Um videogame que vira arte! Lantana Games apresenta o game Mondrian – Plastic Reality

Amanhã (22/07) será um dia especial para quem curte games com uma pegada mais artística, pois é o dia do GJ Art Lounge, um evento online criado pela Gamerjibe cujo objetivo é mostrar produtos criativos de todo o mundo. O destaque desta edição é a demonstração da Lantana Games, que mostrará detalhes dos conjuntos de ferramentas criativas incluídas no brickbreaking game de história da arte “Mondrian – Plastic Reality”.

Esta demo acontecerá no dia 22 de julho às 3:00 pm. Artistas de mídia física e digital são convidados a visitar o estande da Lantana Games no Hall B para aprender mais sobre o jogo e suas ferramentas. A aplicação permite que você se junte a Piet Mondrian e seus amigos modernistas em assaltos em diferentes pontos da história da arte para descobrir suas obras perdidas em uma experiência brickbreaking colorida e alucinante, focada na criatividade e no estilo roguelike.

Incluídos no jogo estão kits de ferramentas que oferecem aos artistas uma nova maneira de compartilhar seu trabalho com o mundo. Isso inclui o Mondrian Maker, um editor de níveis muito fácil de aprender e o Mondrian Studio, um pacote de design gráfico feito sob medida para os criativos de hoje. Os jogadores podem importar sua própria arte como imagens de fundo para suas criações no Mondrian Maker / Studio e, com o apertar de um botão, podem fazer o upload dessas criações para o Steam Workshop.

Durante a demonstração de uma hora no GJ Art Lounge, Lantana construirá um nível do zero com o público no Mondrian Maker e criará imagens desse nível no Mondrian Studio. Além disso, os desenvolvedores responderão perguntas do público sobre o jogo e os kits de ferramentas incluídos. Quem tiver interesse, pode baixar a demo aqui. O evento GJ Art Lounge pode ser acessado neste link.

Abaixo você confere o trailer de lançamento de Mondrian – Plastic Reality:

BGS 2018 – Resident Evil 2 rouba o show e se mostra um prato cheio para fãs de terror

Um dos jogos mais esperados na Brasil Game Show foi Resident Evil 2 da Capcom, um remake muito esperado e que já deu mostras de revitalizar a série na próxima temporada. O título estava com demo jogável no evento paulista e o GameReporter teve a chance de testá-lo durante uma fase e trouxemos agora as nossas impressões.

A primeira coisa que você precisa saber: esqueça todas as horas de jogo que você teve no PS1 e no Nintendo 64, elas não valerão de nada! O game está bem diferente do original e muito mais difícil. A Capcom está fazendo questão de mudar praticamente tudo que você conhece em prol de um desafio maior. Então, não importa quantas vezes você já zerou o Resident Evil 2 original, aqui a experiência é bem diferente.

Desde o visual realista dos corredores e salas até o modo como a câmera, a impressão que você tem é de que Resident Evil 2 está totalmente revigorado. O sentimento é tão intenso que dificilmente você vai reconhecer este jogo, mesmo que tenha passado centenas de horas no PS1. Mas não se deixe enganar: muito da essência do original permanece inalterada. Leon e Claire estão ali, bem como a delegacia e os temíveis zumbis.

São duas demos distintas que servem para mostrar como será o gameplay, uma com Leon e outra com a Claire. Ambas as demos mostram toda a capacidade que o jogo possui em levar o jogador para atmosferas arrepiantes e atestam que os puzzles estão mais complexos e os inimigos estão mais brutais. A ambientação de  Resident Evil 2 é aterrorizante e as mecânicas são bem funcionais, apesar de achar a mira um pouco leve demais.

A primeira demo que testamos é a de Leon, que é a mais conhecida. Basicamente você deve ajudar Marvin o policial em estado grave. Para isso, você deve resolver o puzzle da estátua realizando três combinações em estátuas espalhadas pelo cenário. O objetivo é chegar nos andares inferiores. Já a segunda demo é com Clare Redfield, na demonstração você deve enfrentar William Birkin em sua primeira forma.

O título chega ao mercado em janeiro do próximo ano, e ao que tudo indica parece ser uma compra certa. Se você curtiu o remake do primeiro jogo, já deve ter uma ideia do que esperar aqui, certo?

Abaixo tem um trailer de Resident Evil 2:

Texto por Victor Cândido

BGS 2018 – Veja porquê você deve conferir a demo de Kingdom Hearts 3

Um dos jogos mais aguardados da última década é Kingdom Hearts 3. A franquia da Square-Enix foi uma das que mais cativaram a comunidade na era 128 bits e o segundo jogo (também para PS2) melhorou muito a fórmula de RPG de ação. Não por acaso, a terceira entrada da franquia parecia tão certa quanto qualquer novo Final Fantasy, entretanto, Tetsuya Nomura deixou o projeto de lado para se dedicar a spin-offs e em Final Fantasy. Eis o momento de ver como será a terceira entrega da franquia.

A demo possui duas fases, uma no universo de Toy Story e outra no universo de Hércules. A primeira você deve liderar Woody e sua turma até a loja de brinquedos e lá você combater heartless-robôs utilizando um robô. O trajeto é repleto de muita ação onde logo se percebe que as mecânicas de combate foram reaproveitadas e melhoradas. O jogo apela bastante para a nostalgia de quem cresceu jogando os dois primeiros games.

A boa notícia: câmera (inimiga de muita gente), agora não é tão atrapalhada nos momentos de hordas de inimigos. Isso ocorre porque o Lock -on não fica doido quando se está enfrentando muita gente. Por falar nisso, a quantidade de inimigos é bem grande e já torcemos para ver uma nova “luta contra mil”, de Kingdom Hearts 2.

A parte negativa é que o velho menu de selecionar magias e itens contínua com a necessidade de interromper as ações para que sejam feitas as utilizações destes elementos através dos direcionais e isso acaba atrapalhando a ação. Parece que a Square-Enix não quis mexer demais na estrutura de jogo, ainda que atualmente existam soluções mais eficazes.

A segunda fase baseada em Hércules você enfrenta um grande boss de pedra. Lembra do Titã de pedra? Pois bem, aqui temos uma ótima homenagem à cena clássica do filme. O combate é cheio de tensão devido a altura do inimigo e você usufrui de diversas habilidades para enfrentá-lo. O destaque maior sem dúvidas é a montanha-russa.

O visual dos dois cenários são verdadeiros colírios para os olhos, cheios de cor e com muitos efeitos visuais. E não é por menos: a  Square-Enix está utilizando a Unreal Engine 4 na produção. Espere ambientes e visuais tão embasbacantes quanto o ótimo Final Fantasy XV, com uma melhor fluidez.

A demo de Kingdom Hearts 3 apresentada na BGS é a mesmíssima apresentada em outros eventos, como E3 e Tokyo Game Show. Então não chegam a ser algo realmente inédito, porém ela servirá bem para mostrar aos fãs brasileiros que o jogo finalmente sairá do limbo criativo.

Quanto ao enredo, nada! A demo de Kingdom Hearts 3 esconde eficientemente qualquer coisa relacionada à história. A estratégia é evitar spoilers, ao mesmo tempo que deixa o trem do hype seguir seu caminho. Somente o tempo dirá se a combinação desta boa jogabilidade será com uma excelente história, espero que sim.

Se você estiver na BGS 2018, não deixe de conferir essa belíssima demo. Mais informações sobre a BGS aqui.

Texto: Victor Cândido

Abaixo tem um trailer de Kingdom Hearts 3: