OnLive: vai mesmo mudar o mercado de games?

gr-onlive

Na semana passada, pipocou na internet um assunto interessante: a rede OnLive foi apresentada.

Para o gamer que não leu em outros meios, o que achamos difícil uma vez que a cobertura foi maciça, o serviço gamer segue o mesmo princípio da “cloud computing”.

Em simples palavras, a OnLive se encarregará do processamento de games, hoje todo baseado no computador do usuário. Ou seja, o servidor precisará ser potentíssimo, enquanto o computador do usuário pode ser uma máquina menos poderosa.

Apesar da conexão rápida, no mínimo de 1,5 Mbps, o OnLive promete acabar com um modelo de negócios de games para computador que existe há décadas: o de upgrades constantes de hardware.

A existência de uma caixinha permitirá que os jogos de PC rodem também em um televisor, como um videogame. Indo além, qualquer usuário, indendente do sistema operacional, poderá rodar um game programado para Windows, uma vez que todo processamento acontecerá nos servidores da empresa.

Muitas empresas, entre elas a gigante EA, já confirmaram parceria com o OnLive, que deve funcionar com um sistema de mensalidade ou anuidade ainda não confirmado.

E a “confusão” está feita. Muita gente está dizendo que será um impacto brutal que pode mudar a indústria dos games, inclusive ofuscando os consoles.

Queremos saber de você, leitor, o que você acredita que pode surgir desta idéia?

Mercado de PCs vale US$ 11 bilhões

A PC Gaming Alliance divulgou dados coletados durante 2008 que mostram que a indústria de games para PC está indo muito bem, e hoje vale US$ 11 bilhões.

O PC continua a ser a maior plataforma de games do mundo, sendo que dos US$ 11 bilhões, US$ 6 bilhões vêm da América do Norte e Europa Ocidental.

O mercado de MMO é o mais valoroso, sendo que alguns jogos asiáticos rendem mais de US$ 100 milhões/ano (cada). World of Warcraft rende US$ 1 bilhão/ano.

Os computadores menos poderosos de mercados emergentes contribuem apoiando o jogo casual, que também tem sua parcela de responsabilidade no valor final da indústria. Portais como Pogo (da EA), MSN, Yahoo e outros geram mais de US$ 100 milhões ao ano.

:: Leia o relatório completo (PDF, em inglês)

Need for Speed Shift chega em setembro

gr-needforspeedshift

A Electronic Arts prometeu Need for Speed Shift, o mais novo game da série de racha, para o fim de setembro.

As datas divulgadas, para o mercado europeu e americano, não refletem necessariamente a agenda brasileira, que ainda não foi divulgada.

O game promete física e veículos ainda mais realista e chegará para as plataformas PS3, PSP, Xbox 360 e PC nos dias 17 de setembro (Reino Unido) e 22 de setembro (Estados Unidos).

[Via Kotaku]