Levantamento da Promobit revela os produtos mais buscados na categoria games durante a quarentena

A curiosidade do dia é sobre os hábitos de consumo dos jogadores durante o período de pandemia. Ao analisar o volume de buscas por categorias de produtos, a plataforma Promobit revelou as principais intenções de compra por produtos dentro da categoria games. A comparação foi realizada com os dados do Google Trends e de buscas internas no Promobit. De acordo com a análise, itens relacionados a games (jogos, consoles periféricos) tiveram grande crescimento de interesse durante a pandemia, principalmente dentro do Promobit.

Abaixo você confere os itens relacionados a games mais buscados dentro do Promobit, inclindo o gráfico de procura:

 

Mouse gamer

O termo mouse gamer, que faz um recorte para jogadores, também teve seu maior pico de crescimento nesse período. No Promobit, o termo foi pesquisado 149 vezes contra 89 do período anterior.

 

Teclado gamer e teclado mecânico

Teclado gamer e teclado mecânico também tiveram aumento significativo nesse período. No Promobit, o termo foi pesquisado 370 vezes contra 217 do período anterior.

 

PC e notebook gamer

Ambos termos tiveram aumento nesse período, sendo pc gamer o maior pico e notebook gamer o segundo maior pico. No Promobit, pc gamer foi pesquisado 985 vezes contra 561 do período anterior e notebook gamer foi pesquisado 453 vezes contra 479 do período anterior.

 

Soundbar e Home Theater

Além de ver TV, as pessoas estão em busca de ter uma experiência sonora superior nesse momento. No Promobit, o termo foi pesquisado 798 vezes contra 394 do período anterior.

 

Fone de ouvido

O interesse pelo produto teve crescimento considerável recentemente, o que deve ter sido motivado tanto por Home Office quanto pelos gamers. No Promobit, o termo foi pesquisado 4.412 vezes contra 2.906‬ do período anterior. Só headphone teve 2.076‬ buscas contra 744 do período anterior.

 

Caixa de som

Já o item que não tem ligação direta com a ideia de entretenimento dentro de casa, caixa de som teve queda, mas voltou e se mantém estável. No Promobit, o termo foi pesquisado 1.121 vezes contra 832‬‬ do período anterior.

Quando devo comprar um novo videogame?

Desde o início do ano os rumores sobre o sucessor do Xbox One e do PS4 já eram pautas recorrentes na editoria de games. Com essas notícias uma onda de aficionados por jogos eletrônicos que ainda não possuem qualquer desses aparelhos passou a conjecturar se ainda vale a pena comprar um videogame da geração atual ou esperar o lançamento das novas máquinas. Pensando nisso e na iminência de novos consoles invadindo o mercado, elaboramos este guia para responder qual o melhor momento para comprar um novo videogame?

Há um consenso entre os consumidores: comprar um videogame no início da geração é um péssimo negócio! Isto porque o início da vida útil de uma plataforma tende a ser sofrível. Em geral um console de lançamento tem uma biblioteca reduzida de jogos, o preço das plataformas tendem a ser maiores e podem ter uma leva mal funcional. Em contrapartida, uma plataforma já antiga já conta com uma biblioteca gigantesca de jogos (incluindo jogos de alta qualidade), tem um hardware já testado e comprovado e preços inferiores às novatas.

Falando assim, parece óbvia qual a melhor escolha, certo? Não é tão simples assim! Uma plataforma em final de ciclo realmente terá um preço menor, porém isto porque ela desvalorizou com o tempo. Isto acontece porque a tecnologia já está defasada e há a certeza de que a máquina deixará de receber novos jogos em pouco tempo. Se você é um gamer hardcore e extremamente antenado às novidades, será péssimo acompanhar a geração surgindo estando de fora.

Além disso, um novo videogame é um investimento para o futuro da tecnologia, ou seja, ao comprar um novo videogame, você está apostando que ela trará os melhores e mais desejados jogos dos próximos anos. Ainda que ter a experiência de jogar o clássico instantâneo God of War do PS4 seja uma ideia atrativa, é possível que essa plataforma tenha retrocompatibilidade. Imagine o que mais o PS5 pode te oferecer…

A questão preço

A menos que você seja um masoquista financeiro, com certeza vai preferir gastar menos dinheiro. Ainda que você decida comprar o PS5 ao invés do PS4, é certo que seu preço cairá em alguns meses. Lembre-se que o PS4 chegou ao Brasil por R$ 4.000,00 e atualmente pode ser encontrado por aproximadamente R$ 1.700,00. A queda de preço foi gradativa, porém real. Uma pessoa que comprou o PS4 no lançamento brasileiro fatalmente tem a sensação de que fez mau negócio (em termos financeiros), afinal uma vez que saiu da loja, o produto só desvaloriza. Assim, esperar a queda de preço é o mais adequado.

A questão da biblioteca de jogos

Um videogame antigo, conforme dito anteriormente, tem uma biblioteca rica e estabelecida. Quem não gostaria de comprar um Game Cube para jogar o clássico The Legend of Zelda: The Wind Waker? Mesmo sendo um game datado, a qualidade do título vale o investimento tardio. Muitos retrogamers entendem que o ideal é comprar um console e seus jogos em um prazo aproximado de seis anos após o lançamento. Pois é neste período que os preços dos jogos estarão mais baixos e estabilizados nas lojas. Entretanto há um perigo ao adotar essa estratégia: um jogo antigo pode ganhar status de item de colecionador, o que irá multiplicar seu preço original.

Um ano a dois de seu lançamento garantirá que você salve alguns reais no preço dos jogos e possa selecionar os melhores jogos produzidos neste período. Já um videogame de lançamento contará com uma biblioteca de jogos (novos) pequena e para piorar, nem todos serão bons. Se a plataforma contar com retrocompatibilidade, você ficará restrito a jogar jogos já antigos, tendo pago o preço de um console muito mais caro.

A espera por quedas de preço

A história mostra a tendência: após um ano de seu lançamento, um videogame tem corte de preços. Tanto a Sony, quanto a Microsoft reduzem os preços de suas plataformas com certa periodicidade, cerca de um ano, até que a base de jogadores seja alta o bastante para garantir um preço menor.

Outra dica é evitar comprar um videogame no final do ano, pois é durante o natal que os preços tendem a ser mais altos, se o produto for um lançamento. Já os meses de janeiro e fevereiro contam com ações de queima de estoque das lojas. Ou seja, o ideal é comprar um sistema novo no início do ano. Há um porém: a Black Friday de novembro tende a contar com preços realmente atraentes.

Espere por novos modelos

Outro detalhe importante na hora de comprar um videogame: espere um novo modelo chegar ao mercado. Primeiro porque terá um hardware otimizado; segundo porque o preço será menor. Sim, esperar até a versão slim do PS5 pode ser torturante, porém você poderá ter uma máquina com mais funções e com um hardware mais confiável. Basta analisar a primeira versão do Xbox 360 original com a versão S surgida anos depois.

Lojas físicas ou sites de e-comerce

Há uma percepção de que lojas físicas cobram preços mais elevados e isto não está errado. Apesar de lojas de esquina não precisarem pagar empresas de entregas, as lojas físicas pagam aluguéis altíssimos e manutenção predial. Assim, as lojas têm repassado esses preços aos consumidores. Já as lojas digitais conseguem oferecer o mesmo produto a preços menores. O ideal é comprar um videogame através de sites, sendo ele um novo lançamento ou um console mais retro.

Uma solução bastante útil é o site Promobit, (que possui app também) a comunidade de curadoria que filtra promoções de lojas digitais. Se você vai comprar um novo aparelho, tenha certeza de localizar o preço mais baixo entre o ambiente que oferece preços menores. A Black Friday, aliás, oferece uma oportunidade única de comprar seu aparelho a um preço atrativo. Então, comprar o aparelho durante essa época do ano é realmente recompensador.

Vai comprar TV 4K? Veja quais detalhes mais importantes na hora de escolher

Os aficionados por tecnologia já sabem: as TVs 4K dominarão o mundo! Afinal de contas esses eletrônicos são capazes de providenciar a mais alta definição e qualidade para imagens, com uma riqueza de detalhes que outras TVs são incapazes. Basicamente as TVs 4K – conhecidas também como Ultra HD – são televisores cuja resolução de pixels são cerca de 8.3 milhões de pixels.

O nome 4K é proveniente de sua capacidade de resolução quando comparadas às TVs Full HD (2 milhões de pixels), ou seja, as TVs 4K possuem resolução 4 vezes superior. Mesmo para olhos destreinados a diferença é brutal: a TV 4K é capaz de exibir imagens com riqueza de detalhes, cores mais vivas e textos mais nítidos. Além disso, em produções filmadas com câmeras 70 mm são capazes de exibir até mesmo imperfeições na pele dos atores.

Se você pretende aproveitar o melhor da tecnologia para assistir filmes, jogar videogames ou ver seu time de coração e ainda não comprou a sua TV 4K, fique atento nestes detalhes para obter a melhor experiência! É um velo ponto de partida, caso você pretenda aproveitar a Black Friday para comprar um novo aparelho.

Tamanho

A primeira coisa que você deve prestar atenção é no tamanho da TV. É possível encontrar opções no mercado que vão de 40 até 86 polegadas. Os preços são proporcionais ao tamanho da TV – é possível encontrar modelos de R$ 1.500,00 até R$ 30.000,00. Seja qual o tamanho, a qualidade da imagem não é afetada por isso. Neste quesito você deve se atentar mais ao espaço onde irá colocar o televisor.  Se pesquisar direitinho, é possível encontrar boas promoções de TVs 4K.

LED vs OLED vs QLED

Outro detalhe importante é o tipo de tela: LED, OLED ou QLED. Esses são os padrões mais comercializados. A TV LED é a mais barata e sua tecnologia é composta por pequenas lâmpadas LED em sua tela, tornando a imagem mais iluminada e as cores mais vibrantes. Já o padrão OLED é ainda superior, uma vez que sua qualidade de contraste e nitidez é maior, principalmente em imagens escuras. Isto porque as pequenas luzes LED da tela se desligam automaticamente quando aparecem imagens pretas na tela.

A intenção é tornar a imagem da tela mais parecido com o que vemos na vida real. Além disso, por apagar as pequenas lâmpadas LED da tela, o padrão OLED é mais econômico. É um pouco mais trabalhoso encontrar uma TV OLED, pois elas têm um custo mais elevado e sua baixa longevidade. Isto ocorre porque as luzes são alimentadas por componentes orgânicos que se deterioram com o tempo. O “X” da questão é definir quanto tempo vai ficar com o televisor e o quanto se incomoda com brilho e contraste.

Por fim, temos as TVs QLED, que são conhecidas por exibir 100% das cores das imagens. Isto porque elas utilizam a tecnologia HDR, a mesma utilizada por Hollywood. As TVs QLED também são famosas por sua “inteligência”, pois elas não deixam com que outras fontes de luz atrapalhem a imagem, pois elas aumentam as cores da tela automaticamente. Esta tecnologia é mais cara que as demais, mas é possível encontrar algumas promoções no site da Promobit.

Tela plana ou curva?

Este aspecto é completamente subjetivo e depende da preferência do usuário, contudo há um consenso em alguns aspectos. Um deles é que TVs com tela plana são mais suscetíveis e reflexos, enquanto que o formato côncavo possui melhor contraste e amplitude maior de tela. Além disso, o formato curvo é capaz de tornar a experiência mais imersiva, pois a tela neste molde é capaz de trazer efeito de profundidade e facilitar o efeito 3D.

Além disso, as telas curvas oferecem maior campo de visão, pois passam a sensação de que a imagem é mais ampla do que a verdadeiramente exibida em uma tela plana. Por fim, outra vantagem é que as telas curvas produzem cerca de quase 2x mais contraste que uma tela plana. Isto ocorre porque elas concentram melhor a imagem nos olhos do espectador.

Quantidade e tipos de entradas

Ter um aparelho com um número razoável de entradas USB ou conexões é garantia de possibilitar o uso da TV para mais coisas. A tendência para o futuro é ter cada vez mais aparelhos conectados. Deste modo, você pode até utilizar a TV para jogar videogame, como monitor de computador, controlar outros equipamentos etc. TVs com processador dual-core são o mínimo que você vai querer, pois são mais rápidas para responder os comandos e evitarão as fatídicas travadas. Além disso, você vai querer que a TV possua ao menos três portas HDMI (para conectar múltiplos aparelhos) e conexão wi-fi para facilitar a conexão com a Netflix, Youtube e outros aplicativos. Se a TV tiver porta ethernet, melhor ainda, caso precise de uma conexão por cabo mais estável.

Sistema Operacional

Assim como nos smartphones, é necessário estar atento qual OS vai te atender melhor antes de escolher qual a TV levará para casa. As TVs costumam utilizar o Tizen, enquanto a LG conta com o webOS, a Panasonic tem a Firefox OS, e a Sony tem o Android TV. O Tizen é o mais popular atualmente, seguido do webOS. Ambos estão consolidados no mercado, pois as emissoras de TVs nacionais e internacionais investiram bastante em apps para esses sistemas, além de serviços de transmissão como a Netflix e conexão com celulares.

Apesar do Android TV ser bastante promissor, a adaptação do que é feito com celulares para a TV ainda não vingou, mas especialistas apostam que logo o Android TV irá virar o jogo e se tornar o número 1 entre os sistemas operacionais para TVs. A ideia básica é que o smartphone pode estar completamente conectado a TV, de modo que controlar o que se assiste fique a algumas Cabe ao usuário fazer uma aposta para o futuro ou optar pelo que já está estabelecido. O que a comunidade tecnológica idealiza é que Smart TVs e smartphones ficarão em completa simbiose, inclusive para acessar funções do celular através da TV e vice-versa.

Conexão com o videogame

Não se trata de uma função específica das TVs 4K, mas sim a configuração que torna a imagem otimizada para jogos. A maioria dos modelos tem opções prontas para escolher o modo “jogos”, que deixam a imagem com o contraste e brilho específico para jogos eletrônicos. Afinal de contas, essas configurações tendem a utilizar cores menos berrantes que um desenho animado ou uma partida de futebol. Como de não bastasse, vale lembrar que tanto o Xbox One quanto o PS4 possuem configurações específicas para uso em TVs 4K.

No PS4, por exemplo, você deve ativar o suporte TV 4K ou HDR (no caso de utilizar o PS4 Pro). Para isso, basta ir até o menu configurações”, “Som e tela”, “Configurações de saída de vídeo”; selecionar as opções “automático” nos menus “resolução” e “HDR”. Assim seu videogame estará pronto para proporcionar a melhor definição possível.

Já no Xbox One, a tarefa é igualmente simples, basta pressionar o botão “home” (o botão central do controle); ir até a opção “sistema”; “configurações”; “tela e som”. Após isso, basta ir até a opção “saída de vídeo” e selecionar a opção “4K UHD” no menu “resolução da TV”. Contudo, vale lembrar que nos dois consoles a definição somente fará efeito nos jogos desenvolvidos em 4K, ou seja, jogos mais antigos e aqueles que não foram otimizados não sofrerão mudanças na resolução. Se a intenção é usar a TV para jogar, vale a pena pesquisar no App de desconto da Promobit.