrarão.

Um detalhe importante é que Devil May Cry 5 terá outro protagonista chamado Nero, ao invés do lendário Dante. A mudança é para mostrar um ponto de vista novo, ao mesmo tempo que expande os horizontes da franquia. Mas não pense que Dante ficará de fora, a Capcom não confirma, mas rumores sugerem que Dante será um personagem jogável e será um dos pilares na resistência contra o ataque dos demônios.

Mortal Kombat 11

 

Durante o evento The Games Awards a NetherRealm aproveitou seu espaço para anunciar Mortal Kombat 11, o terceiro game principal desde que a produtora colocou as mãos na franquia – o primeiro foi o ótimo Mortal Kombat 9. O trailer não revelou muito, apenas uma luta entre Raiden e Scorpion, com direito a mostrar que o Deus do Trovão pode estar em sua versão corrompida.

Uma teoria que ganhou bastante espaço na internet foi a de que a trama envolverá viagens do tempo, já que Scorpion acaba aparecendo com seu uniforme clássico. Essas dúvidas não ficaram muito tempo no ar, pois o título tem previsão de lançamento em 23 de abril de 2019. Pelo que os produtores já fizeram no passado, podemos esperar mais um jogão de luta a caminho.

Shenmue III

A primeira vez que ouvimos falar de Shenmue III foi durante a E3 2015, quando Yu Suzuki subiu ao palco durante a conferência da Sony para apresentar um trailer garantindo que os trabalhos seriam feitos, porém para que o game visse a luz do dia seria necessário que a comunidade apoiasse a camapanha via Kickstarter. Não demorou muito para que os resultados fossem alcançados e o título ganhasse uma data de lançamento: 27 de agosto.

Não há muitos detalhes sobre a trama ou sobre a jogabilidade, mas Suzuki é reconhecido por ter revolucionado a indústria dos jogos eletrônicos com o primeiro Shenmue para Dreamcast. As expectativas são altas para este jogo, ainda que os dois primeiros não tenham envelhecido tão bem. De qualquer forma, fica o amor no coração que toda uma comunidade tem pela franquia, o que por si só já justifica todo o apoio que Shenmue III recebeu em poucos meses.

Gears 5

Gears 5 é a próxima e maior investida da Microsoft para tentar mudar o cenário do Xbox One. A franquia de TPS já se mostrou uma das mais bem produzidas do Xbox e um dos campeões de vendas da geração. Nesta nova entrada a Microsoft aposta em um ambiente mais caótico e na entrada de uma nova personagem chamada Kait Diaz, que deve descobrir mais sobre as origens da raça Locust.

Ao contrário dos games anteriores, aqui a Microsoft optou por chama-lo singelamente de Gears 5. A atitude ousada é uma tentativa renovar a franquia para o público mais jovem. Pelo que se pode ver nos trailer, o título promete bastante ação e uma trama mais emocional.

Luigi’s Mansion 3

O Nintendo Switch é um fenômeno de vendas e para não deixar a peteca cair a Nintendo continua apostando alto em suas franquias mais queridas. Este é o caso de Luigi’s Mansion 3, jogo que coloca o irmão do Mario em missões de caça-fantasma. O terceiro game foi anunciado meio que de surpresa em um Direct em setembro, com quase nenhum detalhe.

Sabe-se por hora que o game é exclusivo de Switch e chegará ao mercado em meados deste ano. A Nintendo guarda bastante segredo sobre este jogo, de modo que a comunidade espera novos detalhes durante a E3 2019. Este será o retorno de Luigi’s Mansion para uma plataforma de mesa da Nintendo desde o 1º capítulo.

Final Fantasy VII

Outro título que deu as caras na E3 2015 e depois saiu do radar foi Final Fantasy VII Remake. A Square-Enix promete o game ainda neste ano, mas a falta de informações sobre o desenvolvimento leva a crer que este aqui está no limbo criativo e somente deve surgir novidades a partir da E3. De acordo com Tetsuya Nomura, diretor do projeto, Final Fantasy VII somente receberá total atenção dos produtores após o lançamento de Kingdom Hearts III.

Sabe-se que o game não será um remake todo fiel, pois a equipe já informou que algumas mudanças foram feitas, tal como a missão em que Cloud se veste de mulher para se infiltrar. O remake não terá isso, além disso, a equipe criativa pretende deixar os combates mais fluídos, deixando um pouco de lado a estética dos RPGs por turno. Provavelmente a square-Enix não conseguirá lançar FFVII ainda em 2019, mas vamos manter as esperanças.

Anthem

A Bioware sabe que pisou feio na bola em Mass Effect Andromeda em 2017. A intenção é não repetir os mesmos erros. Anthem sai um pouco do senso comum, ao dar ao jogador a oportunidade de sair viajando por um mundo fantástico e habitado por muitas criaturas estranhas. Já que o foco é no multiplayer online, Anthem tem todos os ingredientes para criar uma comunidade forte e dedicada, se a EA fizer as coisas corretamente.

Talvez a melhor coisa de Anthem seja seus ambientes exploráveis. Sério, após ver a demo, você fica com aquele gosto de quero mais, como se o trabalho realizado pelos produtores superassem o limite do que os videogames são capazes de fazer. Mas é claro, por vezes a EA conseguiu nos enganar com jogos mal acabados. Felizmente, Anthem parece não seguir essa diretriz.

Ori and the Will of the Wisps

O segundo capítulo da saga de Ori surge aqui na lista meio que de penetra, pois é o game de menor escala de todos, se assemelhando muito a um jogo indie. O que o coloca nesta lista é o legado que ele traz consigo: o primeiro Ori foi fenomenal e um dos melhores games que já jogamos. A qualidade foi tal que sem dúvidas é um daqueles que podemos chamar de obra de arte interativa.

A Moon Studios promete elevar a franquia para um novo patamar combinando gráficos lindos de morrer e um gameplay metroidvania repleto de desafios. O trabalho de iluminação é um dos pontos altos pelo que a demo demonstrou. Não obstante, vale destacar que Ori é um dos games mais importantes do Xbox One nesta temporada, já que é justamente ele a quebrar um pouco o ritmo dos jogos da plataforma, que em geral são voltados aos tiroteios e pancadaria. É bom ver um game feito para emocionar os jogadores ganhando espaço entre os peso-pesados.

Thronebreaker: The Witcher Tales já está disponível na Steam 

Se você é fã da franquia The Witcher da CD PROJEKT RED, a grande pedida da vez é o lançamento de Thronebreaker: The Witcher Tales, um novo RPG single-player baseado no universo fantástico habitado por Geralt de Rivia. O game acabou de ser lançado pela Steam e é mais uma forma de expandir a franquia mais premiada da atualidade.

Em Thronebreaker os jogadores acompanham a história de Meve, uma rainha veterana de guerra de dois Reinos do Norte – Lyria e Rivia. Diante de uma iminente invasão nilfgaardiana, Meve é forçada a entrar novamente na guerra e partir para uma jornada sombria de destruição e vingança. O game tem perspectiva isométrica que dá todo um charme especial ao sombrio mundo do jogo.

 

Ao longo da aventura, os jogadores explorarão partes novas e inéditas do mundo The Witcher, embarcando em missões instigantes com personagens ricos e multidimensionais. Tudo isso enquanto reúne recursos para expandir seu exército e participar de batalhas épicas baseadas em habilidades conhecidas em GWENT: The Witcher Card Game.

O pacote do jogo inclui uma versão digital do livro GWENT: Art of The Witcher Card Game, da Dark Horse. A arte em geral é um prato cheio para quem gosta de jogos de RPG clássico e da franquia The Witcher. De acordo com a a CD PROJEKT RED, o título inclui artes conceituais, incluindo o mapa da região de Lyria; O romance gráfico The Witcher: Fox Children, da Dark Horse; e uma cópia de The Witcher: Enhanced Edition Director’s Cut para Steam. O título será lançado em 4 de dezembro para Playstation 4 e Xbox One. Para saber mais sobre o jogo, visite o site oficial.

Abaixo você confere o trailer do jogo: