BIG Festival 2020: já estão abertas as inscrições para jogos independentes!

Atenção, desenvolvedores de jogos brasileiros: já estão abertas as inscrições para participar do BIG Festival 2020, o maior evento de jogos independentes da América Latina. As inscrições são gratuitas e vão até 10 de maio, às 23:59. O evento tem como tradição revelar jogos espetaculares e conquistar investidores para os novos projetos.

A 8º edição do BIG acontecerá em São Paulo, de 15 a 19 de julho, no Centro de Convenções Frei Caneca. De acordo com a organização, o BIG Festival aceita jogos desenvolvidos para todas as plataformas, (computadores, tablets, smartphones, consoles e dispositivos de realidade virtual), publicados ou não. Os jogos finalistas de cada categoria, serão exibidos em uma exposição de 5 dias. Na edição de 2019, o BIG Festival recebeu mais de 20 mil visitantes para ver os 75 jogos selecionados. Para fazer a inscrição, basta se inscrever no site do evento e torcer para seu projeto ser um dos selecionados.

Além da mostra de jogos, o BIG ainda conta com um fórum de negócios bastante propício para conquistar investidores e patrocínios. Segundo a organização, anualmente o evento atrai mais de 2 mil profissionais. Em 2019, foram mais de 100 palestras com participação de profissionais internacionais e nacionais. Todas as atividades do BIG são gratuitas, com exceção das rodadas de negócios.

Outro diferencial do evento é que há um espaço para profissionais brasileiros da economia criativa inscreverem suas sugestões de palestras. As palestras sugeridas pelo público terão 30 minutos ou 1 hora de duração e cada candidato poderá inscrever 1 palestra. A ideia é revelar novas perspectivas da indústria criativa, incluindo pesquisas, divulgação

Líder indígena Kaka Werá fala sobre a concepção do game Karena na ESPM Soul

Se você é apaixonado pela cultura brasileira e gosta de vê-la representada em jogos eletrônicos, fique atento na programação da escola ESPM SP, pois a instituição está promovendo uma roda de discussões e palestras sobre este rico universo. A novidade da vez é que o líder indígena Kaka Werá participa do evento para contar os detalhes da lenda Tupi, que serviu de inspiração para o game Kerena.

Kaka Werá Jecupé é presidente do Instituto Arapongy e teve participação chave para a criação do jogo Kerena. Durante a palestra, o líder indígena falará sobre as lendas e mitos dos indídios que serviram de inspiração para o game. Além de Werá, a mesa de debate sobre o título conta com Saron e Sawara S. S., do Instituto Arapongy, professora do curso de Cinema e Audiovisual, Adriana Sá Moreira, e Vince Vader, professor e pesquisador da ESPM na área de games.

De acordo com a organização, neste ano, serão 161 atividades, que reunirão mais de 280 palestrantes, entre professores da instituição, especialistas e profissionais do mercado. As discussões sobre o universo dos games terão destaque. O ESPM Soul promove entre os dias 12 e 13 uma maratona de atividades do universos dos games, dos negócios, artísticas e culturais gratuita e aberta ao público.

Serviço: ESPM Soul – edição 2019

Debate Game Kerena: Uma Modelagem da Lenda Tupi Guarani – 13/11 – das 14 às 16 horas – Ludoteca, prédio da Biblioteca, 2º andar.

Endereço: Rua Dr. Álvaro Alvim, 123, Vila Mariana

Para conhecer toda a programação do ESPM Soul acesse o site da instituição.

 

Segunda edição da Game Jam Fábrica de Jogos tem data marcada para novembro

O mês de novembro ainda não acabou para quem acompanha o mercado de jogos independentes: o site Fábrica de Jogos irá organizar a segunda edição de sua Game Jam, um evento que desafia desenvolvedores a fazer um jogo em um curto espaço de tempo. O evento é famoso por promover um espaço de rede de contatos, aprendizagem e união entre desenvolvedores de jogos iniciantes a mais avançados. O evento também conta com o apoio do Marcos Game Dev e comunidade Discord Game Dev.

A Game Jam começa no dia 08 de novembro (sexta) às 21:00 e vai até até às 21:00 do dia 10 de novembro (domingo). O desafio consistirá em desenvolver um jogo em 48 horas baseado em um tema que será apresentado na live no Youtube do site Fábrica de Jogos. A live explicará as regras terá 30 min, começando às 20h30, pouco antes do evento.

Todas as atividades e compartilhamento de ideias entre equipes ocorrerá no servidor Discord do Fábrica. De acordo com o site, será nesse espaço que os jogadores terão contato com os mentores, ou seja, pessoas que já participaram do Fábrica e que tem experiência em games nas áreas de game design, arte e programação. Eles ajudarão os participantes nos projetos a serem criados e orientarão nas dúvidas durante o evento. O julgamentos dos jogos será público e todos podem votar após o período das 48 horas. Os juízes darão pareceres aos projetos submetidos também.

Para participar, você deve ser estudante brasileiro que estuda independente (sem vínculos institucionais) ou que pertence a uma instituição de ensino pública ou privada nacional, todos os desenvolvedores que não são profissionais. Outras pessoas fora desse escopo podem participar, porém não há obrigatoriedade dos juízes darem pareceres do projeto feito. De acordo com o Fábrica de Jogos, será considerado profissional quem já trabalha em estúdios de jogos ou que já tenha um portfólio de jogos com vendas significativo. Deste modo, a game jam busca incentivar iniciantes na área.

Os jogos, para participar de menções honrosas e premiações, precisam ser nas plataformas web, PC e jogos analógicos. Outras plataformas não serão aceitas. Pode-se usar qualquer software de desenvolvimento de jogos no evento. É possível também os participantes fazerem lives na comunidade Twitch do Fábrica com a hashtag #gamejamfabrica2019 compartilhando o seu desenvolvimento durante o evento. Também podem acompanhar outras que serão feitas pelo site ao longo do evento no Youtube do Fábrica.

Serviço – Game Jam Fábrica de Jogos 2019

Onde: Lives no Youtube do Fábrica e Participação via Discord

Quando: 21:00 de 08/11/2019 até 21:00 de 10/11/2019 (48 horas)

Quanto: Gratuito

Quem pode participar: Estudantes brasileiros de instituições de ensino público e privadas ou autônomos nos estudos. Outros fora desse público podem participar, porém não há obrigação dos juízes emitirem pareceres ao seus projetos submetidos.