Minds Idiomas dá quatro dicas para aprender inglês com Among Us

Jogos eletrônicos são uma bela forma de melhorar suas habilidades  com outros idiomas, certo? Pois um game que está no auge do sucesso tem chances ainda maiores de despertar o gringo dentro de você. É mais ou menos essa a proposta da Minds Idiomas, ao apostar as fichas no prestigiado Among Us. Afinal, a gamificação é sempre um atalho para ensinar habilidades novas para as pessoas.

O game funciona da seguinte maneira: a tarefa do impostor é sabotar a nave e, matar os adversários sem ser pego. Para isso, ele pode usar os dutos de ar e se esconder. Quando um tripulante encontra um corpo, ele convoca uma reunião de emergência e, nela serão discutidos quem é o possível impostor. Um participante deverá ser ejetado da nave. A vitória é da tripulação que conseguirem ejetar o impostor certo, se não, o jogo continua, até restarem apenas três participantes: o impostor, mais dois tripulantes. A vitória final é dada ao impostor.

A Rede Minds English School é uma das empresas que apostam na gamificação, inclusive adotando o método para seus alunos. “Sempre tivemos turmas kids e teens fortes dentro da rede, e adequamos o nosso ensino ao universo deles. Esta geração já nasceu com a tecnologia nas mãos e novas formas de aprendizado surgiram a partir daí”, diz Leiza Oliveira, CEO da Minds English School.

Com as aulas ao vivo e online da Minds, os alunos têm a aula interativa e aprendem com o Among Us. “O jogo nos dá inúmeras possibilidades para trabalhar a escrita, localização, cores, setores. Além de tempos verbais como passado e presente”, comenta Nathalie Lopes, professora da Minds English School e pioneira a trazer o jogo para a sala de aula.

Pensando no sucesso que foi aplicar o jogo na aula, Nathalie Lopes, professora da Minds Idiomas, preparou 4 dicas para aprender inglês com o Amoung Us:

      1. Coloque as configurações em inglês

Colocar as configurações em inglês, ajuda para que, você decore os lugares e as atividades que você precisa realizar como um tripulante. Assim você fica craque em seguir direções e saber quais atividades devem ser feitas por você.

 

      1. Monte uma sala privada com seus amigos

Montar uma sala privada com os amigos, proporciona que vocês conversem no chat em inglês. Definindo assim as votações todas em inglês, um vai ajudando o outro no vocabulário, até descobrirem ou não o impostor.

 

      1. Aprenda expressões para que você possa blefar

O jogo tem a possibilidade de colocar o chat em inglês e jogar com jogadores de outras nacionalidades, assim, você testa seu nível de inglês e aprende novas palavras e expressões para utilizar na sala com os amigos.

 

      1. Assista aos jogos ao vivo na plataforma Twitch, com jogadores americanos

Assim você descobre táticas de jogo e de quebra pratica a escuta de outro idioma. Também dá para jogar através do Discord e fazer chamada de voz com os amigos. Claro que você pode combinar de jogar em inglês para a praticar o idioma cada vez mais.

Gamificação é estratégia adotada por empresas pós pandemia

O período pós pandemia promete ser extremamente desafiador para empresas e contratantes. Não por acaso já são pensadas estratégias para quando chegar o momento de retomar as contratações. Uma das abordagens que devem se tornar praxe é a gamificação. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 51 % das empresas brasileiras não utilizavam o trabalho à distância antes da pandemia.

Após o choque inicial, 80% dos gestores disseram gostar da nova maneira de trabalhar, de acordo com pesquisa da ISE Business School. E essa nova realidade trouxe mudanças significativas para dentro das empresas. Uma delas foi o aumento da importância das soluções tecnológicas dentro do mercado corporativo. Ao trazer diversão, engajamento, cooperação e competição, a gamificação é uma das ferramentas que se tornou estratégia fundamental para estimular a participação dos funcionários e colaboradores em ações corporativas após a quarentena imposta pelo novo Coronavírus.

A gamificação é uma das expertises mais procuradas pelos clientes da PlayerUm, agência carioca de inovação que desenvolve plataformas interativas, e-learnings, apps e games para empresas. Ao apostar em uma dinâmica de jogos como premissa principal, a gamificação estimula o engajamento do público com a marca, além de levar conhecimento e informação para os participantes de uma maneira lúdica e criativa. Além disso, é consenso que essa é uma estratégia altamente eficaz para estreitar relacionamentos e desenvolver habilidades individuais de uma equipe.

A mecânica dos games pode ser criada de maneira personalizada, de acordo com as necessidades de cada empresa. São inúmeras possibilidades de inclusão de elementos, assim como sistema de pontos, placar, ranking, restrição de tempo, badges, combates, doações, investigações e muitos outras. Uma das soluções recentes da PlayerUm foi o desenvolvimento de uma plataforma digital, com foco nos colaboradores, para a semana do Meio Ambiente da Globo, celebrada durante os dias 01 e 05 de junho. Com a pandemia, o projeto criado pela agência foi um evento gamificado, totalmente online e interativo, que reuniu um mapa virtual dos estúdios globo para mostrar as práticas sustentáveis que estão em curso.

O site apresentou os conteúdos em vídeos e infográficos e contou com games e testes, no estilo fato ou fake, que gerou premiações para os mais bem colocados no rankeamento dos jogos. A iniciativa pioneira foi um sucesso, com mais de 3 mil visualizações da plataforma, contabilizando mais de 1.300 usuários únicos a o longo dos 5 dias.

Para criar uma gamificação completa e com resultados, o CEO da PlayerUm, Flávio Stoliar, ressalta algumas dicas importantes:

  • Empatia – Conheça as dores, necessidades e desejos do seu público-alvo;
  • Storytelling – Conte uma história e dê visibilidade da jornada e da progressão dos jogadores;
  • Aplicação – Estude e utilize as melhores e mais atuais linguagens e ferramentas;
  • Plataforma – Distribua seu game em uma plataforma de fácil acesso, amigável e segura;
  • Mecânica – Sendo um jogo ou qualquer outro app, o foco é no dinamismo e interatividade;
  • User Experience – Facilite ao máximo a vida do usuário e sua experiência sensorial;
  • Competição – Ofereça recompensas tangíveis e (principalmente) intangíveis aos melhores jogadores e equipes;
  • Colaboração e socialização – Engaje pelo espírito de grupo e faça seu público se sentir parte da ação;
  • Rankings e Conquistas – Incentive a competição saudável e instigue a evolução e o aprendizado da sua equipe;
  • Resultados – Acompanhe os resultados e KPI’s de sua ação para uma melhoria contínua.

VII FAEL está com inscrições abertas

Possui algum projeto de pesquisa ou produto lúdico? Pois bem, estão abertas as inscrições para o VII FAEL, o Fórum Acadêmico de Estudos Lúdicos. Essa é uma oportunidade ótima para pesquisadores e desenvolvedores independentes. Afinal, a maioria dos artigos apresentados no FAEL vai para publicação.

O macete é que o evento (assim como o Concurso Rebeldias) é organizado pela REBEL, que tem como objetivos contribuir para a pesquisa e produção do conhecimento lúdico. A equipe da REBEL, inclusive, ministra cursos exclusivos para o público geral e para empresas, além de realizar consultoria para interessados em implantar gamificação.

E para dar uma mãozinha para quem vai submeter um artigo pela primeira vez no FAEL, a REBEL criou um pequeno tutorial em vídeo, que você confere logo abaixo. Além disso, no site da REBEL você encontra um guia dos itens que um Relato de desenvolvimento deve ter. Os melhores textos poderão ser publicados na Revista de Estudos Lúdicos, a REVEL. As inscrições podem ser feitas aqui.

Como encaminhar seu trabalho no VII FAEL: