Conheça o jogo de boxe brasileiro Cruz Brothers

Já ouviu falar do Cruz Brothers Game? Se você esteve na área indie da BGs 2016 as chances são altas de que tenha visto ou ouvido falar no título da produtora Donut Coffeeshop, mas se não esteve no evento, vamos falar um pouco deste título que possui uma proposta bem bacana. Basicamente é um simulador de boxe baseado em uma história real.

O estúdio Donut Coffeeshop juntou-se à Escola de Boxe Marcus Luz para criar uma web serie de boxe durante uma viagem a Cuba. O projeto deu tão certo que os responsáveis decidiram criar um jogo eletrônico, porém ao invés de simplesmente fazer um game de luta eles decidiram criar um simulador, mostrando como treinar o esporte. Além disso, questões extra-ringue podem interferir na performance dos atletas.

marc_luz-768x512A ideia parece ter sido criar uma homenagem ao mundo do boxe profissional. Os protagonistas são os irmãos Felipe Cruz e Igro Cruz, que são lutadores de boxe. Não por acaso, o modo campanha mostra a trajetória dos atletas para se tornarem campeões mundiais. O macete é que durante a aventura o jogador evolui os personagens  para encarar os desafios de maneira mais eficiente.

Esses pontos personalizáveis são atributos como dureza, força, confiança, agilidade etc. Além disso, alguns itens alterarm a performance do atleta como luvas e tênis melhores. Na fase de treinamento pré-desafio você vai para o centro de treinamento para treinar os golpes e movimentos básicos. Não basta sair esmagando os botões, mas sim esperar o melhor momento para atacar e se defender, tal como em um combate real.

A câmera se posiciona em lateral (side scrolling), lembrando muito jogos da era árcade dos games de luta como Tekken e Virtua Fighter. Porém, a mecânica é mais fiel a um combate real, ou seja, quando você tenta atacar automaticamente está abrindo mão da defesa. Mas não se preocupe: é possível tirar a defesa adversária atingindo áreas mais vulneráveis como o abdômen ou esperar o contragolpe fatal.

Mas fica o aviso: o Cruz Brothers não é totalmente uma simulação. Na verdade ele está num meio termo com o estilo árcade. Os lutadores não se cansam, por exemplo, evitando-se que os combates sejam desacelerados. Existem cinco modos de jogo, incluindo o divertido multiplayer local para até quatro participantes. Há uma versão para testes para PC e MAC. A expectativa é que o título desperte o interesse de jogadores pelo esporte de lutas marciais e pelo trabalho realizado pela Escola de Marcus Luz.

Abaixo você pode conferir um trailer de Cruz Brothers Game:

Conheça o shoot ‘em up Racketboy do estúdio Double Dash

Hoje vamos falar sobre o jogo Racketboy da produtora carioca Double Dash Studios. O game é uma mistura de shoot ‘em up (shmup) e block breaker que está dando o que falar nas redes sociais. O game venceu uma competição internacional promovida pelos canais do Pewdiepie, Markiplier e o Jacksepticeye. Desde então o game conquistou bastante destaque entre os jogadores.

Racketboy está em uma campanha de levantamento de fundos no Indiegogo. O título conta a história de uma garota que está em uma missão para salvar a galáxia da invasão de criaturas destrutivas (mas bem engraçadinhas). Tal como nos jogos de “navinha”, para ter sucesso nas missões é necessário desviar de chuvas de balas e ter reflexos rápidos. O contra-ataque é feito com a raquete que o garota segura, pois ela serve para rebater os ataques inimigos.

Um dos pontos altos do game é o alto grau de desafio: quem jogou pôde comprovar que a dificuldade aumenta progressivamente. No princípio o jogador está ocupado em somente rebater e desviar dos tiros, porém ao final as coisas tornam-se desafios à coordenação motora do jogador. Fácil de jogar, difícil de dominar.

O game tem visual bastante colorido e remete às gerações 8-16 bits. Até mesmo a trilha sonora é bem retrô, de modo que o jogo lembra clássicos como Parodius e Keio Flying Squadron. O pacote de jogos oferece seis mundos diferentes com quinze batalhas contra chefões e cerca de trinta inimigos diferentes. Para auxiliar nos combates, existem os famigerados power ups.

Racketboy está em desenvolvimento para as plataformas PC, Mac e Linux. Para sair do papel ele precisa da contribuição dos jogadores através do site de crowdfunding Indiegogo. Entretanto já é possível jogar a demo do jogo.

Abaixo está o trailer de Racketboy:

Mono Studios lança primeira demo de InSomnia

A divulgação de hoje vai para o jogo InSomnia da produtora Studio Mono, uma developer russa formada por profissionais de diferentes nacionalidades como Malásia, EUA, Japão, Holanda, entre outros. O jogo está no Kickstarter e já conseguiu metade do orçamento necessário e tudo indica que conseguirá o dinheiro necessário para viabilizar o projeto. Para comemorar o feito, a produtora disponibilizou a primeiro demo jogável.

“A equipe e eu estamos impressionados com o nível de expectativa demonstrado pelos jogadores para o nosso jogo. É realmente emocionante conseguir 50% de financiamento em dez dias”, disse Anatoliy Necrasov – desenvolvedor líder no Studio MONO. “Para comemorar esta marca e para mostrar a nossa gratidão, nós decidimos lançar a primeira demo jogável como um grande obrigado a todos os nossos apoiadores!”, finalizou o produtor.

InSomnia é um RPG de ação tática que coloca o jogador em um futuro distópico no meio de uma estação espacial. Neste futuro, vivenciamos a saga da humanidade em busca de um novo planeta para chamar de lar. Na trama, sobreviventes chamados Noman embarcam na nave Ark a fim de escapar da sangrenta batalha entre a República Noma e o Regime SORG. O problema é que não há local seguro no futuro.

O game será um sandbox grandioso: a produtora promete entre 15 a 20 horas de jogo quando estiver pronto. Mas isso não é tudo: haverá atualizações constantes e lançamento de DLCs. Pelo menos são esperados 20 DLCs gratuitos após o lançamento do jogo, sendo que cada um deve conter entre 3 a 6 horas de jogo.

A produtora esforçou-se por criar um jogo escuro, com uma trama envolvente e mecânica de jogo simples, mas divertida. Os ambientes fazem uso inteligente de efeitos de luz e sombra que ajudam a tornar o game mais sombrio, além disso, a perspectiva isométrica ajuda a dar uma identidade ao título. Além do modo singleplayer, haverá a possibilidade de jogar em co-op com os amigos.

Apesar de ser um chamado RPG pelos produtores, o game quebra o paradigma de sistemas de aumento de níveis, classes de personagens, etc. Além disso, o jogo apresenta suas missões sem linearidade e com múltiplas possibilidades de soluções. Porém nem tudo dos RPGs foi abandonado: além da clássica perspectiva isométrica, o jogo também permite customização de personagens. A Mono Studios tem um projeto ambicioso nas mãos e por isso a campanha no Kikcstarter está sendo bem sucedida. Esperamos que o jogo consiga entregar a experiência prometida. O lançamento é previsto para 2015 nas plataformas PC, Mac e Linux com suporte aos idiomas francês, alemão, inglês, polonês e russo.

Abaixo tem um vídeo conceito de customização de personagens do projeto InSomnia: