Jogos de tabuleiro: uma alternativa criativa que pode ser produzida pelas próprias crianças

Nosso destaque do dia vai para jogos de tabuleiro. Pois bem, os alunos da Educação Infantil do Colégio Marista Arquidiocesano, um dos mais tradicionais da capital paulista, confeccionaram jogos de tabuleiro personalizados e isto motiva um texto para evidenciar e demonstrar os benefícios desses jogos.

Os jogos de tabuleiro podem trazer muito mais do que diversão, pois é possível aprender e engajar as crianças com recursos lúdicos e criativos. Com os jogos, estão disponíveis para se trabalhar uma grande variedade de conteúdos, exercitando a criatividade e o pensamento lógico, além de desenvolver a cooperação e o respeito com o próximo. Por meio de uma proposta divertida, são estimuladas diferentes habilidades como a criatividade, a negociação e a colaboração.

“O uso dos jogos estimula novas formas de pensar, fortalecendo e treinando a cognição. A atividade se revela importante na resolução de problemas, estratégia, raciocínio lógico, criatividade, socialização e integração”, explica a professora responsável pela atividade, Débora Santos.

Além de desenvolver o raciocínio lógico, as crianças podem se divertir em um ambiente de disputa saudável e educativo. Veja alguns benefícios que os jogos de tabuleiro podem proporcionar:

      • Ajudam no desenvolvimento cognitivo e social: habilidades sociais podem ser aperfeiçoadas com o uso de jogos, ajudando a integrar a criança ao coletivo. Elas também aprendem a seguir regras e compartilhar com os outros.

      • Incentivam a interação social: a maioria dos jogos é projetada para ser jogada em grupo, isso ajuda a evitar a solidão e a construir relações positivas.

      • Promovem a reunião em família: alguns jogos são desenhados especialmente para serem jogados em família. Essa é uma grande oportunidade para todos se reunirem e participarem de algo juntos.

      • Reduzem a ansiedade: jogar ajuda a manter o equilíbrio mental e a relaxar, isso porque promovem a imaginação.

Projeto brasileiro de pesquisa é selecionado para a bolsa Game In Lab 2020

Que o Brasil é berço de algumas das mentes mais criativas e dedicadas do mundo, já sabemos. Uma constatação disso é o projeto Game In Lab, criado pelo Grupo Asmodee, que atua no Brasil através da Galápagos Jogos. O projeto foi criado em abril e dava a oportunidade para que pesquisadores de todas as áreas do conhecimento desenvolvessem pesquisas relacionadas a jogos analógicos, sendo que as bolsas podiam chegar a até R$ 95 mil. Pois bem, uma das vencedoras.

Vale destacar que a edição do edital contou com a participação de diversas nacionalidades, mas o Brasil se destacou – foi o país com o maior número de projetos inscritos. O projeto brasileiro vencedor em 2020 foi liderado pela pesquisadora Ariela Holanda, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná (IFPR), que apresentou o estudo sobre “O uso de jogos de tabuleiro para desenvolver e manter laços sociais” (L’usage des jeux de Société pour développer et maintenir les liens sociaux).

De acordo com a pesquisadora, o projeto visa identificar a relação entre o uso de jogos de tabuleiro e habilidades sociais dos jogadores, tais como iniciar conversas, nível, manutenção de conversa, empatia e vida profissional. A ideia, aliás, não veio por acaso, Ariela é professora no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná (IFPR) e participa de um grupo de pesquisa voltado a essa questão.

Ariela Holanda

“Acredito que iniciativas como o Game in Lab são um grande incentivo à pesquisa e a divulgação dos jogos de tabuleiro. […] Além disso, apoiar projetos como o nosso pode proporcionar à sociedade uma alternativa de entretenimento capaz de contribuir para um convívio social cada vez mais saudável e harmônico”, diz a pesquisadora Ariela Holanda. “Muitas pessoas não conhecem a variedade de mecânicas disponíveis nos jogos modernos de tabuleiro. Acreditamos que com esse projeto as pessoas poderão conhecê-las e usufruir de todas as oportunidades de interação que elas ajudam a produzir”, conclui.

Abaixo você confere o vídeo da Ariela Holanda falando sobre seu projeto:

 

Sobre o Game in Lab

O Game in Lab foi criado pelo Grupo Asmodee em 2018, numa parceria com o Innovation Factory, um cluster francês focado em inovação. O objetivo da iniciativa é explorar os efeitos sociais e cognitivos dos jogos de tabuleiro para o ser humano. O programa está estruturado em três objetivos principais: (a) apoio financeiro a projetos de pesquisa sobre jogos de mesa; (b) criação e desenvolvimento de uma comunidade diversa, com pesquisadores e jogadores pelo mundo; e (c) compartilhamento de conhecimento científico com um público mais amplo.

Os interessados em se inscreverem na chamada de 2021 do Game in Lab devem ficar atentos às redes sociais da Galápagos (InstagramFacebook e LinkedIn) a partir da semana que vem, quando será divulgada a abertura do edital.

Secretaria Municipal de Educação de SP lança coleção de livros sobre jogos de tabuleiro

A cidade de São Paulo conta com pessoas interessadas em jogos analógicos! Prova disso é que a Secretaria Municipal de Educação, por meio da Coordenadoria dos Centros Educacionais Unificados (COCEU), acaba de lançar nesta quinta-feira (10) a Coleção Jogos de Tabuleiro. A ação foi transmitida ao vivo na página do Facebook (facebook.com/EducaPrefSP) e marcou a comemoração dos 25 anos do Programa Jogos de Tabuleiros com a apresentação de materiais pedagógicos sobre Xadrez, Jogo da Onça, Mancala Awelé e GO.

No evento de lançamento da Coleção de Jogos de Tabuleiro os assessores que contribuíram na construção dos materiais estiveram presentes para falar sobre a prática dos jogos e suas concepções culturais. A ideia é que a coleção de livros do Programa seja distribuída às Unidades Educacionais em versão impressa, mas também estará disponível a todos uma versão digital para qualquer interessado ter acesso.

De acordo com a Secretaria, atualmente, 50 mil estudantes praticam pelo menos um tipo de jogo de tabuleiro nas mais de 300 unidades escolares com projetos registrados. Destes alunos, cerca de 20 mil participaram de algum dos festivais promovidos pela SME. A COCEU estima que cerca de 10 mil professores já concluíram curso de pelo menos um dos jogos que compõem o Programa Jogos de Tabuleiro. O xadrez foi o primeiro jogo de tabuleiros que surgiu nas escolas municipais de São Paulo como conteúdo pedagógico. O programa também promove a prática de jogos como: Jogo da Onça, Mancala Awelé e GO.

 

Participações

O evento de lançamento contou com convidados especiais e especialistas em jogos de tabuleiro, tais como: Fátima Brum, Coordenadora dos Centros Educacionais Unificados (COCEU); Marcos Cezar, responsável pelo Programa Jogos de Tabuleiros da Rede Municipal de Educação; Jefferson Pelikian, Mestre Internacional de Xadrez, foi técnico da Seleção brasileira infanto-juvenil entre 1998 e 2009; Liliane Pereira Braga, integrante do Núcleo Étnico-Racial da SME, estando na equipe que incluiu o Mancala Awelé no Programa Jogos de Tabuleiro; Marcele Garcia Guerra, mestre em Direito e Doutora em Antropologia Social, ambas pela Universidade de São Paulo, atua como formadora em cursos de História e Cultura Indígena na RME; e Felipe Herman Van Riemsdijk, campeão brasileiro de Go em 2016 e Presidente do Brasil Nippon Kiin (Associação Brasileira de Go) desde 2018.

 

Lançamento da Coleção Jogos de Tabuleiro

O evento foi totalmente online na última quinta-feira, porém se você quiser assistir, basta acessar a página do Facebook da EducaPrefSP.

 

Versão digital dos livros da Coleção Jogos de Tabuleiro

Acesse aqui o pdf do livro GO – Jogos de Tabuleiro

Acesse aqui o pdf do livro Jogo da Onça – Jogos de Tabuleiro

Acesse aqui o pdf do livro Mancala Awelé – Jogos de Tabuleiro

Acesse aqui o pdf do livro Xadrez -Jogos de Tabuleiro