Rocketseat lança formação gratuita para desenvolvedores

Rocketseat

Está procurando algum curso na área de programação para aprender uma nova profissão, ou ainda melhorar suas habilidades? Pois a Rocketseat, edtech que oferece conteúdos e desafios para formar profissionais de programação com metodologia e plataforma próprias, acaba de lançar o Discover, um curso totalmente gratuito para quem quer se tornar um desenvolvedor.

A formação é uma iniciativa da startup para ajudar a suprir o gap de profissionais do mercado, já que a área necessita de profissionais atualmente e precisará de 264 mil programadores até 2024. O objetivo é ajudar todo o ecossistema de programação a acompanhar a evolução da tecnologia de forma sustentável e assim suprir o gap dos mais de 264 mil profissionais da área que serão necessários até 2024. Para o cofundador e CEO da Rocketseat, Robson Marques, a defasagem no currículo das instituições de ensino e falta de acesso às aulas particulares contribui para o aumento desse déficit.

“Nossa missão é garantir a possibilidade de aprendizado ao maior número de pessoas possível, do norte ao sul do país, em qualquer local com um computador e acesso à internet. O curso é completo e gratuito, isso nos aproxima daqueles que por algum motivo imaginaram que ser dev era uma realidade distante”, explica.

Recentemente as startups Rocketseat e Shawee somaram forças para construir uma ponte entre empresas e desenvolvedores por meio da educação, e reunir em uma única plataforma todo o ecossistema de programação, começando pelo Discover, onde o aluno pode aprender os fundamentos do desenvolvimento. O curso trará aulas com fundamentos da programação, com cerca de 80 horas de conteúdo que vai do zero até os primeiros passos na carreira de desenvolvedor.

O lançamento do Discover aconteceu em dezembro, durante o DoWhile, primeiro evento pós-fusão das duas empresas que já impactaram mais de 500 mil desenvolvedores e desenvolvedoras com seus treinamentos pagos e gratuitos. A Rocketseat pretende formar 100 mil profissionais até 2023, o que representa ¼ da necessidade do mercado.

Autor: Luiz Silva

Luiz Silva, jornalista de games formado pela Universidade Paulista. Já escreveu para as revistas da Tambor Digital (EGW, Gameworld), para o site Player 2 entre outras coisas. "Sou um entusiasta por videogames, apesar de jovem já tive até um Atari, minha série favorita é Silent Hill".

Deixe seu comentário