Mala Vermelha – Game indie brasileiro desafia jogador e desvendar um crime sinistro

O destaque para iniciar a semana é um jogo indie produzido especialmente para quem curte mistério policial á lá Agatha Cristie: Mala Vermelha. O título acaba de chegar para dispositivos mobile através da produtora The King Owl e coloca o jogador em uma missão para encontrar um perigoso homicida em uma cidade que guarda muitos segredos.

Você encarna a detetive Muriel que descobre uma mala vermelha com um corpo dentro. Cabe a ela investigar o quanto for possível para chegar ao assassino antes que surjam mais vítimas. O problema é que nem tudo é o que parece e as pistas não serão fáceis de se obter, tão pouco espere colaboração dos moradores da cidade.

A cada pista ou interrogatório, a detetive Muriel será levada a outros pontos da cidade em busca do padrão do terrível assassino. Ao contrário do que se pode imaginar, o game é totalmente textual. Sim, aqui não há ilustrações para a aventura. A ideia é incentivar a leitura e a imaginação dos jogadores. Lembra as primeiras experiências de jogos desenvolvidos em DOS.

Outro detalhe importante de Mala Vermelha é que além do assassino, o jogador terá de lidar com uma cidade conservadora, onde seus moradores não toleram mudanças. Uma vez que a jogabilidade se baseia em decisão de escolhas e sem elementos visuais, cada detalhe se torna importante na resolução do caso. Há múltiplos finais e as escolhas feitas pelo jogador determinarão qual desfecho terá a história.

Totalmente em português, “Mala Vermelha” já está disponível na Play Store. Se você gosta de histórias detetivescas e de praticar a leitura interativa este jogo tem tudo para te cativar.

Abaixo você confere o trailer de Mala Vermelha:

 

Anunnaki – game indie faz crítica social e política do Brasil 2020

O destaque do dia vai para um jogo de RPG por turno com uma pegada retrô, uma trama envolvente e muitas referências ao Brasil de 2020. Trata-se de Anunnaki, um game indie em fase de desenvolvimento pelo desenvolvedor Luiz Rasielson e que está em campanha de crowdfunding pelo site Vakinha.

Basicamente você conhece uma realidade alternativa em que uma religião surge com base nos deuses sumérios e esse culto envolve-se com a política, ditando as regras de toda uma sociedade. De acordo com o desenvolvedor, há uma clara crítica social à mentalidade e ideologia retrógrada das pessoas que governam o nosso país. Anunnaki conta com aproximadamente 25 à 30 horas de “gameplay” e 4 finais diferentes. 

O game está em fase de polimento, e estima-se que em menos de 2 meses esteja concluído. O trailer disponível mostra que a inspiração veio de clássicos da geração 16 bits, considerada por muitos como a era de ouro dos RPGs de turno. Os gráficos são bastante oitentistas, porém a trilha sonora não segue o estilo chiptune, o que pode destoar do resto do projeto.

A campanha de Anunnaki pretende arrecadar R$ 4 mil, valor para cobrir custos do desenvolvimento e de publicação na Steam. Uma boa notícia: toda contribuição a partir de R$ 5,00 dará direito a uma cópia do jogo quando ele for publicado. Por fim, vale dizer que o projeto busca conscientizar as pessoas ao passo que as diverte!

Abaixo você confere o trailer de Anunnaki:

https://youtu.be/qNiQWPuG8ms

SuperSUS – game da Fiocruz mostra os direitos do cidadão ao utilizar o SUS

A história já é conhecida: você fica doente, tem de ir até um hospital ou unidade de pronto atendimento e fica horas esperando para ser recebido pelo médico, que lhe dispensará poucos minutos de sua atenção, dirá que está com virose e receitará um medicamento qualquer. Se há um consenso entre os brasileiros é que o SUS é pouco eficiente e que precisa de muitas melhorias. Entretanto, poucas pessoas conhecem de fato seus direitos na área da saúde. Foi pensando nos direitos dos paciente que o time de pesquisadores da Fiocruz Pernambuco lança o game SuperSUS, cujo objetivo é contribuir para que o cidadão conheça seus direitos no campo da Saúde Pública.

De acordo com os produtores, SuperSUS permite que os jogadores descubram os serviços oferecidos pelo SUS que são poucos conhecidos pela maioria da população. A ideia é que os cidadãos conheçam seus direitos e lutem por eles a partir do conhecimento pleno do que pode e do que não pode. Para isso, a Fiocruz Pernambuco disponibiliza o título gratuitamente através da Play Store e na App Store.

O jogo é inspirado na conquista do direito a saúde com o Sistema Único de Saúde (SUS), assim o jogador assume o papel do SUS e percorre trajetórias de lutas e conquistas. Em um passeio pela rede de saúde, cada fase do jogo envolve atividades que são ofertadas como serviços e/ou programas do SUS, cada desafio cumprido o jogador vai acumulando conquistas e alcançando objetivos do desenvolvimento sustentável – ODS (com dimensões ambientais, sociais e econômicas).

São 12 minis jogos, nos quais o desafio é conquistar os princípios e diretrizes do SUS, atingindo assim os objetivos de desenvolvimento sustentável preconizados pela Organização Mundial da Saúde. Quem perde, descobre a falta que o SUS faz no dia a dia e os problemas que isso acarreta.

Você pode ver mais detalhes do SuperSUS aqui.