Gen Con – maior evento de jogos de cartas recebe evento totalmente digital amanhã (29/07)

Amanhã inicia a Gen Con Online, a versão digital do maior convenção de jogos de mesa, cartas e RPG do mundo. Com o cancelamento de sua edição 2020, a organização do evento acabou projetando uma mega “convenção online”, espalhando “hubs” em várias línguas, para receber pessoas do mundo inteiro. O Brasil irá receber uma versão online, que promete diversas novidades para quem aprecia board games.

Para a língua portuguesa, os conteúdos ficaram a cargo da Business 2 Board, que convidou o Prof. Arnaldo V. Carvalho do LabJog/ GPIDOC-ISERJ para coordenar o setor de jogos e educação. A programação piloto deste ano é enxuta, mas conta com mesas temáticas, workshop e conferências. De acordo com os organizadores, o jogo de mesa é importante, pois une as pessoas em uma sociedade cada vez mais dividida; e agora também distanciada.

Abaixo você confere a programação da Gen Con Online:

Quinta-feira, 30 de julho

13H Live de abertura do Painel Educação com Arnaldo V. Carvalho

15H – Mesa temática 1 – Educação lúdica e neurociência

Com Liana Tubelo (Brinquedoteca Mun. Capão da Canoa), Gláucio Aranha (UFRJ). Mediação: André Souza (Jogando Mais)

20H – Mesa temática 2 – Educação com jogos de tabuleiro: Experiências na Escola Básica

Com Ralph Gomes (Gorro do Saci / CEN) e Auriston Garcia (Rede pública). Mediação: Ana Deslandes (P.II)

Sexta-feira, 31 de julho

17H – Mesa temática 3 – Educação lúdica e criticidade social Brasileira

Com Arnaldo V. Carvalho (LABJOG/ GPIDOC – ISERJ), Eliane Betocchi (UFMG). Mediação: João Léste (Sejoga)

20H – Mesa temática 4 – Educação com jogos de tabuleiro: experiências no Ensino Superior

Com Francis Moraes de Almeida (UFSM) e, Luish Moraes (UFMG). Mediação: Carolina Spiegel (UFF/IOC Fiocruz)

Sábado, 1 de agosto

Manhã RPG & Cardgame na Educação

09H – Case: o sucesso de um TCG em uma escola pública da periferia do Rio de Janeiro

Com Jorge Jacoh (rede pública do Rio de Janeiro)

11H – RPG e educação no Brasil: Histórias de sua história

Com Sonia Rodrigues, Luiz Eduardo Ricón e Carlos Klimick. Mediação: Leonardo Ramos (B2B)

12H – Panorama RPG e Educação brasileira nos anos 2020

Com Mateus Henriques Buffone (Jogarta), Stella Mendes (CHA Editora). Mediação: Jorge Valpaços. Participação especial: Prissilla Souza

Tarde

14/17H – Oficinas integradas de jogos na educação: Aprender jogando na GenCon Com Professores Arnaldo V. Carvalho (LabJog), Pedro Marins e Ralph Gomes (Gorro do Saci)

14H Aprender jogando na GENCON 1: fundamentos aos professores

15H Aprender jogando na GENCON 2: três jogos exemplificados

16H Aprender jogando na GENCON 3: Gencon convida as famílias

17H – Conferência: “Os jogos híbridos e suas possibilidades educacionais“

Com Geraldo Xexeo (LUDES/UFRJ)

18H – Mesa temática 5 – Jogos de tabuleiro e educação corporativa

Com Fernando Tsukumo (Sua Vez), Carolina Modaneze (Fagulha Jogos) e mediação/participação de Cecília Dante (B2B).

Domingo, 2 de agosto

10H – Mesa temática 6 – Panorama do Design de jogos na Educação

Com Daniel Sant’anna (D+1), Leandro Demenciano Costa (Ludilens) e Mediação/participação de Cynthia Dias

11H – Mesa temática 7 – Estudos lúdicos no Brasil: iniciativas

Com Ernane Guimarães (Rebel), Glaudiney Moreira (Igrejota) e mediação/participação de Pedro Vitiello (Ludus Magisterium)

15H – Live de encerramento da área Educação

Com Prof. Arnaldo V. Carvalho (LabJog) e Marcio Rolla (Terapia de Negócios)

Galápagos Jogos aposta que jogos de tabuleiro poderão unir a família de maneira digital no pós-pandemia

Um dos desafios para o futuro pós-pandemia é será como se darão as relações inter-pessoais nos mais diversos âmbitos da vida social. Os jogos de tabuleiro deverão sofrer algum impacto tão logo as pessoas possam se aproximar novamente. Foi pensando nisso que o LIDE FUTURO, grupo que conecta jovens lideranças de todo o país, acaba de promover um evento sobre jogos de tabuleiro modernos e o cenário pré e pós pandemia em parceria com a Galápagos Jogos, empresa referência no setor que tem como propósito aproximar pessoas por meio de uma experiência de entretenimento.

Yuri Fang, presidente e CEO da Galápagos Jogos, destacou que os jogos de tabuleiro são uma importante ferramenta para estreitar relações. Para ele, a pandemia fará com que essa cultura retorne de forma digital. Ou seja, o modo como as pessoas voltarão a se reunir para jogar será no ambiente digital, ao invés de se promover a retomada da jogatina imediatamente.

O head da Galápagos Jogos ainda reforça que esses jogos podem ser jogados à distância, criando uma nova experiência e um momento de imersão que estimula a criatividade. Para a empresa, a cultura dos tabuleiros não foi afetada pelos jogos digitais. “A maior dificuldade é fazer as pessoas jogarem a primeira vez”, explica.

Usar jogos para unir equipes nas empresas é outra aposta de Yuri para o pós pandemia. Ele acredita que dessa forma, os colaboradores conseguirão se unir ainda mais, trocando experiências que possam gerar aprendizados. Com o objetivo de aproximar os filiados do LIDE FUTURO entre si, equipes foram formadas para conhecerem melhor os jogos de RPG e trocarem conhecimentos para descobrirem as soluções e respostas de cada game sugerido, tudo sob a consultoria da Encounter Board Games.

“Já havíamos promovido um encontro físico com jogos de tabuleiro, para que nossos filiados tivessem um momento de networking mais descontraído. Não imaginávamos que a experiência online seria tão boa quanto. Por meio de um clima leve e informal, trouxemos não só uma aproximação entre os membros, mas também um pouco de diversão em tempos tão desafiadores”, relata Rafael Cosentino, Presidente do LIDE FUTURO.

A Bandeira do Elefante e da Arara – RPG clássico lança financiamento coletivo para virar game

Quem acompanha o mercado de board games certamente já ouviu falar do RPG A Bandeira do Elefante e da Arara, game ambientado em uma versão fantástica do período colonial brasileiro e que se tornou um dos mais populares e premiados do país. Pois bem, há uma grande chance de ele migrar das mesas para os computadores, afinal há uma campanha de financiamento coletivo em voga no Catarse.

Para quem não conhece, A Bandeira do Elefante e da Arara nasceu com contos e se espalhou por diferentes formatos e mídias, como romances e HQs. A série original levou as histórias e lendas brasileiras para o mundo, sendo traduzida para sete idiomas e alcançando mais de 100 mil leitores. Tornou-se também um RPG de sucesso internacional, já com sete títulos lançados, ao adaptar o riquíssimo folclore do nosso país para a fórmula do RPG de mesa. Trata-se do único RPG nacional a receber nos EUA o prestigioso prêmio ENnie, um dos maiores do RPG.

O objetivo do game é levar toda a tradição do board game para o ambiente digital. Para isso, no gane, o jogador vai acompanhar a história de Baltasar, um jovem português em busca de aventuras e redenção nas terras inexploradas da colônia. O caminho do jovem é interrompido por um touro negro, uma tribo de guerreiras indígenas e uma entidade ancestral. Tudo isso em uma terra em eterno conflito. O jogador forma então um grupo de até quatro personagens para desbravar a região entre Olinda e São José do Maranhão.

O game está sendo desenvolvido pelo Time Galleon Studio, que foi formado para o projeto, mas que conta com experientes profissionais. Outro destaque é que o gane contará com um estilo artístico único, que retrata com esmero o Brasil colonial. As batalhas, vale dizer, serão por turno.

De acordo com os desenvolvedores, a narrativa é intrigante e convida o jogador a testar seus limites de ética e moral através de escolhas ingame. Essas escolhas, aliás, afetam o desenvolvimento e conclusão do jogo. Ao longo da aventura é possível coletar itens e habilidades que afetam as habilidades do personagem. A ideia é fazer um RPG clássico com a adição de coisas mais modernas. Mais informações na página oficial no Catarse.

Abaixo você confere o trailer de Três Reinos: