Just Another Day – game para PC coloca o jogador para vivenciar uma vida monótona, a menos que…

Just Another Day

Hoje vamos falar de um game indie brasileiro que promete altas cargas de desafio para seus jogadores. Just Another Day é um jogo desenvolvido pelo estúdio Ludum Dare 47, com uma premissa bem simples: o jogador parece estar preso em um looping e deve ajudar o protagonista a sair dessa monotonia. Quem está na quarentena vai sentir certa familiaridade com o game.

Aqui você vai acompanhar a rotina monótona e banal de quem, por escolha própria ou da situação global atual, não sai de casa. O objetivo do jogo é cuidar de sua casa e realizar tarefas corriqueiras para manter o corpo funcionando e o ambiente bem conservado, o que deve ser feito diariamente para evitar complicações maiores. Na monotonia do dia, porém, sempre existe o potencial de pensar fora da caixa e sair da mesmice… se contentar com a estagnação é bom o suficiente? Ou será que é válido se esforçar para quebrar este ciclo? Esse é o grande desafio de Just Another Day.

Tudo o que o jogador precisa fazer é cumprir a rotina diária aparentemente tediosa do personagem. No entanto, às vezes a vida se torna monótona e repetitiva, e parece que estamos presos em um loop . O objetivo é quebrar esse loop e buscar formas de sair da mesmice.

Just Another Day foi desenvolvido pelos brasileiros do Ludum Dare 47, que é composto por Alexandre “Alek” Martins, Gabriel “Red Yoshi” Kiesshau, Guilherme “Chaoseiro” Maia, Lucas “Ike” Emmanuel, Tiago “Bontah” Carneiro e Vinicius “Bottini” Nipote.

O game é bem simples, baseando-se numa jogabilidade point & click para executar ações. Os gráficos e a trilha sonora seguem essa premissa simplista. A ideia é permitir que qualquer jogador possa desfrutar do game. Para mais informações clique aqui.

Autor: Luiz Silva

Luiz Silva, jornalista de games formado pela Universidade Paulista. Já escreveu para as revistas da Tambor Digital (EGW, Gameworld), para o site Player 2 entre outras coisas. "Sou um entusiasta por videogames, apesar de jovem já tive até um Atari, minha série favorita é Silent Hill".

Deixe seu comentário